Artigos Anteriores

O TRISTE JORNALISMO DA GLOBO

ANO XIV - Nº 007/14 -

JORNAL NACIONAL

Como profissional que atua na área da comunicação desde 1986 (lá se vão 33 anos) confesso que estou pasmo com a maneira que a rede Globo resolveu, nesses últimos anos, praticar o que, neste momento, só ela está classificando de JORNALISMO SÉRIO, DE QUALIDADE, como referiu, ontem, o âncora do Jornal Nacional, Wiliam Bonner.

PERDA DA CREDIBILIDADE

Nunca imaginei como possível que o JN, que galgou o posto de principal telejornal brasileiro como sinônimo de credibilidade jornalística, fosse capaz de colocar no ar uma matéria falsa, asquerosa e, principalmente criminosa, como fez na última 3ª feira, quando tentou induzir seus telespectadores para que acreditassem que o presidente Bolsonaro estava envolvido na morte da vereadora Marielle Franco. Um horror.

EDIÇÃO DE ONTEM

Pois, o que me deixou ainda mais pasmo, embora nada surpreso, é que na edição de ontem do JN, mesmo depois da confirmação de que a notícia do envolvimento do presidente Bolsonaro, como suspeito da operação que resultou na morte da vereadora, era totalmente FALSA e IMPROCEDENTE, os âncoras Wiliam Bonner e Ana Paula Araújo (substituindo Renata Vasconcellos) não recuaram um milímetro no sentido de tentar corrigir o erro grosseiro.

DISPOSIÇÃO FIRME

Mais: as fisionomias do Bonner e da Ana Paula/Renata deixaram bem claro que continuarão com a firme disposição de  seguir atacando o presidente do Brasil, como de resto acontece, com total transparência, em todos os programas produzidos pelas organizações Globo, desde o momento em que Jair Bolsonaro resolveu se candidatar ao cargo de presidente.

ATOS RELEVANTES

No meu claro entender faço questão de afirmar que o presidente erra quando afirma que vai dificultar a renovação da concessão das emissoras de rádio e TV da Globo, em 2022. Isto soa como uma atitude ditatorial e de perseguição totalmente inadmissível. Entretanto, o presidente acerta -na mosca- ao cortar as VERBAS DE PUBLICIDADE do governo e das estatais. Afinal, publicidade governamental só cabe para divulgar ATOS RELEVANTES.

SEM TRÉGUA

Aliás, a bem da verdade e dos fatos, a atitude -porca- das organizações Globo tem uma reposta clara e inconfundível: enquanto permanecer o corte da magnífica VERBA DE PUBLICIDADE, certamente não haverá espaço para uma mínima trégua. 

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • JORNALISMO INVESTIGATIVO

    A propósito do editorial de hoje, eis o texto de Doca Ramos Mello - JORNALISMO INVESTIGATIVO -:

    A globoiada está desvendando antigos fatos e crimes sem solução, graças à interminável luta de sua equipe de jornalismo. Acompanhe:

    TIRADENTES – a globoiada descobriu o verdadeiro traidor da Inconfidência Mineira: Joaquim João de Bolsonarim, mineiro de Santa Rita conhecido como Come Quieto, contraparente distante do atual Presidente do Brasil. De índole rasteira, Bolsonarim se infiltrou no movimento só para saber o que acontecia por lá para depois contar tudo à Coroa. Bolsonarim nunca prestou.

    GOLPE DE 64 – foi uma armação do tenente-coronel Abdias Morais de Bolsonaro, militar ordinário inimigo do Brasil. Foi ele que organizou o Dops, com o objetivo de torturar quem visse pela frente, usando métodos horríveis como choques elétricos nas partes íntimas. Abdias era conhecido como Bolsonaro, o Torturador. Era um canalha, diz a globoiada.

    BANDIDO DA LUZ VERMELHA – a globoiada já sabe seu nome verdadeiro. Claudionor da Veiga Bolsonaro, criminoso temido.

    ASSASSINATO DE MARIELLE – apesar de desconhecida até o dia em que foi assassinada, a moça ganhou notoriedade depois de morta porque conseguiu, antes de morrer, balbuciar o nome de seu assassino. Ela disse: “Bo...bol...bolso...bol...so..naro”. A mesma coisa aconteceu com o prefeito Celso Adiel e com Doninho, prefeito de Campinas. Adiel escreveu na areia onde seu corpo caiu, antes de morrer: “Bolso...nar...” - para bom entendedor, um risco é Francisco. Doninho deixou carta incriminando certo B/aro por qualquer coisa ruim que pudesse acontecer com ele.

    CINDERELA – a globoiada investigou e contou ao mundo que quem escondeu o sapatinho de cristal para atrapalhar a vida da moça foi o arqueiro Arthur de Bholsonarius, que tinha inveja da moça porque queria ser ele o eleito do príncipe...

    O SÍTIO E O TRIPLEX – os dois pertencem, na verdade, ao russo Dimitri Ordinarikis Bolsonaritcheviski, operador de um sistema de corrupção montado pelo imperador Karlus Bolssonarukoviski e seus irmão meliantes, para f#@* a vida ilibada do cabra.

    O REI SUMIU! – a globoiada ainda não sabe quem desapareceu com D. Sebastião, o Desejado, mas já têm uma pista. O nome do bandido começa com Bol e termina com aro.

    DOCA RAMOS MELLO - alguém acendeu o fósforo para Nero-.

  • MÚSICA NA PRAÇA

    Hoje, quinta-feira, dia 31, irão acontecer as últimas apresentações da segunda temporada do Música na Praça de 2019. Após oito semanas de espetáculos musicais gratuitos, os artistas Bruno de Ros, Brunno Bonelli, Cleiton Amorin e Eduardo Pitta se preparam para shows que fecham a agenda deste ano, e que irão acontecer nos shoppings Bourbon Assis Brasil, Bourbon Wallig e Moinhos Shopping, em Porto Alegre e no Bourbon Novo Hamburgo.

    O público ainda pode participar das enquetes que ajudam a definir o repertório que fará parte dos espetáculos, novidade de interação apresentada na edição 2019 do projeto. As votações são realizadas na fanpage da rede Bourbon e do Moinhos Shopping no Facebook. Os shows têm início às 19h e são abertos ao público.

FRASE DO DIA

Os números e os fatos não mentem, mas os mentirosos fabricam números e fatos.