Artigos Anteriores

AUSTERIDADE OU MORTE!

ANO XIV - Nº 007/14 -

ESCLARECIMENTO

Para não passar por ingênuo faço aqui um esclarecimento: a escolha de Joaquim Levy para ocupar o Ministério da Fazenda não me convence que a presidente Dilma tenha, enfim,  percebido que a Matriz Econômica Bolivariana, desenvolvida e implementada pelo ministro Guido Mantega, estava levando o Brasil ao abismo. 

SUBSTITUIÇÃO

Por enquanto, o que me faz entender esta substituição de um economista neocomunista-keynesiano (Guido Mantega) por um outro (Joaquim Levy), com formação na Escola de Chicago, é que a presidente Dilma percebeu que através da Matriz (essencialmente) Bolivariana chegaríamos ao nível da Argentina e/ou Venezuela antes do mês de março. 

MARGEM DE MANOBRA

Como se trata de uma decisão tomada por uma petista, que por formação respira neocomunismo por todos os poros, o raciocínio mais lógico nos remete a uma certeza: o novo ministro da Fazenda terá pouquíssima margem de manobra.
 

ALÇADA

Aliás, o que aconteceu com o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, que no dia seguinte de sua posse precisou voltar atrás e desdizer o que havia defendido sobre o cálculo do salário mínimo, dá uma ideia clara sobre o tamanho da alçada concedida à Joaquim Levy. 

OBEDIÊNCIA À CÚPULA DA UNASUL

Nunca se deve esquecer que Dilma e todos os petistas não abrem mão das decisões tomadas nas reuniões de Cúpula da Unasul, cujos propósitos sequer permitem eventuais guinadas ao centro. Muito menos, portanto, à direita.

ECONOMIA???

Como se vê, o fato de Dilma ter escolhido Levy para comandar a economia não garante, em hipótese alguma, que o Brasil vai trilhar um novo caminho, onde a gastança pública será menor e mais eficiente. Tanto é que Dilma preferiu promover alguma economia em cada ministério, mas não admitiu uma diminuição na quantidade exagerada e absurda do número de Pastas.

AUSTERIDADE

Confesso que tenho me esforçado para ser otimista. Entretanto, pelo andamento da carruagem não vejo motivos para tanto. Mais: naquilo que for decidido pelo lado do bom senso, os contrários às austeridades vão se pronunciar. Aí, o sentimento -grego-, deve prevalecer, ou seja, em governo bolivariano, austeridade não tem vez.

Estamos diante de um novo brado: AUSTERIDADE OU MORTE!

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • BOLETIM FOCUS

    O Boletim Focus  de hoje informa: –

    1- A projeção para o IPCA de 2015 subiu de 6,56% para 6,60%, enquanto para 2016 segue em 5,70%.

    2- A expansão do PIB, cuja previsão na semana passada era de 0,50% para 2015, caiu para 0,40%. Ainda assim se mantém estável em 1,80% para 2016.

    2- Já quanto à taxa Selic, as estimativas seguem em 12,50% e 11,50% para 2015 e 2016, respectivamente. 

  • ÍNDIA E CHINA

    O mesmo economista Jim O’Neill, que Lula e Dilma festejaram por ter ciado o BRICS (agrupamento dos maiores países emergentes), ao ser questionado se ainda agruparia o Brasil, a Rússia, a Índia e a China como potências do mercado emergente, como fez em 2001, disse: “Eu teria vontade de chamar o grupo de IC (Índia e China) e, se nos próximos três anos as coisas permanecerem iguais ao ano passado para o Brasil e a Rússia, é possível que eu faça isso em 2019!”.
     

  • PROJEÇÃO DO CDL

    A perspectiva de um cenário externo desfavorável, ajuste fiscal nos governos federal e estadual, bem como o aperto monetário via taxas de juros devem manter o cenário de baixo crescimento no Brasil e no Rio Grande do Sul em 2015. A projeção é do economista da CDL Porto Alegre, Gabriel Torres.

    De acordo com Torres, para o País e o Estado atingirem um maior ritmo de crescimento econômico em 2015 seria necessário colocar em prática as reformas tributária, previdenciária, da administração pública e política que até o momento foram adiadas. “No entanto, as reformas precisam agir sobre as causas dos nossos problemas, como a simplificação das regas tributárias, mudança para um regime previdenciário de capitalização e fim de privilégios a funcionários de determinadas atividades seriam alguns pontos a serem modificados”, estima.

    No que se refere à inflação, câmbio e juros, Torres destaca que o quadro para os preços em 2015 é de manutenção da pressão de alta, mas com causas distintas das que ocorreram no último ano. Em vez da demanda e mercado de trabalho bastante aquecidos neste ano, a pressão ocorrerá via taxa de câmbio e recomposição dos preços monitorados pelo governo.
     

  • MARTA, A INCONFORMADA

    A petista Marta Suplicy anda inconformada com Dilma, Mercadante e outros próceres de seu partido. Em entrevista que concedeu ao Estadão, Marta botou a boca no trombone e/ou lavou muita roupa suja. Só agora entendeu o que é o PT???

FRASE DO DIA

Errado é você deixar de fazer alguma coisa, com medo do que os outros vão pensar.