Artigos Anteriores

A ROTA DO FRACASSO: PREFERÊNCIA NACIONAL

ANO XIV - Nº 007/14 -

CAOS TOTAL

Por tudo que está acontecendo no nosso triste Brasil, bem antes de começar a atacar (isto não significa resolver) os graves problemas fiscais, retratados com absoluta transparência (sem precisar fazer uso do photoshop) através dos fantásticos e sempre crescentes ROMBOS das contas públicas, ainda vamos precisar conhecer o CAOS TOTAL. 

ROTA FRACASSO

Infelizmente, aquele sentimento de vibração e confiança que tomou conta dos brasileiros que festejaram o impeachment da péssima Dilma Neocomunista Rousseff, imaginando que a partir daí o nosso país abandonaria a -ROTA DO FRACASSO-, imposta com rigor e determinação pela administração petista, está dando lugar ao um estado de frustração.

REFORMAS

Poucos, muito poucos, sabiam que a mudança de ROTA não dependia da esperança e muito menos do simples sentimento de alegria do povo. O que poderia, efetivamente, tirar o Brasil do CAOS seriam as REFORMAS (notadamente a da Previdência) capazes de amenizar (nem falo em solucionar) os já crônicos e sempre crescentes ROMBOS nas contas públicas, tanto da União, quanto dos Estados e Municípios.

SUBSTÂNCIAS PLANTADAS COM ÊXITO

Diante desta má vontade em resolver os graves problemas, que mistura doses cavalares de EXTRATO DE IGNORÂNCIA e IDEOLOGIA DO ATRASO, substâncias que foram plantadas com êxito por todo o território brasileiro, nem mesmo aquilo que a lógica do raciocínio entende como  ÓBVIO E NECESSÁRIO é visto com bons olhos. Ao contrário: medidas corretas, urgentes e imprescindíveis são consideradas, sem exceção, como ruins, péssimas e inadequadas para o nosso Brasil.

RESPONSÁVEIS INATACADOS

Vejam, por exemplo, o que acontece com esta complicada -greve dos caminhoneiros-, que se espalha pelo Brasil todo. Só por aí já é possível entender a que ponto chegou a ignorância do povo brasileiro em geral, notadamente aqueles que apoiam o -movimento- sem apontar o grande e maior responsável pelo alto preço dos combustíveis.

ALVO ERRADO

Ao invés de pressionar os GOVERNOS ESTADUAIS, que são os grandes VILÕES pelo percentual de ICMS que impõe para a formação do preço dos combustíveis, independente da cotação do dólar e/ou do petróleo, os grevistas apontam o dedo para a Petrobrás e o governo federal. Pode?

CÁLCULO BASE

Pois, para quem não percebeu, a CIDE, que o governo federal está disposto a -zerar- é insignificante se comparado ao ICMS praticado no país através dos Estados. Na formação do preço dos combustíveis, o ICMS, em média, leva em torno de 30% do valor  pago nas bombas. Ou seja, se a gasolina custa R$ 5,00/litro, os Estados se apropriam de R$ 1,50, enquanto a CIDE (governo federal) fica com R$ 0,20. 

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • CONFIANÇA DO CONSUMIDOR

    O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) apresentou um recuo de 2,5 pontos percentuais entre abril e maio, ao passar de 89,4 para 86,9 pontos, o menor nível desde outubro de 2017 (85,8 pontos), segundo informou a Fundação Getúlio Vargas.

    O resultado reflete o aumento da satisfação do consumidor com a situação presente, mas piora sobre a expectativa com relação aos próximos meses.

FRASE DO DIA

AS CRISES SÃO SINTOMAS DE PREGUIÇA E DESALINHO.

Peter Drucker