Artigos Anteriores

PROGRAMA MAQUIAVÉLICO - 02

ANO XIV - Nº 007/14 -

TRANSIÇÃO PARA O SOCIALISMO

Continuação do editorial de ontem...O tema mais importante, que reflete o conteúdo central dos CADERNOS DO CÁRCERE, é o pensamento político do autor, que traz contribuições inéditas e atualizadas ao marxismo e uma concepção pertinente da estratégia de tomada do poder, denominada TRANSIÇÃO PARA O SOCIALISMO.

CONCEPÇÃO AOS PAÍSES OCIDENTAIS

Na sua obra Gramsci resolveu construir uma concepção melhor aplicável às sociedades OCIDENTAIS (países capitalistas e/ou liberal-democratas) do que a estratégia marxista-leninista, que saiu vitoriosa na revolução bolchevista da Rússia (considerada tipo ORIENTAL). Na época, a Revolução Russa se tornara o modelo clássico, dogmático, para a Internacional Comunista.

OBRA PUBLICADA EM 1948

Quando Antonio Gramsci faleceu, sua cunhada Tatiana Schucht remeteu os CADERNOS para Moscou, onde chegaram às mãos de Palmiro Togliati, líder comunista italiano e camarada do autor. Togliati, no entanto, só conseguiu organizar a obra após o término da 2ª Guerra Mundial (1939-1945). Assim, em 1948 publicou os CADERNOS DO CÁRCERE em seis volumes, saídos em sequência entre 1948 e 1950. Foi quando o pensamento de Gramsci foi colocado à disposição da intelectualidade mundial.

NO BRASIL EM 1962

No Brasil, as primeiras iniciativas para publicação de uma tradução dos CADERNOS DO CÁRCERE tiveram início em 1962. No final da década de 1970 a obra foi reeditada e a partir de então Gramsci foi, finalmente, introduzido à intelectualidade do país. Detalhe: à época, a obra foi considerada uma contribuição muito importante para a formação de um novo espírito revolucionário da esquerda brasileira.

A CRIAÇÃO DO FORO DE SÃO PAULO

Em maio de 1990, seis meses depois da queda do muro de Berlim (novembro 1989), Lula, Fidel Castro e alguns representantes de organizações terroristas da América Latina fundaram, em São Paulo, o (até hoje pouco conhecido e/ou divulgado) FORO DE SÃO PAULO. Esta organização, declarada pelos organizadores, como comunista, foi criada com o propósito, jamais desmentido, de transformar a América Latina no novo Eixo Comunista que acabara de ser esfacelado no leste Europeu.

INSTRUMENTO ESTRATÉGICO

Pois, naquela ocasião, os fervorosos membros do Foro de São Paulo elegeram, por unanimidade, a obra de Antonio Gramsci como o instrumento ESTRATÉGICO a ser seguido para fazer com que os partidos de esquerda chegassem ao Poder, nos países dos membros do FSP.

PASSO A PASSO

Como o PT almejava o Poder, a ordem firme emanada pelos dirigentes do partido, foi a de adotar, ipsis litteris, o programa desenvolvido por Gramsci. Assim, o livro CADERNOS DO CÁRCERE se transformou num legítimo Vade Mecum (que instrui o leitor a fazer tarefas de forma disciplinada). ATENÇÃO: A obra de Gramsci, como se vê, é um PASSO A PASSO. Coisa que os liberais e os social-democratas não têm, porque nunca construíram. Exatamente por isso não sabem por onde se começa uma verdadeira e correta resistência a este Plano Maquiavélico.Continua....

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • IPI
    O governo parece pronto para atender o pedido do setor privado. Assim deverá prorrogar a redução da alíquota do IPI para automóveis, que vence no final do mês. Mantega, também deve anunciar a renovação da redução do IPI para produtos da linha branca, como fogões e geladeiras.
  • BRASIL X CHILE
    Enquanto o nosso BC não para de diminuir a taxa de crescimento do PIB brasileiro, no Chile a situação é inversa: o BC daquele país voltou a revisar o crescimento do PIB 2012 (para cima). De 5,25% para 5,5%. Que tal?
  • IGP-M
    O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) subiu 0,69% na segunda prévia de dezembro, após cair 0,16% no mesmo período de novembro, influenciado pelo avanço dos preços tanto no atacado quanto no varejo.
  • SÓ VENDO
    A presidente Dilma Rousseff disse que vai autorizar o reajuste dos preços da gasolina em 2013. Será que o caixa Petrobrás aguenta até lá? Só vendo, gente.

FRASE DO DIA

Uma civilização é um movimento, não uma condição; uma viagem, não um porto.

Arnold Toynbee