Artigos Anteriores

EM PÉSSIMAS MÃOS

ANO XIV - Nº 007/14 -

OS MAIS INCAPAZES DECIDEM

Esta excrescência, que deveria ficar restrita somente aos sindicatos, e cujos valores deveriam ficar sujeitos, exclusivamente, às negociações entre patrões e empregados, ainda está nas mãos dos nossos governantes. São eles quem decidem qual o mínimo que deve ser pago aos trabalhadores. Logo os governantes, gente, que mostram ser os piores administradores da face da Terra.

O UNIVERSO

Na realidade, a parcela mais expressiva da população que recebe um salário mínimo é o aposentado pelo INSS. Que não pode ser demitido. E como está na folha do governo, quando deveria estar na folha da Previdência Social, só deixa de receber quando morre. A solução do grave problema passa por uma séria reforma do sistema. Lamentavelmente, tanto os governantes do executivo, quanto os parlamentares do legislativo, vivem se recusando a entender a necessidade de uma reforma para valer na Previdência. Só uma reforma bem feita deixaria por conta exclusiva da Previdência, o fechamento da conta entre o que recebe das contribuições dos trabalhadores e o que deve pagar aos beneficiados pelos seus planos escolhidos.

AUMENTA O ROMBO

Como os governantes sempre resistem e evitam resolver o problema, o rombo anual está em R$ 60 bilhões, para 2005. Esta conta, ao invés de ser sustentada pelos contribuintes da Previdência, é paga pelos contribuintes de impostos. E quando aumenta este salário-aposentadoria, chamado erradamente de salário mínimo, o rombo aumenta mais ainda. Portanto, caso vingue o valor de SM (ou Salário Aposentadoria) em R$ 350,00 como querem os estúpidos parlamentares, o rombo que já é fantástico aumentará para quase R$ 70 bilhões. A imprensa informa, erradamente, caso seja aprovado o SM pretendido, um rombo de R$ 6 bilhões. O certo seria dizer que este valor aumenta mais ainda o rombo já absurdo anterior.

ENCRENCA

Os eleitos que estão na oposição querem ver o circo pegar fogo e sabem que vão desestabilizar a economia caso consigam um valor maior para o SM. E quem está no governo sabe que, sem cortar custos para poder pagar a folha da Previdência, novos impostos deverão custear a encrenca. Mas nenhuma das partes quer reformar a Previdência para valer. Estamos ferrados. Infelizmente, a sociedade brasileira vive cercada por estas pessoas irresponsáveis que ela mesma coloca no poder. Eles juram que vão fazer de tudo para que o povo seja beneficiado, mas tão logo assumem suas cadeiras, o grande e único objetivo é começar a surrar quem os elegeu. Além do mau-caratismo demonstram forte despreparo para fazer tal representação.

FORA FMI

O Brasil, para não fugir à regra de suas atuações, é um país incrível. Ao invés de pagar as contas vencidas e a vencer aqui, resolve pagar o que está longe do vencimento lá fora. Pior: o custo da dívida que vai antecipar o pagamento ao FMI é menor do que aquela que prefere rolar no seu próprio território. Isto só se explica pela aversão ao FMI, e não para melhorar a imagem junto aos credores. Aproveita o bom saldo de caixa para mostrar, de forma disfarçada, que a ideologia fala mais alto. É o velho Fora FMI!

PRIORIDADES

O BIRD revelou o relatório sobre o Brasil, cujo teste é intocável e absolutamente correto. Diz ali que caso o Brasil queira seguir no caminho para atrair investimentos, coisa necessária para competir com os grandes players internacionais, precisa: 1- resolver a questão da burocracia; 2- melhorar muito a infra-estrutura; 3- definir urgentemente o marco-regulatório; 4- fazer rapidamente uma reforma fiscal e tributária; 5 - diminuir os custos de financiamento; 6- uma reforma trabalhista. Este é o que chamamos de Investment Grade. Tudo o que está no relatório depende só de nós, da nossa vontade. Alguém acredita que vamos nessa?

POSSE

O novo presidente da AGERGS, Guilherme Socias Villela, dá novo ânimo às concessionárias dizendo que contratos existem para serem cumpridos. E que vai querer o cumprimento de todos. Parabéns. Pela posse e pela decisão.

PRÊMIO

A Medex Medicamentos ? maior delivery de medicamentos do país - recebe hoje, 14, às 21 hs, no Centro de Eventos da FIERGS o Prêmio TOP BRASIL 2005 ? Excelência em Qualidade e Profissionalismo.

CHEQUE

O Outback Steakhouse, primeiro restaurante da rede de inspiração australiana na região Sul do Brasil, entregou ao Hospital da Criança Santo Antônio um cheque no valor de R$ 18,2 mil, como resultado da noite beneficente. O montante foi obtido através da venda de convites e do leilão do Chocolate Thunder, sobremesa mais pedida do cardápio do restaurante.

PRÊMIO

O Projeto Adote uma Escola, da Comercial Gerdau, foi o grande vencedor da 1ª edição do Prêmio Inda de Ação Social. A Comercial Gerdau foi a primeira colocada na categoria desenvolvimento de projetos sociais, a qual contempla empresas que tenham identificado necessidades, criado, implementado e administrado algum projeto de natureza social.

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

FRASE DO DIA

OU NÓS ENCONTRAMOS UM CAMINHO OU ABRIMOS UM.

Aníbal