Artigos Anteriores

A DOENÇA É OUTRA

ANO XIV - Nº 007/14 -

RELAÇÃO DÍVIDA/PIB

O governo não está sendo nada correto quando informa que a relação Dívida/PIB do país piorou, e muito, neste ano, devido aos benefícios fiscais representados pela redução do IPI de alguns produtos.

VERDADE ABSOLUTA

A tal receita que o governo diz ter renunciado simplesmente inexiste. Ela jamais aconteceria com o IPI cheio, gente. Portanto, a euforia dos consumidores se justifica pelos preços mais atrativos. O bastante para confirmar uma verdade antiga e absoluta, mais uma vez provada pelo mercado: reduzir impostos leva a um aumento de vendas, na mesma proporção.

COMPENSAÇÃO

Com o comércio bastante aquecido, tanto pelo crédito quanto pela redução do IPI, a consequência é o crescimento natural de empregos e da própria arrecadação de impostos. Ora, diante deste fato incontestável, o governo não pode afirmar que a perda fiscal deriva do benefício concedido. A redução do IPI vem sendo plenamente compensada pelo aquecimento da economia.

ESCALA GEOMÉTRICA

A razão, portanto, para o aumento brutal do déficit nominal, que está deixando as contas públicas em frangalhos e em estado de alerta, é uma só: as despesas do governo estão crescendo numa escala absurdamente geométrica.

ATITUDE MESQUINHA

O que chama a atenção nisso tudo é que o ministro Mantega resolveu comemorar a elevação do consumo dos produtos que foram beneficiados pela redução do IPI. Esta atitude mesquinha e covarde prova que o consumo dos demais produtos não atingidos pela redução do IPI também poderiam estar bombando.

DISCRIMINAÇÃO ODIOSA

Esta discriminação odiosa, que o ministro Mantega demonstra com relação aos setores da indústria que não tiveram o mesmo tratamento fiscal, prova determina o quanto este governo despreza quem produz e quem consome aqueles produtos. E, pior, o quanto detesta os trabalhadores dos ramos não beneficiados.

MERCOSUL

Ontem, finalmente, os nossos bravos senadores se renderam: aprovaram o ingresso da Venezuela no Mercosul. Criado para ser um Bloco Comercial, o Mercosul de hoje está para uma nova URSS - União das Repúblicas Socialistas do Sul. Um triste Bloco Político-Ideológico, cujos países membros são dirigidos por líderes da pior esquerda deste mundo.

IRÃ: PAÍS IRMÃO

Como a presidência do Mercosul é rotativa, a vez de Hugo Chávez assumir a nova URSS latina - não vai demorar muito. Agora, o próximo passo a ser dado é fazer um convite formal para que o Irã ingresse no Mercosul. Como país irmão. Viva!

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • FIBRIA
    Ontem, a Fibria - resultado da fusão entre Aracruz e VCP - recebeu R$ 1,3 bilhão referente à venda da usina de Guaíba, no RS, para o grupo chileno Empresas CMPC, após fechar os últimos ajustes do negócio.
  • RIQUEZA
    Segundo dados de 2007 do IBGE, as cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte e Curitiba geraram 25% da riqueza do país, medida pelo PIB. Porto Alegre já fez parte deste grupo, mas a mentalidade gaúcha tratou de sacar a capital do RS da seleção.
  • COCALEIRO MALUCO
    O presidente da Bolívia, Evo Morales, não poderia ficar sem dizer a sua besteira de fim de ano: proclamou a obrigação de defender os -direitos da mãe Terra- e disse que a mudança climática é um efeito do modelo de desenvolvimento do sistema capitalista. Buuuuu!!!
  • AÇÕES
    Uma série de grandes empresas brasileiras, como Petrobras, Vale e AmBev, ganharam um acionista relevante, que possui mais de 5% de uma empresa, após a união entre a gestora norte-americana de ativos BlackRock e a Barclays Global Investors, ocorrida em 1º de dezembro.

FRASE DO DIA

A estrada para o sucesso é pontilhada com muitas paradas tentadoras.

Desconhecido