Artigos Anteriores

GADO FARDADO

ANO XIV - Nº 007/14 -

MISSÃO DAS FORÇAS ARMADAS

Muita gente não compreende que as Forças Armadas do Brasil (Marinha, Exército e Aeronáutica), têm como missão, constitucional, zelar pela defesa da Pátria e pela garantia dos poderes constitucionais. Ou seja, os militares são EDUCADOS E PREPARADOS para lutar (não garantir) a segurança da Pátria.

 

 

DEFENDER E NÃO GOVERNAR

Não é preciso frisar, portanto, que o papel das Forças Armadas se restringe a DEFENDER e não GOVERNAR, como de resto já ficou provado, por A+B, ao longo de 20 anos (1964/1985), quando os militares acharam por bem que deveriam administrar o Brasil. 

 


 

AMBIENTE DA CASERNA

Como é grande o número de brasileiros que -quer por que quer- a volta dos militares ao Poder, para estes sugiro que leiam, com o máximo de atenção, o que diz um militar da ATIVA, quanto ao ambiente -ideológico- que a caserna vive e respira neste momento, e tirem suas próprias CONCLUSÕES. 

 

GADO FARDADO

Ainda que a maioria dos brasileiros esteja convencida de que as Forças Armadas são uma corporação patrimonialista, positivista e conservadora, e que a esquerda não entrou nas escolas de formação de oficiais, o fato é que muita coisa mudou no ambiente militar, como informa o Capitão Lenilton Morato, oficial que está (ou estava) cursando a EsAO no presente ano, no texto a seguir, com o título GADO FARDADO.

Digo -estava- porque após a publicação do texto na internet, o oficial foi alvo de Apuração de Transgressão Disciplinar, sendo punido ao término. 

MARCAÇÃO E CASTRAÇÃO

Na cultura e na tradição gaúcha, existem dois eventos que são muito comemorados nas estâncias (fazendas): a MARCAÇÃO e a CASTRAÇÃO DO GADO. 

No primeiro, o ferro em brasa com as iniciais do dono do rebanho queima o couro da rês para que todos saibam a quem ela pertence.
No segundo, retiram-se os culhões dos touros, que passam a ser chamados de bois, com o objetivo de torná-los mais mansos e de engorda mais rápida, preparando-os para o abate.

 

NA SISTEMÁTICA DA ESQUERDA

Dentro da sistemática da esquerda, ocorre algo semelhante.

INDIVÍDUOS são marcados e castrados com a IDEOLOGIA DO PARTIDO. A MARCA, entretanto, só é perceptível quando a infeliz criatura abre a boca para repetir o batido discurso revolucionário, em apoio cego a toda forma de dominação intelectual, cultural, moral e religiosa.

A CASTRAÇÃO ocorre quando, ao observar potenciais opositores, a esquerda trata logo de capar as lideranças, seja através de perseguição ideológica, seja pela utilização de cargos em estatais para retirar dos opositores a vontade de lutar pelo que acreditam. Assim, tal qual nas estâncias gaúchas, o gado fica sob controle, esperando a hora do abate.

 

MARCANDO SARGENTOS

Dentro dos quartéis não é diferente. Mesmo antes da chamada redemocratização, a esquerda foi progressivamente marcando sargentos, oficiais e comandantes para que abraçassem o seu ideal de "um mundo novo é possível".

Progressivamente, a geração de militares nascidos e formados após a retomada do poder pelos partidos políticos foi sendo trabalhada para acreditar que o passado seria esquecido e que a anistia seria realmente para todos. Como coelhos, os cidadãos fardados foram caindo na armadilha. Foram marcados em sua mente, em sua alma para serem apolíticos, sem opinião ideológica formada. E pouco a pouco foram esquecendo os porquês da necessidade do movimento de 31 de março de 1964 e seu posterior enrijecimento.

Passaram a acreditar na história contada por aqueles que perderam a batalha militar, mas venceram a guerra cultural.

 

RETIRANDO O COMANDO

Aos poucos oficiais de alta patente que ousaram tentar manter viva a história daqueles conturbados anos, o partido tratou logo de castrá-los. Retirando o comando de muitos, enviando para a reserva outros tantos; a regra do jogo ficou muito clara: aqueles que se posicionarem a favor da Revolução Democrática de 1964 não poderiam ascender aos postos mais elevados da hierarquia militar.

E caso já os tivessem galgados, seriam castrados, ou seja, destituídos de seus grandes comandos e retirados para a inatividade. Assim, foi sendo minada a resistência militar aos mandos e desmandos da esquerda, ao mesmo tempo que promoveu-se o acovardamento dos comandantes. A moeda de troca? Cargos, dinheiros, e uma "boquinha" numa estatal como a Petrobrás ou a Vale. A esquerda tem, enfim, o seu rebanho fardado.

 

PRONTO PARA O ABATE

O ápice, não o desfecho, deste processo pode ser observado em duas decisões recentes: a da POUPEX em não mais patrocinar o periódico INCONFIDÊNCIA; e a do Comando do Exército em retirar do calendário, as comemorações alusivas à Revolução Democrática de 31 de Março de 1964.

Além de não divulgar de maneira clara esta decisão para a tropa, fica evidente o acovardamento moral de nossas Forças Armadas diante desta manifestação clara de tentar forjar ainda mais a história. De olho em seus vencimentos , para não serem ejetados da vida militar e com possibilidade de arrumar um cargozinho nas diversas empresas, agências, secretarias e ministérios do governo, os comandantes militares deixam de defender a história de seu país, deixam de lutar pela verdade dos fatos daqueles anos tão distorcidos pela historiografia oficial da academia.

Cada vez mais rapidamente, as nossas Forças Armadas vão fazendo parte do grande rebanho esquerdista. São tratados como gados, marcados e castrados, para depois serem abatidos. Não levantam a voz em defesa de seus ideais. Não mexem uma pena para tentar resistir a esta sem-vergonhice socialista. Entregam suas almas ao partido.

Quebram o sagrado juramento de lutarem em defesa da HONRA da Pátria, tão maculada por aqueles que hoje governam o país. Apenas baixam a cabeça e repetem o mantra: sim senhor (a).

Ignoram completamente que estão sendo vítimas de um processo que os levará à sua destruição. Em breve, os outrora defensores da democracia e da liberdade de 1964 serão acusados de torturadores, assassinos e genocidas pelos próprios militares. Estes simplesmente ignoram o mundo a seu redor, limitando-se à rotina de batalhas fictícias contra um inimigo imaginário, enquanto o verdadeiro os governa e comanda.

O triste e preocupante é saber que a cada geração de novos generais a ignorância acerca das forças que atuam no mundo e no Brasil é cada vez maior. Não conseguem enxergar além daquilo que foram programados, além do que permite a marca ideológica imposta pela esquerda, mesmo quando eles sequer se dão conta que a possuem, como gados.

OS QUE REAGEM SÃO CASTRADOS. Consequentemente, não deixam novas descendências. E o rebanho segue engordando, cada vez mais pronto para o abate.  

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • ZAFFARI HÍPICA

    Amanhã, quinta-feira (16), o Zaffari Hípica abre as suas portas na Zona Sul de Porto Alegre, localizado na Avenida Juca Batista, nº 4.255. O empreendimento, vocacionado para atender às demandas do bairro e entorno, reúne uma unidade de Supermercado Zaffari e um mall de operações de alimentação, serviços e produtos com capacidade para 32 lojas. Na abertura, entram em funcionamento, juntamente com o supermercado, Panvel e Chuá Lavanderia, porém o empreendimento já conta com 75% dos espaços locados, cujas inaugurações estão previstas para março e abril.

    Com investimento de R$ 90 milhões, o Zaffari Hípica ocupa uma área de cerca de 20 mil m² em um andar amplo e único, e possui mais de 200 vagas de estacionamento cobertas. Somados os postos de trabalho das operações e da administração geral do espaço, o empreendimento irá gerar aproximadamente 350 empregos diretos. Entre as operações já contratadas estão Bella Gula, Subway, Centhury Express, Mania de Ler, O Boticário, Planeta Surf e Seychelles. O local também abrigará uma Praça de Alimentação com 600 m².

     

  • PREVIDÊNCIA

    Ontem, o secretário de Previdência do Ministério da Fazenda, Marcelo Caetano, declarou que, se a proposta de reforma da Previdência não for aprovada, os gastos públicos com esse setor, que hoje correspondem a 54% de todas as despesas primárias do governo federal, vão chegar a 80% em 2026. Que tal?

  • DESASTRE PETISTA

    Em 2016, o comércio brasileiro registrou o fechamento de 108,7 mil lojas - o pior resultado desde 2005, segundo levantamento da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). No ano anterior, 101,9 mil pontos foram fechados, um aumento de quase 7% de um ano para o outro.
     

  • AlfaBeta

    Pelo segundo ano consecutivo, a AlfaBeta Comunicação assinou a produção dos vídeos do projeto Destaques Esportivos do Grêmio Náutico União, que reconhece os atletas que mais se destacam ao longo do ano. Na última edição, realizada em dezembro, o clube recebeu mais de 600 pessoas para celebrar o evento, incluindo participantes nos Jogos Olímpicos e atletas que já passaram pelo clube. Com sede em Porto Alegre e há seis anos no mercado, a AlfaBeta iniciou na produção audiovisual em 2015 e já conta com mais de 100 vídeos produzidos para clientes como Auxiliadora Predial, Grupo Casa DiPaolo e Escolas e Faculdades QI. Informações pelo site www.alfabetacomunica.com.br .

FRASE DO DIA

Sentir pena dos culpados é trair os inocentes.

Ayn Rand