Artigos

07 jul 2005

DÉFICIT ZERO? OU DÉFICIT MIL?


REAÇÕES BEM CONHECIDAS

Como já se esperava, as propostas para que venhamos a conseguir no futuro um déficit zero nas contas brasileiras tiveram algumas reações. Mesmo desconhecendo o assunto, o prazer de certos, e conhecidos, incompetentes é sempre mandar contra qualquer coisa que possa nos tirar do atoleiro. Enfim, já é evidente que a pretensão da eliminação das causas do nosso endividamento, e, conseqüentemente, dos juros e risco altos praticados no Brasil vai sempre encontrar barreiras complicadas de serem transpostas.

CAOS TOTAL

O curioso é que os mais contrários à necessária decisão de controlar e reduzir as despesas públicas, não são aqueles que mais ganham com os juros altos. São os esquerdistas, que assim se definem por terem a ideologia do atraso e, por isso, não suportam qualquer medida inteligente. O negócio deles, como se sabe, é a pregação contínua de não pagar dívidas e pregar o caos total, infelizmente.

ENLOUQUECIDOS

Na reunião-jantar de anteontem, que discutiu as preliminares para enviar uma PEC ao Congresso, que visou iniciar entendimentos sobre o necessário déficit zero e, quem sabe, um superávit nominal, a reação de vários oposicionistas e, principalmente, dos poucos petistas enlouquecidos que estavam presentes, pode acabar inviabilizando o projeto. Tomara que eu me engane, mas é pouco provável.

RETRÓGRADA

Vejam, por exemplo, a alegação infantil e retrógrada da despreparada deputada Maria do Rosário: esta proposta não contribuiria para aquilo que nós pensamos em fazer, que é uma transição para uma nova política econômica menos ortodoxa e mais vinculada aos interesses da sociedade brasileira. Ou seja, a deputada quer mais gastos e menos economia. Conhece nada de economia e muito de populismo a deputada.

DÉFICIT MIL

Já uma tal de professora Eliana Cardoso foi mais além dizendo: o que é novo é ruim, e o que é bom é velho. Ridículo, não? Principalmente se for considerado que o velho, aqui no Brasil, é só aumentar despesas e impostos. Aliás, ontem, durante o depoimento de Marcos Valério, os restantes deputados conseguiram andar na contramão da idéia ao aprovar uma série de projetos que, todos, aumentam em muito as despesas de governo. De novo: todas. Pior, foram aumentos de salários e de contratações de dois mil servidores para o TSE. Que tal? Alguém acredita em déficit zero? Deste jeito é déficit mil.

OUT-DOOR SOFRÍVEL

A preocupação do vereador de Porto Alegre, Sebastião Melo, do PMDB, de querer aparecer em vários out-doors espalhados pela cidade, pode servir para o colocá-lo em posição ridícula. Primeiro porque mostra não saber distinguir empresas de leasing com bancos. Confundiu tudo. Além disso, o outdoor contém uma pergunta lamentável feita do vereador:

por que os bancos não pagam impostos?

Onde? Quando? Será que Melo não teve a capacidade de ler um balanço sequer de qualquer instituição financeira? Depois muita gente não sabe qual a razão de juros tão altos no Brasil.

Leia mais

06 jul 2005

O FIM ESTÁ MUITO PERTO


O PRINCÍPIO

Os meus leitores, e todos aqueles que me acompanham ao longo destes anos, sabem perfeitamente que não gosto e que nunca gostei do PT. E sempre fundamentei os meus posicionamentos pela defesa da economia de mercado, pelo respeito aos contratos, pela forte desregulamentação da economia e pela não intervenção do governo na economia, entre outras coisas. Tudo que os petistas detestam nos mais diversos setores do partido. Nunca concordei, portanto, com a ideologia petista e com atraso que seus pregadores sempre nos propuseram usando a enorme ignorância da sociedade.

AS RAZÕES PERMANECEM

O tempo, porém, nunca foi suficiente para provar que a minha lógica estava correta. Muita gente permanece ainda com a idéia de que as minhas críticas nada mais são do que um forte revanchismo, raiva ou contrariedade provocados pelas perseguições que sofri. É possível que, pela forma sempre muito ácida e polêmica da minha comunicação, até tenha contribuído para este sentimento. Mas, com certeza, as razões por mim apresentadas são infinitamente maiores do que alguma emoção que possa ter sido perpassada.

FOGO DESTRUIDOR

Hoje, por outras linhas, muitas coisas estão tão evidentes que a minha razão permanece intacta. Vários articulistas engrossam também a lista daqueles que passaram a escrever e falar, freneticamente, sobre a crise e as práticas perigosas dos componentes do governo Lula. Mais: tudo aquilo que veio à tona até agora fala por si, sem que seja necessário mais combustível para aumentar o fogo destruidor.

SEM SURPRESAS

E a cada dia os brasileiros estão deixando de se surpreender, de que o governo Lula pode estar próximo do fim. Não se sabe ainda se por processo de impeachment, por vontade própria do presidente ou por alguma denúncia ainda não apresentada. O que se sabe, com muita certeza é que o sentimento público vê cada vez mais crescente a sensação de fim de governo. As denúncias estão se aproximando velozmente das portas do palácio do Planalto.

QUESTÃO CURRICULAR

Uma coisa muito séria não está sendo divulgada, mas que é mais do que necessária para esclarecimento à opinião pública: a maioria dos petistas que fundaram o partido tem, nos seus currículos, procedimentos extremamente desabonadores. Participaram, como é sabido, de assaltos a bancos, de saques ao patrimônio público e outras peripécias criminosas. Ora, quem sempre praticou crimes de estelionato, mudaria de comportamento chegando ao governo? Deixariam de assaltar os cofres públicos? Alguém, gente, de sã consciência, poderia esperar outra coisa dessa gente? Certamente que não.

MARKETING INICIAL

Faltava, todavia, acabar com o marketing inicial, a mentira declarada, com a fundação do PT, de que a partir de então a honestidade teria chegado à política. Pronto, acabou. Agora todos já sabem que o PT, como estrutura partidária, é, indiscutivelmente, o partido político mais desonesto e o mais corrupto da história do Brasil. Muitos petistas, a bem da verdade, não são e nunca foram desonestos. Mas a estrutura do partido é. E provou isto.Os demais partidos políticos já mostraram para a nossa sociedade que tiveram e têm, nos seus quadros, vários políticos desonestos e corruptos, mas as suas estruturas partidárias nunca foram atingidas, como foi o caso atual do PT. Ou seja, quem tem um passado condenável não poderia deixar de ter um péssimo presente. Quem conhece os princípios leninistas, o que é perseguido religiosamente pelo PT, sabe perfeitamente que o lema de Lênin sempre foi claro: não interessam os meios para que os fins sejam atingidos. O projeto de Poder do PT mostra que foi com princípios leninistas que posicionaram o partido quando ganharam as eleições.

Leia mais

05 jul 2005

A GRANDE DERRUBADA


STRIKE

A derrubada de ministros, secretários do PT e dirigentes de estatais, é a prova do strike que Roberto Jefferson conseguiu no seu certeiro arremesso já no início do jogo de boliche político-corrupto. Como muitas novas jogadas deverão acontecer até que partida esteja finalizada é provável que o PT ainda acabe colocando o presidente Lula entre os paus que estarão dispostos para serem possivelmente derrubados pelo exímio jogador RJ. O televisionamento dos jogos, na arena da CPMI, garantirá o espetáculo para todos com direito a melhores lances. De olho.

SEM CURA

Como a corrupção já está identificada no DNA de muita gente, nem os escândalos deflagrados e descobertos estão tirando o medo e o prazer de certas pessoas em continuar praticando o crime. Ontem, em Porto Alegre, houve mais uma descoberta, graças a uma gravação onde um fiscal da SMIC ? Secretaria Municipal de Indústria e Comércio ? propõe um acerto para liberar o funcionamento de uma casa noturna. Viva a corrupção.

PELA CASSAÇÃO DE HH

Entre a voz, a ideologia e as proposições da senadora Heloisa Helena e os políticos corruptos, confesso que acabo nutrindo mais simpatia pelos corruptos. Ela é tão insuportável com seus argumentos e maneiras, que é impossível ficar ao lado da senadora. As cassações de mandatos não deveriam se restringir só a falta de ética e atos de malversação dos recursos públicos. Deveriam ir até ao procedimento e manifestações dos ensandecidos. Voto pela cassação da HH.

COLLOR X LULA

Em diversos programas de rádio e televisão não são poucos os petistas que ainda crêem existirem manobras para prejudicar o partido. De tão embriagados estão deixando de enxergar o óbvio e de declarar que finalmente sucumbiram. Enlouquecidos, também não acordaram para a realidade de que foram os seus aliados que levaram o partido e os petistas a esta situação insustentável. Comparando com Collor, que perdeu o mandato por uma Elba e por um empréstimo de 5 mm de dólares numa operação Uruguai, o PT de Lula deveria ser expulso do país por cem anos.

HABEAS CORPUS

O pedido de habeas corpus feito pelo publicitário (?) Valério ao STF, já demonstra o seu grande interesse em não querer convencer a quem quer que seja daquilo que vai dizer, e que certamente vai mentir ou suprimir coisas, no seu depoimento, amanhã, na CPMI. Só por isto já deveria ser levado algemado à CPMI.

EQUÍVOCO

O governo do RS conseguiu mais uma proeza. E equivocada, diga-se de passagem. Ao publicar a lista de devedores do ICMS, simplesmente não separou aqueles que devem sem justificativa, e os que estão discutindo o tributo na Justiça. Só é devedor inadimplente quando a discussão estiver encerrada, quando não há mais o que contestar. Até que a sentença seja dada, o Estado também está implicado como um pretenso mau arrecadador. Ou um arrecadador equivocado e perigoso. Vai se dar mal na sua experiência.

Leia mais

04 jul 2005

DÉFICIT ZERO


NOVO REGIME FISCAL

O choque fiscal, tardiamente pretendido pelo governo, ou um novo regime fiscal para que as taxas de juros possam ceder de forma responsável e consistente, é possível no Brasil, embora totalmente improvável. Basta, como pretendem alguns heróis, na reunião que deve acontecer hoje à noite sob a batuta de Delfim Neto, buscar um consenso para aprovar o chamado déficit zero.

DECISÃO DIFÍCIL

Com esta difícil decisão, a qual deveria ter sido tomada há muitos anos, o governo poderia finalmente deixar de tomar todos os recursos existentes no mercado. O que levaria, sem dúvida alguma, para uma queda das taxas de juros a percentuais ínfimos e plenamente suportáveis. E junto com elas o risco país.

RECEITA MENOS DESPESA

Todas a vezes que o tal de superávit primário é mencionado na mídia fico cheio de arrepios pelo sentimento que o mesmo provoca na nossa pobre sociedade. Primeiro, porque é uma sociedade sem discernimento e extremamente ignorante em economia. Segundo, que os gastadores de plantão querem acabar com a economia feita e queimar tudo em ditos programas sociais que nada tem de social, mas de pura corrupção. E, terceiro, que ao lembrar o superávit primário e imaginar que estamos curados dos males que nos afligem, esquecem que persistimos no déficit nominal, que é o resultado real das nossas receitas menos despesas.

CORTAR DESPESAS

Não sei porque as despesas financeiras do país, com a necessária rolagem da dívida interna, deixam de ser consideradas sempre na exposição do déficit. O superávit primário, por maior que tenha sido, não satisfaz a nossas despesas com juros e financiamento do governo. E é exatamente isto que deverá ser discutido para tentar o déficit zero. Ou seja, cortar as despesas a ponto de caber tudo no orçamento. As receitas devem e precisam cobrir as despesas todas. E não só uma parte delas, a ponto de aumentarmos sempre o nosso poderoso endividamento.

TIRANDO O MONSTRO

Se houver vergonha na cara e o déficit zero realmente venha a acontecer, a situação poderia mudar de forma espetacular. Sem o Estado para ficar com toda a poupança disponível, sobrarão recursos para investimentos. O setor público deixando de ficar com todo o dinheiro existente no mercado irá promover um salto de desenvolvimento. E os juros, pela retirada deste monstro tomador, cairão pela continuidade da oferta maior dos aplicadores. Só falta uma coisa: me belisquem, para ter certeza de que estou acordado.

ACABAR COM O SENADO

Para contribuir com esta necessária redução drástica de despesas e tornar viável o déficit zero, Roberto Jefferson deu uma boa pista. E aproveito para dar outra. Diminuir o número de três deputados por Estado, como defendeu Jefferson no seu depoimento, já seria fantástico, além de absolutamente necessário. Pois vou além. É preciso acabar também com o próprio Senado. Se alguém me apontar uma razão para a existência deste monstro público, que atire a primeira pedra.

Leia mais

01 jul 2005

ROBERTO JEFFERSON - O INCONTESTÁVEL


O HERÓI DA SEMANA

Mais do que nos jogos da seleção brasileira de futebol, ou em alguma partida de final de campeonato, o depoimento de Roberto Jefferson, ontem, na CPMI da corrupção foi o evento que teve maior índice de audiência do ano. Além do fabuloso espetáculo, o programa se predispôs ainda a ter flashes de melhores lances depois da longa apresentação. Fantástico.

PAUTA

Além de estar pautando claramente a própria imprensa, Jefferson vem pautando constantemente também a própria CPI, o governo Lula, o telespectador e tudo o mais. Tudo porque está dizendo só o que já aconteceu e o que vem acontecendo. Sem precisar provar coisa alguma. Aliás, as coisas ditas e repetidas pelo líder do PTB acabam todas se transformando em um festival de provas incontestáveis.

COMPROMETIDOS

Já no início de seu depoimento, ontem, deixou todos os parlamentares comprometidos e passíveis de sofrerem investigações. Nenhum dos presentes contestou, e nem poderia, as prestações de suas próprias contas das campanhas que os elegeram. Todos mentiram e por isto todos ficaram quietos, silentes. E para quem defende verbas públicas para eleições precisam saber que o dinheiro destinado às campanhas é o mesmo que deixará de satisfazer a sociedade em educação, saúde e assistência social.

MÃOS LIMPAS

Infelizmente, pelo volume de sujeira que o Brasil vem acumulando ao longo dos séculos, não teremos tão cedo uma operação tipo - mãos limpas ? como ocorreu na Itália. Para tanto seria preciso eliminar os focos da bandalheira e adotar sistemas mais imunes à corrupção. Aí, duas coisas são fundamentais: 1- privatizar urgentemente tudo o que está nas mãos do Estado. Isto, pela formação e pelos costumes do povo, é simplesmente impossível; e, 2- Afastar todos os políticos e começar um novo programa, onde o passado de cada candidato, ou pertencente a quadro partidário, fosse devassado e, posteriormente acompanhado de perto nos seus atos.

TODOS SUSPEITOS

Esta idéia também não prosperaria porque dependeríamos dos atuais parlamentares, todos suspeitos, para votarem tal projeto. Portanto, a única coisa que resta é curtir, neste mar de lama, os momentos espetaculares que as televisões nos mostram diariamente. Cheios de emoções, das descobertas ocasionais das trambicagens praticadas diariamente pelos nossos representantes. Viva.

PEC PARALELA

No meio de tantas CPIs, ainda sobrou tempo para alguma votação no senado, ontem. E o que foi possível acabou sendo uma péssima notícia para a sociedade. A PEC Paralela da Previdência foi aprovada estragando o que já não era bom na chamada reforma da Previdência. Os cortes de alguns privilégios acabaram neutralizados com a aprovação da PEC. Se já vivemos um inferno pela paralisação do Congresso, o que é aprovado é mais prejudicial. Maravilha.

BÓRIS CASOY

A entrevista de Bóris Casoy ao -Portal Imprensa- dá uma idéia clara de como o PT age em todas as regiões do Brasil. Se a entrevista fosse feita comigo, as respostas seriam idênticas, pois o ocorrido com Bóris foi igualzinho ao meu caso aqui no RS. Se alguém ainda tinha dúvidas sobre o tratamento e as perseguições, sugiro que leiam a entrevista. Serve para esclarecer que não se trata de um complexo adquirido daqueles que se julgam perseguidos pelos comunistas governistas.

Leia mais

29 jun 2005

AS SECRETÁRIAS E AS CPIs


FOFOQUEIRA

Assim como não existe homicídio sem cadáver, também não existe CPI sem o depoimento de alguma secretária ou motorista. E o depoimento de Fernanda Somaggio, que foi secretária do tal de Valério até janeiro de 2004, foi considerada pela mídia como enfática e patriótica, embora ela tenha sido muito mais uma fofoqueira, pelas suas declarações, ontem, na CPI dos Correios.

NO GRITO

Como sempre, há também aqueles parlamentares que fazem perguntas idiotas sem se importar com suas indagações ou com o que lhes é respondido. Contando com a célebre ignorância de seus eleitores-telespectadores mais querem aparecer do que mostrar alguma inteligência. Por isso as CPIs tem um compromisso mais eleitoral do que de esclarecimento. Há também aqueles que usam o expediente dos atores das novelas televisivas, onde gritar é melhor do que ouvir respostas.

QUEBRA DE SIGILO

De qualquer forma, a secretária Fernanda trouxe informações relevantes sobre as viagens e os saques bancários feitos pelo seu antigo chefe. Como o período em que trabalhou na agência foi curto, e a partir de janeiro de 2004 não se têm informações, imagino o que aconteceu mais recentemente, a partir de fevereiro de 2004 até junho de 2005. Se houver a quebra do sigilo bancário do meliante em potencial, o montante vai chegar às nuvens, com certeza.

SEM PROVAS

É fato e notório que o tal de Valério não ficou com o dinheiro. E, por ter sido o mesmo distribuído em espécie, será difícil, ou melhor, impossível obter prova de quem recebeu e o quanto foi distribuído para cada bandido. Este dinheiro, podem estar certos, nunca mais vai retornar aos cofres das estatais, até porque ele faz parte da comissão que a agência recebeu pela publicidade realizada.

PRIVATIZAÇÃO URGENTE

Em suma, esta CPI pode e irá mesmo sugerir prisões e investigações, mas não acabará com o processo de corrupção. A única coisa que pode diminuir bastante tais absurdos é a privatização imediata de todas as empresas públicas. Restarão, no entanto, as verbas utilizadas para publicidade do governo, o que ainda admite a continuidade da vigarice.

METRÔ

Tentando obter forças aliadas para poder governar de alguma forma até 2006, o governo admite liberar verbas para a construção de metrôs nas capitais do Ceará, Bahia, Pernambuco e Minas Gerais. Como o RS continua até sem uma boa estrada para ligar o estado ao país, sequer consta na lista para que a sua capital, Porto Alegre, tenha alguma chance de ter um metrô. Pois é, gaúcho que quiser andar de metrô vai precisar viajar para o nordeste, gente. Que além de praias maravilhosas serão também mais modernas. Viva.

PMDB

Esperto, o PMDB está tirando o máximo proveito da situação. Jamais querendo desembarcar do Poder está fazendo beicinho para tudo. Agora alguns líderes do partido chegam a dizer que o único cargo que desejam é o de presidente do Brasil. De forma organizada todos estão fazendo o papel que lhes é definido. Alguns se manifestam contra, alguns outros a favor e outros mais, em silêncio. E assim vão ganhando o tempo necessário para conquistarem seus objetivos.

Leia mais