Artigos Anteriores

O REFLEXO DO ESPELHO

ANO XIV - Nº 007/14 -

INSTITUIÇÕES FUNCIONANDO

Cada vez que ouço, ou leio, os velhos e cansativos -OTIMISTAS SEM CAUSA-, dizerem que mesmo diante de tantos e poderosos ataques contra a pouca ORDEM e insignificante PROGRESSO do nosso empobrecido Brasil, as nossas INSTITUIÇÕES seguem funcionando, a minha desconfiança aumenta.

O REFLEXO NO ESPELHO

Infelizmente, só pouquíssimos brasileiros são capazes de perceber que depois das mais variadas decisões tomadas pela Corte Suprema, e outras tantas em outras instâncias do Judiciário, que ao colocar o mapa do Brasil em frente ao espelho, a imagem que aparece do outro lado é o mapa da Venezuela.

NARCOTRÁFICO

A rigor, todas as Instituições, em qualquer país do mundo, funcionam de acordo com a vontade de quem detém o PODER. Vejam que no nosso empobrecido Brasil, mais do que sabido, os líderes do narcotráfico, mesmo aqueles que estão presos, seguem comandando suas operações. Ou seja, as -Instituições- funcionam de acordo com suas vontades.

NEOCOMUNISMO

Pois, da mesmíssima forma, o ex-presidente Lula, mesmo de dentro da prisão, em Curitiba, segue comandando as ações petistas e/ou neocomunistas. Contando com um exército de colaboradores lotados em cargos  com grande poder de influência nas mais diversas -Instituições-, notadamente no STF, Lula pinta e borda obedecendo aos princípios gramscistas defendidos pelo Foro de São Paulo.

FIQUEM ESPERTOS

Portanto, antes de tudo sugiro aos poucos -não influenciados- que fiquem espertos. As Instituições, no nosso empobrecido Brasil, onde a democracia é apenas um sonho e não uma realidade como muita gente pensa, realmente estão funcionando. Como sempre funcionaram, ou seja, de acordo coma vontade daqueles que estão no comando. 

COMUNISTAS INFILTRADOS

É óbvio que o território brasileiro é muito maior do que o território venezuelano. Entretanto, a imagem que o espelho passou a refletir a partir do momento em que PT assumiu o governo, quando tratou de infiltrar  poderosos comunistas por todos os cantos da administração pública, começou a ganhar contornos que guardam forte semelhança com a Venezuela de Hugo Chaves e Nicolás Maduro. 

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • FOCUS

    Eis a pesquisa Focus desta semana (saiu hoje por conta do feriado de São Paulo, ontem):

    1- a projeção para o IPCA ao final de 2018 avançou de 4,03% na semana anterior para 4,17%, enquanto a projeção para o final de 2019 continuou em 4,10%. Para 2020 e 2021, as estimativas do IPCA seguiram em 4,00%. 

    2- a estimativa para a taxa de câmbio ao final de 2018 continuou em R$ 3,70/US$, e permaneceu em R$ 3,60/US$ ao final de 2019.

    3- a projeção para a taxa de crescimento do PIB em 2018 recuou de 1,55% para 1,53%, enquanto a estimativa para o ano que vem ficou estável em 2,50%. 

    4- a projeção para a taxa Selic, por sua vez, continuou em 6,50% ao final de 2018 e permaneceu inalterada em 8,00% ao final de 2019.

  • O PAÍS DAS DESPESAS

    Antes de iniciar o recesso parlamentar há, no Congresso Nacional, uma complicada fila de projetos que podem aumentar despesas públicas. Eis:

    1- Na frente da fila na Câmara, como informa o atento economista Ricardo Bergamini, um projeto permite criar pelo menos 300 novos municípios.  Isto significa mais prefeitos, vereadores e toda uma estrutura burocrática pressionando por dinheiro público para bancar tudo isso. Detalhe: o projeto já passou pelo Senado.

    2- Outra proposta permite que prefeituras com queda de receita e gastos de pessoal fora de controle fiquem livres de restrições da LRF - LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL e possam, por exemplo, receber dinheiro do Governo Federal para obras.

    3- O Senado pode votar hoje, terça-feira (10), um projeto que vai contra uma decisão do governo tomada no meio da greve dos caminhoneiros: senadores querem restabelecer benefício fiscal ao setor de refrigerantes. Esse dinheiro, R$ 740 milhões, era para bancar parte da queda do preço do diesel.

    4- E tem a medida provisória que cria um preço mínimo para o frete. O texto ganhou uma emenda do deputado Nelson Marchezelli, do PTB, que abre caminho para anistiar as multas de trânsito e sanções aplicadas nos onze dias de bloqueios.

    Sanções que dizem respeito também a transportadoras que não obedeceram a ordem judicial de desobstruir as rodovias. O ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes aplicou R$ 715 milhões em multas, dinheiro para os cofres públicos. A Advocacia-Geral da União afirma que as multas judiciais não podem ser perdoadas por projeto de lei.

    O governo sabe que as contas vão terminar no vermelho, um rombo de R$ 159 bilhões. E a equipe econômica vem fazendo pressão junto aos presidentes da Câmara e Senado para que barrem propostas que possam aumentar o descontrole nos gastos públicos, como a que cria os novos municípios. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, pautou o projeto para votar, mas disse que foi a pedido de líderes de partidos.

    O economista Adeodato Volpi Netto, alerta que essas medidas visam acomodar interesses agora, sem pensar nos próximos anos. “Estão tentando criar caminhos e ferramentas para tirar dinheiro ou para colocar dinheiro extraordinário em um orçamento que não tem espaço. Qualquer movimento nesta direção vai piorar o dano e o impacto para 2019 e para o ano que vem depois”, afirma Adeodato, estrategista-chefe da Eleven Financial.

  • TURMINHA DA LIBERDADE

    Devido à grande quantidade de livros infantis com viés coletivista, socialista ou abordando pautas como ideologia de gênero, feminismo etc., o Instituto Liberdade e Justiça decidiu lançar este ousado projeto, encabeçado por nosso diretor presidente, o Dr. Giuliano F. Miotto.

    O projeto consiste no lançamento de uma coleção de livros e personagens relacionados a temas e autores liberais e conservadores, tais como Ayn Rand, Mises, Hayek, Scrouton, Kirk, Rothbard e outros.

    Os livros seguirão eixos como a importância do empreendedorismo, das liberdades individuais, do livre mercado, da responsabilidade individual, da ética e da educação com valores.

    O primeiro livro da série abordará o tema da ética objetivista e será uma estória de aventura sobre o sumiço do cãozinho Galt, tendo como inspiração o livro "A Revolta de Atlas", tudo dentro de uma abordagem infantil, para o público de 7 a 9 anos.

    O primeiro volume será lançado em dezembro e os demais em sequência, a cada três meses, acrescentando novos personagens do universo de autores liberais e conservadores, desdobrando as estórias sempre no sentido de educar nossas crianças através de princípios.

    Nosso crowdfunding está sendo lançado hoje no link: (https://www.kickante.com.br/campanhas/colecao-livros-criancas-pela-liberdade) .

FRASE DO DIA

Nosso século é o do enfarte.

U. Eco