Artigos Anteriores

A CORRUPÇÃO É UM VÍCIO

ANO XIV - Nº 007/14 -

GRANDE INIMIGA DO BRASIL

Depois de tudo que a operação Lava Jato já escancarou, principalmente através de investigações e depoimentos de inúmeros delatores, a maioria do povo brasileiro dá sinais de que é preciso declarar guerra aberta e frontal contra a CORRUPÇÃO, já considerada, desde a primeira delação, como a grande inimiga do Brasil.  

GUERRA

Antes de tudo, no entanto, é preciso que todos tenham a mais plena consciência de que esta GUERRA, ainda que bem sucedida, não acabará  com a CORRUPÇÃO. O máximo que se pode esperar, se tudo der certo, é uma redução da taxa de CORRUPÇÃO e/ou do número absoluto de CORRUPTOS E CORRUPTORES. 

CULTURAL/EDUCACIONAL

O que precisa ser  levado em conta nesta vontade de atacar a CORRUPÇÃO é que, infelizmente, o povo brasileiro está muito fragilizado e sem força para largar o vício -comportamental- de -querer levar vantagem em tudo, ou quase tudo-. Este processo –cultural/educacional-, infelizmente, acabou se incorporando de tal forma ao tecido social brasileiro, a ponto de tornar muito difícil a sua remoção. 

LEI DE GERSON

Este mau comportamento, para quem não lembra, foi sendo incorporado à sociedade brasileira a partir dos anos 1970, com a famosa -Lei de Gerson-, cujo resultado foi um lamentável  sufocamento da consciência dos cidadãos, pois o -jeitinho- para driblar as dificuldades passou a ser considerado como normal, natural e legítimo.  

 

NOVO COMPORTAMENTO

Portanto, para que este mau comportamento seja substituido por outro, bem mais decente e correto, tudo vai depender do tempo que os brasileiros levarão para se convencerem, definitivamente, de que o tal de -jeitinho brasileiro- de conseguir o que pretendem, nada mais é do que CORRUPÇÃO.

CORRUPÇÃO

Resumindo: se não houver uma mudança comportamental, o sucesso da empreitada, ou da guerra, é praticamente nulo. Até porque CORRUPÇÃO não se define só por dinheiro -pago ou recebido- e muito menos pelo montante envolvido. A régua que mede o corrupto e/ou o corruptor não tem medida numérica, mas de comportamento, consciência e de caráter. 

SEMELHANÇA COM DROGAS

Aliás, a CORRUPÇÃO guarda muita semelhança com as DROGAS. A guerra contra as DROGAS, para que seja vencida, depende da vontade e da determinação do consumidor. O mesmo acontece com a CORRUPÇÃO: não havendo uma vontade explícita de largar o vício de se corromper, ou de ser corruptor, a guerra já estará perdida.

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • CONFIANÇA NA INDÚSTRIA

    A prévia do índice de confiança da indústria, calculado pela FGV, apontou relativa estabilidade em abril, ao registrar avanço de apenas 0,1 ponto frente a leitura final do mês anterior, chegando a 90,8 pontos, o que representa o maior nível desde maio de 2014. Tal resultado se deu pela combinação de leve alta do índice de expectativas (+0,5 ponto, para 93,6 pontos) com pequena queda do indicador da situação atual (-0,3 ponto, para 88,2 pontos). O NUCI, que mede o nível de utilização da capacidade instalada da indústria, permaneceu estável em 74,4%.

     

  • NAÇÃO ÓRFÃ

    Eis aí o texto escrito pelo pensador Ricardo Bergamini, com o título: Brasil: uma Nação órfã, refém do seu próprio Estado.

    Enquanto Estado designa a organização de uma comunidade, a ideia de nação exprime esta comunidade em si mesma, cuja unidade é vivida, reconhecida pelas consciências, fora mesmo da ordem que o Estado aí faz reinar.


    A pátria é, etimologicamente, a “pátria terra”, terra dos pais, esse lugar da terra onde nascemos. A pátria é um valor, certamente. Mas é preciso não sacrificar a esse valor outros valores também preciosos. Não nos fiemos no nacionalismo, caricatura do verdadeiro patriotismo. Não exijamos em nome do patriotismo, que nossa pátria oprima injustamente os mais frágeis, sejam internos ou externos. Existem valores de justiça, de verdade, que são valores universais e que transcendem a todas as pátrias.

    Nenhuma das figuras supracitadas é suficiente para criar uma nação. A nação repousa, antes de tudo, sobre a vontade de seus membros, sobre sua consciência e seu desejo de formar uma nação. Foi o que disse Renan em uma página célebre:

    “Uma nação é uma alma, um princípio espiritual. Duas coisas que, verdadeiramente, não são mais que uma, constituem essa alma... Uma está no passado, à outra no presente. Uma é a posse comum de um rico legado de lembranças, a outra é o sentimento atual, o desejo de viver em conjunto, a vontade de continuar a fazer valer a herança que recebemos indivisas. Possuir glórias comuns no passado, uma vontade comum no presente, haver realizado grandes coisas em conjunto, querer realizar mais ainda, eis as condições essenciais que formam um povo”.

    Os árabes, por exemplo, possuem um sentimento muito intenso de sua comunidade e formavam, de qualquer modo, uma nação desde os tempos em que eram nômades.

    Os Estados Unidos tomaram consciência de si mesmos e surgiram como nação na guerra de independência contra a Inglaterra.

    Nação é imutável. Estado e governo são mutáveis.

    Vamos aproveitar o momento de grave crise econômica, política, social e institucional que está vivendo o Brasil para iniciarmos um movimento para construção de uma nação brasileira. Para isso temos que abandonar definitivamente essa nossa visão míope de grupos, falanges, patotas, corporativismo e masturbação mental ideológica Além de ser fundamental abandonarmos também nossa visão mesquinha apenas do pecuniário e de vaidades pessoais (títulos, cargos e patentes). Vamos doar nosso saber e conhecimento para esse movimento, sem nada pedir em troca.

    No estágio atual de putrefação do Brasil trocar de governo seria o mesmo que trocar de mosca e as fezes continuarem as mesmas. O Brasil necessita, urgentemente, de uma nova Assembleia Nacional Constituinte.

    Constituinte já!
     

FRASE DO DIA

CAPITALISMO é o sistema político-econômico onde 1% da população enriquece para melhorar a vida do resto. COMUNISMO é o sistema político-econômico onde 99% da população empobrece para melhorar a vida do resto.

Roberto Rachewsky