Artigos Anteriores

INCOMPETÊNCIA COM TRANSPARÊNCIA

ANO XIV - Nº 007/14 -

PLANO PLURIANUAL E PROJETO ORÇAMENTÁRIO

Ontem à tarde, enquanto ouvia com total atenção a apresentação do Plano Plurianual (2016/2019) e da Proposta Orçamentária para 2016, feita pelo ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, fui fazendo anotações e analisando quais as pretensões deste infernal governo para o nosso pobre país. 

TRANSPARÊNCIA DOS NÚMEROS

A primeira consideração é quanto ao déficit orçamentário, no valor de 30,5 bilhões de reais para 2016, que o governo fez questão de manifestar dizendo, de forma enfática, que chegara o momento de valorizar a transparência dos números.  

META

Ora, como todos animais, racionais e irracionais, sabem, os governantes socialistas, além de administradores incompetentes são adeptos incondicionais da corrupção. Só por aí já se conclui que o déficit que foi colocado no Orçamento 2016 não será cumprido. Ficará, certamente, muito acima da meta fixada.

 

MENTIRA

Como se vê, o termo -transparência- que o governo resolveu usar para tentar minimizar a encrenca que o país está metido por força de uma administração temerária e desastrosa do PT, não cabe em hipótese alguma. A rigor, a única coisa que o governo não erra é quando diz que haverá déficit. Mas mente de forma brutal ao prever um rombo de apenas 30,5 bilhões para 2016. Pode? 

COMPARAÇÕES

Sugiro que os leitores leiam com atenção o item que trata das DESPESAS OBRIGATÓRIAS E DISCRICIONÁRIAS e tratem de fazer as devidas comparações com aquilo que o governo pretende arrecadar no próximo exercício. Salta aos olhos que será muito difícil o governo não aumentar os gastos pretendidos; e, diante da crise que se acentua a cada dia, mais difícil ainda será a obtenção da receita prevista. 

EMISSÕES

Como milagres não existem e mágicas não passam de ilusões, o governo, caso não logre êxito com a criação de novos impostos, ou amento de alíquotas dos já existentes, vai precisar se financiar através de emissões de mais títulos públicos. O que vai determinar endividamento maior em relação ao PIB e, por consequência, teremos mais INFLAÇÃO. Que tal?

TEM JEITO

Volto a repetir: o Brasil tem jeito. Precisa, no entanto:

1- mudar radicalmente a Matriz Econômica;

2- fazer reformas estruturais; e

3- uma Nova Constituição, escrita por notáveis que vivem em países adiantados. Por brasileiros nunca. 

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • ÍNDICE DE CONSUMO

    O Índice de Consumo (IC – CDL POA) apresentou queda de 8,82% no acumulado do ano, em maio de 2015. Em maio de 2014, mesmo mês do ano anterior, essa variação era de +8,02%. O índice captura o nível de consumo sem sazonalidade das famílias gaúchas e foi desenvolvido pela própria CDL Porto Alegre. O índice para maio de 2015 mostra que, em relação a abril de 2015, teve queda de 1,59%; em relação a maio de 2014, chegou a -11,79%; no acumulado no ano foi de -8,82% e, no acumulado em 12 meses, o indicador registrou -3,57%.

  • SINDILOJAS

    O Sindilojas Porto Alegre informa que na segunda-feira, dia 7 de setembro, dia em que é comemorada a Independência do Brasil, as lojas de rua e de shopping da Capital poderão atender com empregados. No entanto, para abrir seu estabelecimento, o lojista deve ter assinado a declaração de opção pelo trabalho em feriados e possuir a certidão de regularidade sindical emitida pelo Sindilojas Porto Alegre e pelo Sindicato dos Empregados no Comércio de Porto Alegre - SINDEC. Esta indicação vale para todos os feriados deste ano, exceto para o dia 25 de dezembro, Natal, conforme acordado na Convenção Coletiva de Trabalho. Mais informações no telefone (51) 3025.8300.
     

  • INSIGNIFICANTES

    Tomara que esteja enganado, mas confesso que estou com nítida impressão de que CAMPANHA ANTICORRUPÇÃO não levou o povo brasileiro a se entusiasmar. As necessárias assinaturas (1,5 milhão) para fazer valer a Lei de Iniciativa Popular, que tem como propósito dar um grande choque na CORRUPÇÃO, são insignificantes.
     

  • DÉFICIT HISTÓRICO

    Nos últimos 44 anos, em 37 ouve DÉFICIT nas contas públicas do RS. Ainda que cada governo encontrasse alguma forma de financiar os déficits, o fato é que chegamos ao inevitável ponto de esgotamento de fontes. Faltou, ao longo dos últimos 50 anos, portanto, a compreensão de que em algum momento o RS chegaria a esta situação. 

FRASE DO DIA

Contratempos são como facas, que nos servem ou nos cortam, conforme as pegamos pelo cabo ou pela lâmina.

James Russell Lowell