Artigos Anteriores

ALÉM DAS REFORMAS É PRECISO MUDAR A CULTURA

ANO XIV - Nº 007/14 -

PAÍS JUSTO E PRÓSPERO

Hoje, 01/02/2019, data que marca o início das atividades dos nossos Legislativos -estaduais e nacional-, aproveito para transmitir os meus efusivos votos de que os melhores ventos soprem com muita força, ao longo deste -Ano da Graça-, fazendo com que as importantes REFORMAS que o Brasil precisa, urgentemente, sejam aprovadas.  

PRESSUPOSTO

Partindo do gritante pressuposto revelado pelas urnas, onde mais de 55 milhões de eleitores -de bem- deram o recado claro de que não suportam mais as -eternas- CRISES construídas com real propósito pelos governos socialistas que destruíram por completo o tecido econômico e social do Brasil, aí não há como imaginar que os Legislativos (estaduais e federal), não aprovem todas as REFORMAS que farão do nosso País um ambiente, enfim, mais JUSTO E PRÓSPERO.

MÁ CULTURA

Sabe-se, perfeitamente, que as forças contrárias não estão dispostas a aceitar e/ou admitir a aprovação das REFORMAS. Esta turma -do mal-, mais do que sabido, simplesmente não admite a felicidade do povo brasileiro. Embora formando um número menor de eleitores,  certamente que vão contar com a forte -MÁ CULTURA- plantada e absorvida, ao longo do extenso período que governaram o País.

EXORCIZAÇÃO

Esta nociva e má CULTURA SOCILISTA/PETISTA, introduzida e mantida por mais de 15 anos com rara competência, fez com que milhões de brasileiros passassem a ter uma nova identidade social,  com novas crenças e costumes que, sabidamente, não serão exorcizados com facilidade. 

IGNORÂNCIA, MENTIRA E INCOMPETÊNCIA

Ora, se a CULTURA dos brasileiros sempre foi de "contemporizar, de deixar para depois, de perdoar, de não gostar de punir erros, de jogar a culpa dos problemas em entidades inimputáveis ou em deuses e santos", como bem descreve Luciano Pires no seu livro -ME ENAGANA QUE EU GOSTO- , a CULTURA SOCIALISTA tornou ainda mais complicado este comportamento ao impor a aceitação, com enorme naturalidade, de farta ignorância, mentira e incompetência.

PODER DE CURA

Como se vê, por mais esperançosos que sejamos não há como não admitir que a tarefa não será fácil. Isto significa que além de perseguir as REFORMAS também precisamos focar na mudança comportamental, que deixou boa parte do povo brasileiro doente e incapaz a ponto de não enxergar que as mudanças propostas têm efetivo poder de cura do sofrimento que se tornou CULTURAL. 

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • DELIVERY CENTER BOURBON WALLIG

    Com objetivo de ampliar a abrangência da oferta de produtos e refeições de seus lojistas para quem está fora do shopping, o Bourbon Wallig começou 2019 com uma novidade: a Delivery Center Bourbon Wallig. Clientes das redondezas agora podem fazer pedidos online para recebê-los em casa em até uma hora. A novidade é uma parceria com a Delivery Center e possui, em sua primeira fase, foco em operações de alimentação e livrarias.

    Lojas como McDonald’s, Bella Gula, Bocattino, Prawer, Casa DiPaolo, Nanking e Cameron Mega Store são algumas das que já aderiram às vendas pela plataforma. Os pedidos podem ser feitos pelo iFood, pelo telefone ou por um aplicativo próprio – o DTudo. Basta fazer a busca no aplicativo ou ligar para o número do restaurante que o pedido chegará onde o cliente estiver.

    “A solução tem o potencial de associar praticidade, conveniência e entrega rápida a baixo custo para o consumidor à produtividade, ganhos em escala, margem incremental e rentabilidade para o lojista”, conta Roberto Manuel Zaffari, gestor da AIRAZ, administradora de empreendimentos do Grupo Zaffari que concentra a administração de 12 shoppings no Rio Grande do Sul e um em São Paulo (SP). Segundo ele, esse modelo é uma “ponte de conexão entre o comércio varejista de presença física e o universo das compras digitais”.

    Modelo inovador
    Iniciada em 2017 em Porto Alegre, a Delivery Center utiliza os shoppings como centros de distribuição, cuidando de toda a logística do processo: recebe os pedidos, coleta os itens, faz o tracking e executa a entrega por motoboys. Segundo a diretora de Estratégia da empresa, Cristiane Ribeiro Mendes, o “modelo de negócios é bom para todas as partes”. “Lojistas e restaurantes vendem mais sem a necessidade de aumentar sua estrutura física, e o usuário ganha em agilidade e comodidade”, aponta Cristiane.

    Além de parcerias com shoppings e centros comerciais, a Delivery Center trabalha com outros tipos de operação. Uma delas são os prédios especializados, também chamados de dark malls – estruturas que acomodam diferentes tipos de estabelecimentos sem clientes consumindo e comprando no local. Nesses espaços, os restaurantes fazem a comida, e os comércios armazenam suas mercadorias, enquanto todo o resto fica a cargo da Delivery Center – do recebimento do pedido à entrega para o cliente. Há uma unidade nesse formato em Porto Alegre, na avenida Protásio Alves.

FRASE DO DIA

Se até agora foi tempo de PENSAR+, a partir de hoje é hora de FAZER+!

Paulo Moura