Artigos Anteriores

ELEIÇÕES 2018

ANO XIV - Nº 007/14 -

POSTURA

Depois de tudo que veio à público desde as últimas Eleições quando o povo brasileiro elegeu e reelegeu os presidentes mais incompetentes e/ou corruptos deste mundo e inúmeros legisladores da mesma estirpe, o que os razoavelmente sensatos esperam é uma mudança de postura dos eleitores para o pleito de 2018.

PESQUISAS REVELADORAS

Entretanto, a considerar o que informam as recentes pesquisas de intenção do voto (tomara que não se confirme) o povo brasileiro dá a entender, claramente, que: 

1- exige a volta imediata da Matriz Econômica Bolivariana, justamente aquela que destruiu por completo a economia brasileira; (vejam que Lula, se eleito, já disse que vai destruir a matriz econômica do governo Temer pela revogação do Teto dos Gastos Públicos, aprovado logo após o afastamento da comunista Dilma Rousseff) e,

2- entende que o Brasil ainda tem muito a oferecer aos seus saqueadores.

SÓ PODE...

Ainda assim, mesmo admitindo as minhas consideráveis limitações e o meu desejo, quero crer que nos próximos meses, quando o quadro de candidatos que concorrem à presidente estará completo, Lula vai cair nas pesquisas eleitorais. No entanto, caso o quadro atual se mantenha, o povo brasileiro deixará bem claro que gosta mesmo de CRISE ECONÔMICA recheada de CORRUPÇÃO. Só pode...

RÉGUA DO MAL

Pode parecer curioso para alguns, mas o que acontece no nosso empobrecido Brasil é pra lá de sério. O fato é que nas últimas Eleições a maioria dos brasileiros, impregnados pelo POPULISMO, usou uma RÉGUA DO MAL para medir e, consequentemente, escolher seus representantes. Os pleitos revelaram, claramente, que se a ordem era eleger INCOMPETENTES e SAFADOS, os eleitores acertaram na mosca.

TAREFA NADA FÁCIL

Quero crer, ou preciso crer, que dependendo da vontade dos mais assustados é possível mudar este quadro dantesco. Sei, no entanto, que o estrago que os comunistas promoveram nos cérebros de uma enorme parcela de brasileiros, com a ajuda implacável das mais diversas corporações, e de boa parte da mídia, infelizmente, foi brutal. Portanto, a tarefa de abrir olhos e mentes não será nada fácil.

TIRAR DO TORPOR

Como não há nada que se possa fazer fora do constante e objetivo esclarecimento, o meu engajamento é e continuará sendo total neste sentido. Não me conformo que os brasileiros em geral entendam que a felicidade mora no CAOS. Por mais que tenham sido picados pela agulha do Populismo, quero crer que é possível tirar muita gente deste torpor até outubro de 2018. Que tal? Vamos nessa???

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • TAXA DE DESOCUPAÇÃO CAINDO

    A taxa de desocupação da população brasileira caiu a 12,4% no trimestre até setembro, marcando o nível mais baixo desde o último trimestre de 2016 (12%), informou o IBGE.

    população desocupada somou 13,0 milhões no trimestre móvel encerrado no mês passado, o que representa uma queda de 3,9% (menos 524 mil desocupados) em relação ao trimestre móvel anterior, de abril a junho. Na comparação com os mesmos meses de 2016, porém, houve alta de 7,8% (mais 939 mil de pessoas desempregadas).

    Já a população ocupada totalizou 91,3 milhões no período entre julho e setembro, alta de 1,2% (mais 1,1 milhão de pessoas) em relação ao trimestre anterior, e registrou alta de 1,5 milhão de pessoas (1,6%) frente a igual
    período de 2016. O total de trabalhadores com carteira assinada no setor privado somou 33,3 milhões, estável em relação ao trimestre anterior, mas queda de 2,4% em relação ao terceiro trimestre de 2016 (menos 810 mil de pessoas).

  • ESPAÇO PENSAR+

    Eis o conteúdo produzido pelo pensador Percival Puggina, com o título - CUIDADO COM OS NOVOS "CUIDADORES"!:

    Entre as muitas mudanças de conduta individual e social ocorridas nas últimas décadas, certamente as que afetaram a dinâmica da vida familiar foram as mais importantes. Elas produziram imenso impacto no comportamento de crianças, adolescentes e, já agora, numa inteira geração de indivíduos adultos e nas famílias que constituem.

              Ao saírem as mães de casa para trabalhar, houve uma primeira tentativa de compensar o menor tempo dedicado aos filhos com recompensas possibilitadas pelo aumento da renda familiar. Foi o tempo dos presentes melhores e concessões maiores. Num segundo momento, pais conscientes trataram de qualificar os reduzidos tempos de convivência com redobrada atenção, enquanto novos "cuidadores" ingressavam no território negligenciado pela educação familiar.

              Entre as muitas consequências da ação desses novos personagens, inclui-se a prevalência de impulsos primários em prejuízo do bem e dos valores que a ele conduzem. Contratados pelos pais ou disponibilizados pelo Estado, ou ainda viabilizados pelas modernas tecnologias eletrônicas, estão, em grande parte, a serviço de suas próprias pautas e visões de mundo. E estas, comumente, se relacionam com a construção de uma "nova sociedade" que nada guardará da mais alta civilização que a humanidade conheceu.

              Terrível desdobramento da persistência e da determinação com que se atacam valores essenciais ao desenvolvimento integral da pessoa humana e à harmonia da sociedade! A chamada guerra cultural escolheu seu público preferencial entre os vulneráveis pela imaturidade e promove, ali, um massacre impiedoso da verdade, do bem, do belo e do justo.

              Pediram-me, outro dia, que discorresse sobre o tema “Como podem os pais influenciar positivamente seus filhos?”. Embora a receita seja a mesma de sempre - amor, diálogo, atenção, zelo e exemplo - há que reconhecer que os resultados podem ser insuficientes, pois o conjunto das influências nocivas a que a juventude está sujeita envolve, supera e muitas vezes destrói os melhores influxos que possa receber. Só uma ação conjunta de pais, escolas, autoridades, Igrejas e meios de comunicação social, conscientes, todos, de suas responsabilidades, pode minimizar o estrago.

              A que influências nocivas me refiro? Refiro-me à escola com partido e com ideologia de gênero, tão na moda. Refiro-me às novelas de TV (que jamais valorizam qualquer coisa que tenha valor) e às franquias da internet impropriamente utilizada. Refiro-me à desarmonia musical das bandas, ao mau conteúdo das letras que cantam e aos maus exemplos que proporcionam. Refiro-me ao fio condutor permissivo de quase toda a publicidade e das mensagens voltadas aos jovens. Refiro-me à cultura do corpo (e sua animalidade) e à indigência a que é relegada a humanidade do espírito e da mente. Refiro-me à impotência das autoridades ante o tráfico de drogas. Refiro-me às noites e suas festas, que absurdamente começam na hora em que deveriam terminar e ao crescente consumo de bebidas alcoólicas e drogas por menores.

              São adultos os que promovem e se beneficiam dessa ausência de limites e os que perante ela se omitem. Há no inferno lugar para todos.

FRASE DO DIA

Príncipes, governantes e generais nunca são espontaneamente liberais. Tornam-se liberais quando forçados pelos cidadãos.

Ludwig von Mises