Artigos Anteriores

A RAZÃO PARA TANTO ÓDIO

ANO XIV - Nº 007/14 -

RAZÕES PARA TANTO ÓDIO

No seu blog, como compartilhou o jornalista Políbio Braga, o administrador e consultor de empresas, Stephen Kanitz, comentou algo que a maioria dos jornalistas e professores detestam lembrar: em 1964, tão logo assumiram o governo (daí a razão para tanto ódio que destilam contra os militares), os militares decidiram dar fim, por emenda constitucional,  ao artigo 213 que garantia um escandaloso e nojento privilégio a todos os jornalistas, escritores e professores.

NENHUM IMPOSTO

Para quem não sabe, ou não lembra, entre 1934 e 1964 (30 anos), como dizia o artigo 113 nº 36 da Constituição Federal de 1934, “Nenhum imposto gravará diretamente a profissão de escritor, jornalista ou professor”.

SEGREDO BEM GUARDADO

Segundo Kanitz, este é um dos segredos mais bem guardado pelos nossos professores de história, a ponto de nem os novos militares, jornalistas, professores de história e escritores de hoje saberem o que ocorreu de fato.

O fato, comprovado, é que por 30 anos foi uma farra: algumas faculdades vendiam diplomas de jornalista. Mais: até arcebispo era jornalista. Com esta medida (não era para menos) os militares de 1964 antagonizaram, em menos de dois meses de poder, toda a elite intelectual deste país.

ÓDIO

O ódio foi de tal tamanho, que até hoje muitos jornalistas seguem fazendo o coração e as mentes das novas gerações. Vale lembrar o que escreveu o historiador João Amado:  “A maior parte da grande imprensa participou do movimento que derrubou o Presidente João Goulart e foi, sem dúvida, um dos vetores de divulgação do fantasma do comunismo”.

PERSEGUIÇÃO CLASSISTA

O próprio João Amado considerou que o fato de ter que pagar imposto de renda foi uma legítima  “perseguição” classista. Já o professor e escritor Antônio Calado escreveu dizendo que “O Golpe foi certo, mas seus desdobramentos errados”. Calado se tornou um de seus grandes opositores, um ano depois.

DIREITA

Se os militares fossem de fato de -direita-, como jornalistas, professores de história e escritores não pararam de divulgar, eles provavelmente teriam sido incluídos nesta lista classista, conclui Kanitz.  Que tal?

 

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • CONFIANÇA DO COMÉRCIO

    O índice de confiança do comércio, calculado pela FGV, avançou 6,8 pontos entre agosto e setembro, para 89,2 pontos, a primeira alta após quatro quedas consecutivas. A abertura do índice mostrou que a alta foi bem disseminada entre seus componentes. Houve avanço tanto na avaliação da situação atual, que subiu 6,5 pontos, atingindo 83,9 pontos (maior patamar desde janeiro de 2015), como também na avaliação das expectativas, que registrou avanço de 7,0, para 95,1 pontos. 

  • IPC - FIPE

    O Índice de Preços ao Consumidor, medido pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), caiu 0,02% na terceira quadrissemana de setembro após recuar 0,04% na quadrissemana imediatamente anterior.

  • REDE BOURBON

    A empresa de eletroeletrônicos Polishop passa agora a operar em três shoppings da rede Bourbon Shopping: Bourbon Shopping Country e Bourbon Shopping Ipiranga, em Porto Alegre; e no Bourbon Shopping Novo Hamburgo. A marca conta agora com dez unidades no Rio Grande do Sul. Além dos produtos marca própria, a loja comercializa marcas como Philips Walita, Oster, Conair, Philco e Mondial.

FRASE DO DIA

A pior ambição do ser humano é desejar colher os frutos daquilo que nunca plantou.