Artigos

11 nov 2004

COISAS QUE SÓ A IMBECILIDADE EXPLICA


ABSURDOS INCRÍVEIS

Muitas coisas incomodam bastante o cotidiano dos brasileiros. Algumas delas bem mais do que outras, como podem ser medidas pelo número de vezes que estão nos noticiários. As mais graves, e que não se entende como é possível que ainda não tenham criado uma revolução armada neste país, são: 1- o nosso único e incrível sistema tributário, com a carga insuportável que representa; e, 2- a reforma agrária escolhida, cujos resultados são extraordinariamente péssimos pelos estudos realizados.

DOIS INFERNOS

São dois infernos que só se justificam pela imbecilidade do povo. Com um ponto a menos na medição da idiotice brasileira, já teria havido uma guerra contra estas duas burrices clássicas só adotadas por enorme irresponsabilidade dos administradores públicos. E a parcela do povo que não pode sonegar impostos ou impedir invasões de terras parece satisfeito em ficar criticando e lamentando o que está acontecendo. Já os espertos e apadrinhados de governos se divertem sem parar. Isto explica a campanha do desarmamento, certamente.

ADMISTRADORES

Gente, quando elegemos nossos representantes públicos precisamos estar certos e convencidos de que elegemos administradores do Estado em qualquer esfera ou nível de poder. E até os imbecis de nível mais elevado sabem que para ser um administrador razoável é preciso ter consciência daquilo que precisa ser planejado, dirigido e controlado. As práticas, formas, normas e métodos escolhidos para o sucesso da administração são, em geral, aqueles que os países mais antigos e promissores entenderam como melhores e cujos resultados já puderam ser testados.

FESTIVAL DE BURRICES

Diante desta possibilidade de comparação com outras administrações públicas é interessante observar o constante estado de desespero que o povo brasileiro vive com estas duas grandes questões que só nós insistimos neste planeta. A enorme carga tributária, mais eleva o nível de sonegação do que de arrecadação. E a Reforma Agrária adotada, nada mais é do que um festival de invasões com apoio governamental. Os assentamentos realizados até agora provam ser uma forma evidente e já medida como burra, pífia e cara demais para o país. Estes dois absurdos, que não os únicos, só existem porque os brasileiros são mais do que idiotas. São dotados da maior estupidez jamais encontrada nos seres humanos.

TRIBUTAÇÃO ESTÚPIDA

Na questão tributária, como se explica que o Brasil prefere adotar um sistema tributário maluco e único no mundo todo? Exemplos de tributação nos mais diversos países estão aí para serem analisados, escolhidos e até adaptados. A União Européia, por exemplo, para reunir seus inúmeros países, entendeu que o sistema tributário ideal deveria ser o IVA para simplificar as relações comerciais entre as nações. E, assim como todos os demais países do mundo, jamais imaginou que uma CPMF poderia existir. Isto só seria possível para os dementes como é o nosso caso. Os EUA também poderiam ser copiados, onde o imposto é cobrado na hora de realização da venda ao consumidor, dando total transparência aos valores da mercadoria e do tributo.

MAIOR DO MUNDO

Já a estupidez brasileira, advinda da cabeça dos nossos péssimos administradores, contempla sistema e tipos de impostos absurdos que nenhum país do mundo ousa adotar. O mesmo acontece com o tamanho da carga, das alíquotas. Nem desenvolvidos nem emergentes taxam em 38% do PIB. Os primeiros porque preferem ser sérios e sabem que serviços públicos precisam ser de boa qualidade. Já os em desenvolvimento têm peso menor ainda sobre o PIB porque querem crescer para poder prestar um melhor serviço público. Nós, além de termos a carga mais alta, não temos sequer serviços públicos. Temos, em última análise, além da corrupção estimulada pela alta carga, só folhas de pagamento de servidores públicos. Vamos continuar chorando?

PIRATARIA

O esforço que o governo vem fazendo para fechar acordos internacionais pode ir à breca. A Comissão Européia, órgão executivo da União Européia, lançou ontem, uma nova estratégia para combater pirataria e falsificação no mundo e incluiu o Brasil na lista dos seus principais alvos. E até ações na OMC contra os países em questão deverão ser apresentadas. Os principais setores de pirataria no Brasil são música (CDs e DVDs) e software. De acordo com uma pesquisa encomendada pela Comissão Européia, os produtos pirateados representam metade das vendas desses setores no Brasil. Além deles, produtos como roupas, perfumes, brinquedos e tabaco também seriam falsificados no país. Sabem por quê? Porque temos uma carga tributária indecente.

CAMPANHA

Usando a figura de Hitler, que usou o expediente de desarmar o povo para depois fazer o que todos já sabem, a Ass. Nacional dos propritériose fabricantes de armas criou uum belo panfleto com a advertência: Quem quer o desarmamento levante a mão direita! Antes de mandar matar judeus, comunistas, ciganos e todos seus opositores, Hitler fez o que era lógico: desarmou a população. Sem armas não há como resistir à tirania. Não arrisque o futuro do Brasil. Diga NÃO ao desarmamento! Participe desta campanha: (21)2662-7614 - www.anpca.org.br.

Leia mais

10 nov 2004

A OPERAÇÃO DESASTRADA DO DESEMBARQUE


FALTA DE ESPÍRITO PÚBLICO

O que o PMDB está fazendo agora, certamente faz parte do jogo político. Até aí nada a contestar. O que me preocupa é a hora, o momento. Poderia ter mais espírito público e agilizar as votações das matérias mais importantes que estão exigindo aprovação urgente. Afinal, estamos esperando por muito tempo certas decisões e este segundo semestre já se mostra totalmente perdido. Faltou o sentimento da responsabilidade com os contribuintes, com os consumidores, com os investidores. A partir das votações é que deveria pôr as cartas na mesa.

MAU PERFIL

Mas não. Preferiu mostrar aos brasileiros que nunca teve perfil de bom governante. Na realidade gosta mesmo é de desastres. Ao olharmos o passado já percebemos a participação de um de seus líderes, o falecido Ulisses Guimarães, como condutor da estúpida Constituição de 88, a maior geradora dos custos insuportáveis para o país. José Sarney, que apesar de ter declarado que a tal Constituição tornaria ingovernável o Brasil, acabou tendo Dílson Funaro como ministro, o qual enfunerou de vez o nosso país com o calote da dívida.

SINUCA DE BICO

Já Itamar Franco só fez maluquices, e até hoje continua fazendo coisas absurdas. Pedro Simon nunca gostou de governo algum além do PT, e se notabilizou em pedir a cabeça dos ministros da área econômica. O governador Rigotto, sempre alertado da fria que o partido havia se metido em apoiar o PT, foi sempre vencido nas questões do RS, cujo carma é viver na penúria. Creio, infelizmente, que estamos metidos numa grande sinuca de bico, com repercussões muito ruins para o Brasil que precisa crescer sem parar.

MINISTÉRIO DA DEFESA?

Já que o Ministério da Defesa está nas manchetes dos noticiários, vale a pena conhecer as despesas da Pasta, como informa o Prof. Bergamini, na sua Reflexão sobre as Despesas do Ministério da Defesa. Vejam: De Janeiro de 2004 até Setembro de 2004, o Ministério da Defesa teve uma despesa total de R$ 18,4 bilhões, sendo que R$ 15,0 bilhões (81,52%) foram gastos com pessoal, restando apenas R$ 3,4 bilhões para gastos com outros custeios e investimentos, conforme abaixo demonstrado: 315.573 Militares Ativos ? R$ 5,8 bilhões ? 31,52%129.984 Militares da Reserva e Reformados ? R$ 5,4 bilhões ? 29,35%179.884 Pensionistas de Militares ? R$ 3,8 bilhões ? 20,65% Total das despesas com pessoal militar (625.441 membros) - R$ 15,0 bilhões ? 81,52% O total das Despesas com outros Custeios (Alimentação, Combustível, Manutenção de instalações e Equipamentos, Fardamento, etc), e Investimentos (Renovação de Equipamentos, Novas Instalações, Treinamento, etc) chega a- R$ 3,4 bilhões (18,48%). Total Geral - R$ 18,4 bilhões (100,00%). Considerando apenas o pessoal ativo, daria uma insignificante despesa média mensal per capita de R$ 1.197,11, ou média diária per capita de R$ 39,90, ou 4 quilos de carne, ou 20 quilos de arroz. Não foi considerado no estudo os 102.709 civis do Ministério da Defesa (Ativos, Inativos e Pensionistas).

TI

A partir de outubro de 2004, a Central de Softwares, empresa de consultoria jurídica e comercialização de softwares no sul do Brasil, uniu suas competências, recursos e infra-estrutura ao Grupo Processor para oferecer ao mercado nacional uma empresa focada em soluções e serviços de TI para pequenas e médias empresas. Um novo leque de soluções está sendo oferecido ao mercado: Licenciamento de Adobe, Corel, Macromedia, Borland, McAfee, Trend, entre outros. Também os serviços especializados em treinamento e auditoria em licenciamento e serviços pontuais em suporte de rede.

NATAL LUZ

Inicia no próximo dia 13, em Gramado, RS, a 19ª edição do Natal Luz, que terá novidades como o Concerto de 50 Anos de Gramado e a Caminhada de Lanternas, além das atrações já consagradas, como Nativitaten e Desfiles Natalinos, este ano sobre o tema Encantos de uma Noite de Natal. O evento vai até o dia 06 de janeiro de 2005 e terá atrações diárias: Árvore Cantante, Janela do Advento, Concertos, Corais e Festa de Natal.

SONHO DE NATAL

Já a cidade de Canela, RS, também se transforma em um mundo de magia e encantamento com o Sonho de Natal, o maior evento da cidade. O projeto de decoração do evento para este ano foi praticamente todo renovado. Com o tema - Siga Sua Estrela o Sonho de Natal - traçará um caminho desde a entrada da cidade passando pelas principais ruas e avenidas exibindo vários objetos decorativos: esculturas de anjos com 3m de altura, três mil estrelas, etc. O Sonho de Natal conta com o site www.sonhodenatal.com.br

HOME BROKER

A Banrisul Corretora de Valores Mobiliários e Câmbio bateu novo recorde de volume negociado no mês de outubro, via Home Broker, atingindo um total de R$ 2,45 milhões. Com este resultado, a Banrisul Corretora passou a ocupar o 24º lugar no ranking nacional de negócios operados via Internet. Os dados são da Bovespa. As operações feitas pelo sistema virtual têm aumentado nos últimos anos: em 2002, a Banrisul Corretora negociou R$ 353 mil; em 2003, R$ 5,88 milhões e, até outubro deste ano, já foram negociados R$ 18,21 milhões. O sistema Home Broker, serviço interligado à Bovespa, permite ao investidor enviar, pela Internet, em ambiente totalmente seguro, ordens de compra e venda de ações, diretamente de sua residência ou escritório. A direção da Banrisul Corretora tem dedicado especial atenção a esta modalidade de aplicação, tendo em vista o custo reduzido, bem como a segurança e a comodidade para o cliente. as vantagens do Home Broker podem ser acessadoS através do site www.banrisulcorretora.com.br.

Leia mais

09 nov 2004

OS EFEITOS MALÉFICOS DO DESARMAMENTO


PIOROU

A sociedade brasileira, que já vinha se mostrando bastante amedrontada, está agora contra a parede. O suficiente para acreditar em qualquer coisa que possa amenizar este sentimento de pavor. Este sentimento terrível acabou por promover uma dupla perda: do juízo e da capacidade de discernimento. Vejam, bastou um imbecil, apoiado pela Rede Globo, propor uma besteira monumental, dizendo que o efeito da lei do desarmamento seria efetiva e benéfica para a diminuição da violência e, pronto: boa parte do povo acreditou piamente de que tudo ia mudar e que a violência seria diminuída.

CÍRCULO VICIOSO

Tudo isto ocorreu bem antes da sociedade usar o raciocínio, razão pela qual uma grande parte do povo se dispôs, como sempre, a concordar com as opiniões interesseiras da TV Globo. Passado algum tempo e percebendo que nada adiantou, a sociedade, anestesiada e sempre disposta a acreditar em novas bobagens, já está, com certeza, pronta para outra infâmia. O circulo vicioso dos atormentados está, a cada dia, impedindo o discernimento e a observação do comportamento lógico.

ERRO INTENCIONAL

Só que no caso do desarmamento, qualquer percepção do erro intencional cometido pelo governo torna cada vez mais tardio um reverter de situação . A volta do sistema individual de segurança se apresenta agora totalmente prejudicado e impossível pelas vias legais. O pior é que com a impossibilidade dos cidadãos voltarem a portar armas, os bandidos é que ficaram mais livres, convencidos e atuantes.

PRODUTO DE EXPORTAÇÃO

A lei foi, portanto, a abertura definitiva para o desenvolvimento fantástico da barbárie. As estatísticas até mostram isto. A Folha de São Paulo mostrou dados de arrepiar: depois de sancionada a lei do desarmamento, os crimes com armas de fogo aumentaram significativamente. Isto explica o alerta que os americanos e outros povos estrangeiros estão fazendo sobre a nossa crescente violência. E isto, entendam, ainda não é produto de exportação.

OS PROBLEMAS SE REPETEM

Estamos chegando ao final de 2004 e os problemas do Governo do Estado do RS, existentes no início do ano, continuam os mesmos e sem solução. Embora alguns avanços foram conquistados, com a recuperação de alguns investimentos privados que resolveram aportar no RS, a situação do caixa do Tesouro é terrível. Se mal dava para pagar a folha de salários, nunca é possível para o 13º salário. Se a violência afasta turistas, uma situação financeira caótica afasta contribuintes e investidores. Estes estão sempre receosos de que novos impostos ou antecipações de tributos sejam as formas usadas pelos governos que se apresentam medrosos, incompetentes ou impedidos de tomar decisões.

POUPANÇA FRATERNA

Eis o e-mail que recebi de um leitor também indignado, mas que resolveu fazer o seu papel de cidadão: \"Renovando cumprimentos, informo-lhe que repassei para os amigos de minha agenda, inclusive os do Canadá é USA, seu objetivo comentário sobre a famigerada Poupança Fraterna, anexando a ficha da pedra bruta Nazareno Fonteles. A repercussão foi tamanha que, somando há pouco, recebi mais de 280 e-mails de protestos. Alguns, mandam até saudações à genitora do inditoso. Com o almejar de continuidade de êxitos, Fraternais abraços, Geraldo Duarte\". Faça você também a sua parte.

REAL VALORIZADO?

Quando os juros e os impostos deixam de ser assunto, algum substituto já aparece. Agora é a vez de discutir e bater em cima da valorização do real frente ao dólar. Ora, se queremos um cambio flutuante, sem a intervenção do BC, basta aumentar as importações e o valor do real se manifesta pela oferta e procura das moedas. Ficar atacando o BC é querer menos liberdade. Se a oferta de dólares é maior do que a demanda, a situação é esta mesma. O resto é coisa de quem quer que o governo administre suas empresas.

FULL GAUGE

A Full Gauge Controls foi eleita a Melhor Indústria do Ano de Refrigeração na Categoria Fabricante de Componentes pelo Prêmio Nacional Abrava 2004. Para a direção da empresa, o prêmio é o reconhecimento pelo trabalho sério e competente que a Full Gauge desenvolve em benefício da indústria e do comércio, norteada pela busca contínua da excelência dos seus produtos. Parabéns.

Leia mais

08 nov 2004

A ESPERA DE ALGUMA RESPONSABILIDADE


AGORA VAI?

Caso não haja mais contratempos, o que é muito pouco provável, e sobre alguma vontade para o trabalho, o que também é bastante duvidoso, os parlamentares devem retomar hoje as votações das inúmeras e importantes matérias que se encontram lá para que o Brasil ganhe um pouco mais de esperança. Mas, de imediato, já se sabe que certas atitudes devem colaborar para mais atrasos e dificuldades.

PARTIDO OPORTUNISTA

O PMDB, partido oportunista e que sempre está no poder, quer agora desembarcar de onde nunca devia ter entrado. E para mostrar mais força na sua decisão, e ganhar a mídia de forma espetacular, já deve se recusar a apoiar as medidas corretas que precisam ser aprovadas. Como muitos parlamentares não estão nem aí para o nosso desenvolvimento, sequer examinam o que votam. Basta que seus partidos sejam contra, só para não fortalecer o governo, e nós já nos ferramos. Viva.

FIDEL ENLOUQUECIDO

Há poucos dias atrás, quando foi anunciado que não seria permitida a troca de dólares na Ilha, boa parte do mundo todo deu risada. Agora, mais bobagens estão sendo propostas pelo maluco ditador. Pede ele que sejam levados à Ilha euros ou outras moedas, ao invés de dólares que serão retirados de circulação no dia 8 de novembro. Daí por diante as lojas e restaurantes só poderão aceitar pesos cubanos. Se alguém insistir com dólares, pagará multa de 10% enquanto outras moedas ficam livres da taxa. Quanta besteira, meu Deus do Céu. Avisem os cambistas, urgentemente.

FESTIVAL DE TURISMO

Estamos às vésperas do Festival de Turismo de Gramado, que aocntece de 18 a 21 de novembro naquela cidade. Seria oportuno que fosse mostrado aos agentes do setor, de que não temos estrutura para aumentar o numero de turistas no Brasil. Basta que aterrissem três aviões ao mesmo tempo no aeroporto de Guarulhos e a coisa fica preta. A Policia Federal não tem estrutura para liberar os passageiros com rapidez.

MARTÍRIO

E a Receita Federal contribui para uma permanência ainda maior dos turistas de fora e de brasileiros que desembarcam. O martírio dura mais de uma hora, como aconteceu comigo no retorno de Paris. Isto já é o suficiente para que as conexões para outros Estados sejam perdidas. Aí vira um verdadeiro inferno. Tanto para as companhias aéreas, que nada tem a ver com as demoras, quanto para os passageiros, que ficam aborrecidos e sem saber como contornar tais dificuldades.

ROTAS DE INTEGRAÇÃO

Nos próximos dias 10 e 11 de novembro, acontece o V Congresso Internacional das Rotas de Integração da América do Sul, na FIERGS, em Porto Alegre. Durante o evento, promovido pelo Comitê das Rotas de Integração da América do Sul (CRIAS), estarão reunidos membros de órgãos representativos e da iniciativa privada para discutir alternativas para a construção da integração física sul americana. Conforme o presidente do CRIAS, Joal Teitelbaum, no Congresso serão detalhadas três ações concretas: o aproveitamento de estruturas governamentais existentes no âmbito da América do Sul que representam os 12 países; a uniformização dos organismos governamentais que ficarão responsáveis pelo processo de integração; e a regulamentação da ação participativa do setor privado neste processo. Estas ações, se e quando implementadas, produzirão, à semelhança da União Européia, resultados que irão alavancar o desenvolvimento econômico e social, indicando o rumo para a América Latina se tornar uma comunidade de nações integrada e efetiva. É o que esperamos.

SELEÇÃO DE FILMES

De 12 a 18 de novembro, a Seleção de Filmes Bourbon vai exibir obras inéditas do cinema mundial, trazendo a sétima arte para o já consagrado calendário cultural da Cia. Zaffari. Em 99 sessões, 14 filmes das mais diversas nacionalidades serão exibidos em salas do Cinemark (Bourbon Shopping Ipiranga), Unibanco Arteplex (Bourbon Shopping Country) e GNC Cinemas (Bourbon Shopping Assis Brasil). Esta primeira edição do evento busca sedimentar uma idéia de variedade e diversidade cinematográfica, reunindo obras de grande produção como o norte-americano ?Capitão Sky e o Mundo de Amanhã?, a filmes nacionais, latino-americanos, e de diretores consagrados como ?Os Sonhadores?, de Bernardo Bertolucci.

PROGRAMA TRAINEES AMCHAM

A Câmara Americana de Comércio, uma organização com atuação nacional que reúne cerca de 5.600 sócios, entre pequenas, médias e grandes empresas, está abrindo inscrições para o Programa de Trainess Amcham 2005 ? 1º semestre. Há 85 anos sua missão é servir seus associados influenciando construtivamente políticas públicas no Brasil e nos Estados Unidos, promovendo o comércio, o investimento e a cidadania empresarial. Com objetivo de desenvolver habilidades e competências nas áreas de vendas,negociação e marketing, este programa é estimulado por metas e desafios concretos. Pré-requisito: Idade entre 18 e 24 anos; estar cursando faculdade (no mínimo o 2º semestre e no máximo 1 ano para a formatura); inglês fluente, disponibilidade de automóvel; e, disponibilidade de meio período. Interessados devem preencher ficha até o dia 15 de novembro. Pelo site: www.amcham.com.br/trainees

Leia mais

05 nov 2004

A LÓGICA DO PT: RAZÕES PARA A DESCONFIANÇA


ESTE É O PT QUE CONHECEMOS

Um projeto maluco, perigoso e estúpido, de autoria do dep. Nazareno Fontelles, do PT do Piauí (só podia ser do PT), se encontra na Câmara dos Deputados. Tenho receio de que muitos parlamentares se deixem levar por suas atitudes irresponsáveis, de não comparecer no dia da votação, e acabaremos vendo aprovada esta monstruosidade. São coisas assim que aumentam a desconfiança no Brasil, tanto por estrangeiros, como, e principalmente, por brasileiros. Vejam:

EXPROPRIAÇAO SOCIAL

O Dep.Fontelles, do PT, quer estabelecer um Valor Máximo para cada família no Brasil gastar por mês, caso seja aprovado. Segundo a maluquice, caso os demais parlamentares aprovem a estupidez, ficará estabelecido pelo governo que, a partir de janeiro de 2005, os rendimentos mensais que ultrapassarem o valor determinado pelo governo (R$ 7.600,-/mês) irão para uma conta como empréstimo compulsório.

SAI, SATANÁS!

Seria uma conta especial de caderneta de poupança, em nome do depositante, denominada Poupança Fraterna, que durante 7 anos serão administrados pelas centrais sindicais e pelos \"sem terra\", entre outros, e serão devolvidos nos 14 anos seguintes, depois dos sete primeiros, com \"remuneração da metade da poupança atual\". Para quem não entendeu, significa tungar parte do nosso dinheiro, administrá-lo mal, e remunerá-lo pior ainda, devolvendo muito menos da metade do total. Isto, como se sabe, tem nome: é uma legítima expropriação social, típica de governos ditatoriais. Foi exatamente isto que todos temiam antes das eleições, agora transformado em projeto. Sai, Satanás!

PARTICIPAÇÃO MÍNIMA

O crescimento das nossas exportações neste ano é digno de nota e algo que precisa ser festejado, assim como o superávit da balança comercial, produzido pelo aumento maior das exportações enquanto que também aumentamos as nossas importações. O feito se reflete positivamente no nosso balanço de pagamentos, felizmente mais equilibrado. Contudo, ao examinar a nossa participação no comércio internacional, a nossa posição é lamentavelmente ínfima. Continuamos com 1% do comércio internacional. Se os esforços foram muitos, e foram, o resultado ainda é insignificante.

RASTREABILIDADE

Depois de tantas idas e vindas, o governo resolveu acabar com a obrigatoriedade de exigir a rastreabilidade dos bovinos e bubalinos nas exposições de animais no Brasil. Perfeito. É assim que precisamos viver e nos acostumar. Com menos obrigações legais, mais liberdade e diante das exigências do mercado. Quem vai exigir a rastreabilidade, podem ter certeza, serão os consumidores. E os produtores farão o que é necessário no seu devido tempo. Pronto. Hoje ninguém exporta sem esta condição. E, por decorrência disso, o nosso mercado interno vai também exigir tal providência, podem ter certeza.

GRUPELHO DO RIO

O Grupo do Rio tende a se identificar como um grupelho. Cheio de pretensões protecionistas, mas muito mais preocupados em se transformar num bloco comunista e não comercial, dizem querer formar um bloco econômico. Mentira. O que todos precisam, desesperadamente, é vender muito e comprar pouco. Como os americanos já foram aconselhados, até pelo próprio FMI, a reduzir à metade os déficits comercial e fiscal, todos estes países vão sofrer muito, com certeza.

SÁBADO SOLIDÁRIO

Amanhã, sábado, 06, em todas as lojas do Nacional Supermercados e do Hipermercado BIG no RS, acontece a ação Sábado Solidário, na qual, quem quiser participar pode levar alimentos não perecíveis para serem doados a entidades carentes das comunidades. A Sonae Distribuição Brasil, principal parceira do Banco de Alimentos do RS, participa desta ação, doando mensalmente 20 toneladas ao Banco. E no primeiro sábado de cada mês, suas lojas viram postos de arrecadação para que a comunidade também possa participar. Participe desta Ação Solidária, levando alimentos não perecíveis a uma das lojas do Nacional ou do BIG neste sábado.

TAM-LÍDER

A TAM, líder do mercado doméstico de aviação no Brasil, divulgou ontem o resultado do 3º trimestre de 2004: lucro de R$ 53,3 milhões. Uma bela reversão do prejuízo apresentado no mesmo período do ano passado que foi de R$ 12,5 milhões. O resultado, segundo a direção da TAM, foi fruto de uma administração severa de custos e de ganhos de produtividade aliados ao aumento do número de passageiros transportados. De julho a setembro, a TAM transportou 3,5 milhões de passageiros, 21,3% mais que um ano antes. A participação no mercado doméstico se expandiu para 36,35%, e no externo para 15,75%. Parabéns.

Leia mais

04 nov 2004

VOLTANDO À NOSSA REALIDADE


OPINIÃO DESINFORMADA

A cada reunião do Copom a imprensa fica enlouquecida, os empresários idem e a sociedade em geral acaba sendo vítima de uma opinião formada errada e de forma precipitada, o que leva todos para a uma mesma direção, sem ao menos procurar entender o problema. Percebam o que acontece:

REAÇÃO EM TRÊS NÍVEIS

1- Se o Copom promove uma redução da taxa básica Selic, embora festejada, nunca é suficiente para que a sociedade admita que tudo vai melhorar muito; 2- Se o Copom resolve manter no mesmo patamar do mês anterior, todos choram e esbravejam dizendo que o governo é o carrasco da economia e que não quer desenvolvimento. 3- E quando a decisão é pelo aumento da taxa básica, bem, aí é o fim do mundo. Todos, sem um mínimo uso do raciocínio, já procuram um hospital para se internar.

QUEBRANDO A CORRENTE

Tenho procurado me comunicar mostrando que as manifestações tem se caracterizado por um grande equívoco de lógica de raciocínio, pois os nossos problemas não aumentam aí. Ao contrário, diminuem. Infelizmente, porém, acabo sendo quase sempre massacrado por não fazer coro aos precipitados. Volto, pois, ao assunto para tentar me fazer entender para quebrar esta corrente de maus pensadores:

O PROBLEMA

A primeira constatação que ocorre quando o Copom se define pelo aumento da taxa de juros é a queda da taxa de risco no mercado. Isto já seria suficiente para entender boa parte do problema. Os investimentos, gente, crescem quando o risco cai. Quem ainda duvida disso, basta verificar qualquer série histórica dos últimos anos para que possa ser constatada esta verdade. O inverso também é verdadeiro, ou seja, quanto maior o risco, menor é o investimento no Brasil. Esta premissa básica é que deve nos levar a entender que o nosso problema está no risco-país, ingrediente poderoso na formação da taxa de juros e de todos os países deste mundo.

JURO: PRODUTO COMPOSTO

Ora, taxa de juro no Brasil e em qualquer lugar do mundo é um produto composto das seguintes variáveis: 1- Índice de remuneração do capital; 2- Índice de remuneração do risco; 3- Índice de remuneração da inflação; e, 4- Índice de remuneração do governo (imposto de renda), que no nosso caso é de 20% sobre todos os demais. O componente de maior expressão na composição da nossa taxa básica de juro é o risco, seguido da inflação. Bastaria, portanto, que o risco recuasse à metade do que está hoje e teríamos uma redução brutal dos spreads bancários.

O RISCO CONTROLA O INVESTIMENTO

Traduzindo: se o Copom aumenta a taxa Selic em um ponto percentual e, na contra partida o nosso risco-país recua 50 pontos (10%, aproximadamente) temos como resultado uma queda efetiva e brutal dos juros bancários. Por conseqüência, um notável aumento no nível de investimentos. Aí está, portanto, a prova de que o juro puro, em tese, controla a inflação, e o risco (quando superior ao juro puro) controla o investimento. Quando a imprensa perceber esta lógica e os empresários idem, a sociedade estará mais inteligente. E a economia mais tranqüila.

CONCLUSÃO

Hoje, o risco Brasil está perto de 450 pontos. Imaginem se estivesse no patamar do Chile, que é de 80 pontos. A situação seria bem melhor para as nossas contas públicas e privadas. O que está custando caro para nós, e que ainda propõe um risco elevado, foram as besteiras feitas no passado, como o não cumprimento dos contratos e a nossa moratória, ainda não esquecida no mercado internacional. Some-se isto ao discurso do PT antes da eleição de Lula (que está bem definido na série histórica do nosso risco-país) e fica bem mais fácil de entender.

COMBUSTÍVEIS

Como é inevitável que em algum momento seja feito o reajuste dos combustíveis, que o seja ainda este ano. Caso contrário, a inflação de 2005 é que será contaminada pelo alinhamento dos preços. Ao fazer ainda em 2004, ao menos deixa o problema no exercício findo.

Leia mais