Artigos

21 out 2004

SIAL 2004 - FRANÇA - 4


SIAL SOLIDÁRIO

Os Bancos de Alimentos e a Cruz Vermelha Francesa levam a cabo uma operação de grande envergadura durante toda a feira do SIAL. Todos os dias são recolhidos pela Cruz Vermelha, os produtos alimentícios que estão em boas condições de higiene e qualidade, que os expositores não podem levar de volta para suas empresas. A colaboração do Sial com o programa cumpre dois objetivos: Evitar desperdiçar os produtos que servem para satisfazer pessoas com dificuldades; e favorecer os contatos das organizações caritativas com as empresas expositoras para colaborações em longo prazo.

INOVAÇÕES

Nesta edição do SIAL, estão sendo apresentados cerca de 550 novos produtos selecionados. Estes produtos foram julgados por suas características inovadoras, receitas, processo de fabricação, embalagem. Eis alguns deles: 1- Parmesão com ralador: O queijo vem numaembalagem plástica que tem um ralador adaptado na tampa. A embalagem ainda serve para conservar o queijo fresco e seu sabor; 2- Ovo líquido: Apresentado em embalagem tetrapak com uma janela transparente, marcada com um dosador para facilitar a visualizaçãoda utilização do produto; 3- Mostarda balsâmica: Mostarda mediterrânea a base de vinagre balsâmico, mel e óleo de oliva extra virgem. A mostarda é mediterrânea, mas o produto é grego.

IN-FOOD 2005

Este novo salão 100% dedicado ao B to B para os industriais da agroalimentação que buscam sócios e soluções para fabricar produtos de grande consumo, acontecerá nos dias 23 e 24 de março/2005, no CNIT de Paris -, no La Defense. A primeira edição reunirá centenas de empresas francesas e européias e espera cerca de 2.500 empresários visitantes do setor. Um programa de conferências e a edição de um anuário especial \"business to business\" completam o evento. Maiores informações no site www.infoodexpo.fr.

SEM DESMATAMENTO

As acusações dos frenéticos ambientalistas europeus, identificados pelas ONGs mais escandalosas, e declarados protetores do meio ambiente mundial, de que o Brasil vemaumentando a área de plantação graças ao desmatamento irresponsável de florestas, não tem o menor sentido. Em 1990, por exemplo, em 37 milhões de hectares, produzimos 57 milhões de tons de grãos; em 2003, com 46 milhões de hectares atingimos 119 mm de tons. O que aconteceu, como se vê, foi puro aumento de produção e produtividade e não aumento de área plantada. O estúpido argumento de que estamos desmatando florestas para plantar é só maisuma arma usada pelos protecionistas. Que são os mesmos que financiam o MST.

PREÇOS MAIORES

Pelas informações obtidas, os produtos agrícolas e pecuários com certificação -DOC- têm seus preços elevados entre 30% e 200% (queijos e vinhos). Quem decide esta valorização são, tão somente, os consumidores pelo seu grau de exigência. Este processo pode e deve acordar mais setores que teimam em continuar dormindo aí no Brasil, como é o caso dos vinhos e dos queijos, principalmente.

CHÁ

Depois da água, o chá é a bebida mais consumida no mundo. 15.000 taças são consumidas por segundo no mundo. A Irlanda é o maior consumidor do produto, com 3,6 quilos/ habitante/ano. Depois vem o Reino Unido com 3,15 quilos. A Índia, no entanto, é o país que tem a maior produção, com 34%, seguida da China com 19,8%, Sri Lanka com 11%, Kenya com 10% e Japão com 6%. Assim como o vinho, o chá também tem denominação pelo \"terroir\" e pela época dacolheita, possuindo também chás com edições limitadas.

JORNALISTAS EDUCADOS

No Centro de Imprensa, onde as matérias são preparadas pelas centenas de jornalistas que aqui estão, é natural que haja aproximações. A partir daí não há quem não tenha a curiosidade de saber como são as reações sobre as questões políticas sobre os paises mais noticiados. Quando o assunto é EUA, todos se mostram muito educados. Não na forma de comportamento pessoal. Na forma com que são educados para falar mal dos americanos. E, principalmente, de Bush. Como saiu uma pesquisa neste final de semana sobre o que pensam os europeus sobre o terrorismo, fica mais evidente ainda que os governantes europeus preferiram ficar contra a guerra do Iraque enquanto que o povo europeu continua disfarçadamente a favor. Tudo porque a maioria das pessoas entrevistadas entende que só os EUA estão preocupados com o avanço do terror. Os países europeus temem ser a favor pelo constrangimento que cria pelo elevado numero de muçulmanos que hoje vive na UE.

TERRORISMO

Em todos os lugares, a preocupação com atentados é muito grande. Nos aeroportos a fiscalização foi dobrada e nas ruas e metrôs o policiamento está bem ostensivo. Mesmo quemuita gente tenha sido influenciada para odiar os americanos, as pesquisas mostram que há aqueles que admiram os EUA pela vontade em combater a praga da insegurança do século.

Leia mais

20 out 2004

SIAL 2004 - FRANÇA - 3


CERTIFICAÇÃO DE ORIGEM

Conversei, ontem, aqui em Paris, com Gilmar Tiethbol, diretor do Senar/RS. Tinha acabado de participar, juntamente com o Sebrae/RS e a Farsul, de uma reunião com o INAO - Instituto Nacional de Identificação de Origem-, o órgão que cuida do controle e certificação dos produtos produzidos na França. Aquilo que consta nos rótulos dos produtos, chamados de ? Origem Controlada -. Como está sendo desenvolvido um projeto piloto de certificação de origem (por enquanto geográfica, de delimitação) das pastagens da região da campanha do RS, está sendo acertada uma consultoria com o INAO para estabelecer metodologia adequada que visa dar credibilidade aos produtores que decidiram adotar o projeto.

ÁREAS AGRICULTURÁVEIS

O mundo todo já percebeu que restam muito poucas áreas para que ainda possa haver alguma expansão da agricultura e da pecuária. Além do Brasil, só o Congo e a Rússia ainda possuem áreas para poder aumentar a produção de grãos e carnes neste planeta. O restante do mundo, diante desta realidade, não tem o que fazer a não ser trabalhar com alguma produtividade que ainda não foi explorada. Portanto, gente, chegou a nossa hora de fazer valer tais vantagens competitivas.

INVEJA

Esta constatação explica muito bem a inveja e os obstáculos que vem sendo criados a todo o momento para evitar a expansão das nossas exportações de grãos e carnes. É o velho e surrado protecionismo que nunca saiu de cena e que não é coisa exclusiva dos europeus. Como isto e muito mais faz parte do jogo internacional dos negócios, para participar dele só é necessário saber jogá-lo. E bem. Portanto, mãos à obra, gente.

CAPACIDADE DE ENTREGA

No final tudo vai se resumir em examinar quem realmente tem produto em quantidade suficiente para entregar e a que preço. Não importa a hegemonia, mas a capacidade de participação firme no mercado. Alguém tem dúvida que pode ser o Brasil? Pois é. Depende agora exclusivamente danossa vontade. E competência, ao que parece, vem sendo bem adquirida e expandida. Assim, se para alguns vai sobrar inveja, ao menos será acompanhada da grande necessidade de compra para atender os consumidores exigentes.

GRANDES REDES

As grandes redes de restaurantes e churrascarias da Europa são sempre muito cobiçadas pelos exportadores de carnes. A Buffalo Grill, com mais de 250 casas, a Curtpaille, com mais de 100 restaurantes, e a Maredo, com 78 pontos de venda, pelo volume de suas vendas fazem sempre suas compras diretamente na fonte. Além destes, os representantes das redes poderosíssimas de varejo, marchands, demais restaurantes e hotéis, andam de stand em stand na busca das melhores oportunidades de preço, qualidade e certeza de fornecimento das quantidades de peças. Isto já explica o grande movimento no Pavilhão 6 do Sial.

A GRANDE FEIRA DA CARNE

Tudo isto está sendo bem observado e constatado pela forma com que os mais diversos compradores mundiais de carne circulam pelos stands onde ficam os grandes frigoríficosbrasileiros. O que eu presenciei por muito tempo, em feiras anteriores, nos espaços ocupados por argentinos, estou assistindo com os brasileiros. Embora os mais variados produtos estejam disputando clientes no Sial, a impressão é que esta é a grande feira da carne. Da carne brasileira.

RASTREABILIDADE

Quem participa de uma feira de alimentos internacional, onde a carne, por exemplo, é altamente demandada por muitos compradores, já percebeu que é indispensável que o produto tenha rastreabilidade. Caso contrário não tem negócio. O importante, porem, não é saber qual o boi que deu origem ao produto, mas a propriedade onde foi criado o animal. É preciso, portanto, identificação do rebanho, da propriedade, que realmente possa dar toda a transparência e a credibilidade ao produto.

AGENDA

CUBA, A TRAGÉDIA DA UTOPIA É o segundo livro de Percival Puggina, que será lançado amanhã, dia 21, às 18h no Vestíbulo Nobre da Assembléia Legislativa. Parabéns.

Concertos Comunitários Zaffari

Nos dias 23/10 (Sábado) ? 20h ? Catedral Metropolitana e 24/10 (Domingo ? 16h30 ? Salão de Atos da PUC/RS com a apresentação de Requiem, de Giuseppe Verdi. Entrada gratuita. Informações: (51) 3320.3582.

Olavo de Carvalho

Está sendo realizado em Porto Alegre o curso regular de filosofia do professor Olavo deCarvalho. Informações no site www.grupoliberdade.com.br

Leia mais

19 out 2004

SIAL 2004 - FRANÇA - 2


NOTÍCIAS DO SIAL

A cada dia, o crescimento da participação dos brasileiros nas feiras internacionais é notória. Nesta edição do Sial, mais um recorde foi batido, com a vinda de 150 empresas dos mais variados setores da atividade alimentícia. A maioria delas, ainda sem condições de ter seus stands independentes, preferem o guarda chuva inteligente da APEX, na forma de pavilhão de Nações, que tem facilitado enormemente a participação dos exportadores e dos interessados em exportar.

OS TRADICIONAIS

Os produtos alimentícios que já ganharam tradição são: carne bovina, frango, conservas, cachaças, doces e balas. Chama a atenção, no entanto, a carne bovina. Os expositores, através da ABIEC e do programa South Brazilian Beef não tem do que se queixar. É alegria pura. Os contatos acontecem a cada minuto o que até dificulta conversar com os expositores. Beleza. Já os frigoríficos de São Paulo e do Centro Oeste é que estão com tudo mesmo. A região como um todo mostra que cuida com muito carinho o assunto carne e a exportação. Um sucesso.

CHINA

Assinado o protocolo de liberação sanitária para o ingresso de aves brasileiras na China, é possível que nos próximos dias seja também liberado o protocolo para a carne bovina. Se as coisas andam muito boas para a carne assim como está, imaginem com a China entrando nas compras.

TUDO PELO SOCIAL?

As conversas de bastidor surtem efeitos interessantes. Muitos europeus não entendem as reclamações do Brasil quanto a fome e a miséria, hoje um artigo muito vendido pelo nosso governo no mundo todo. A pergunta que fazem, com muita procedência, é o porque de ficarmos persistindo com a venda de commodities ao invés de agregar mais mão de obra aos produtos. Estamos, no entender deles e de nós mesmos, melhorando a vida dos nossos compradores. Afinal, nós damos trabalho aos estrangeiros a cada venda feita. Compram a nossa matéria prima e em seguida agregam mão de obra deles. Enquanto isso, cuidamos do Fome Zero.

TAXAS DE JUROS E DE RISCO

A gritaria dos empresários e da imprensa em geral, sempre muito influenciadas pelo vice José Alencar, continua sendo grande quando o assunto é taxa de juros. Poucos se dão conta, no entanto, de que junto com o anúncio de elevação da taxa Selic, por parte do Copom, o índice que mede o risco Brasil recua. Uma prova de que os investidores não se sentem prejudicados, mas muito confiantes de que a medida é correta. No Brasil os caolhos não vêem isto. Crêem que uma alta do juro básico aumenta a desconfiança.

CUBA

Há sempre aqueles que detestam quando alguma notícia ruim sobre Cuba é divulgada. Como se pudesse haver notícia boa com Fidel permanecendo vivo. Por serem tão apaixonados pelo regime cubando e pela grande devoção que tem por Che Guevara, estas pessoas nunca admitem qualquer coisa que se diga ou se escreva sobre problemas da Ilha do Dr. Castro. Mas, apesar deles tenho o dever de informar que a cada dia a vida dos cubanos está ficando mais insuportável. Os coitados, por estarem impossibilitados de se manifestar, caso contrário pagam com suas vidas, estão sempre à mercê das loucuras de Fidel.

FESTEJANDO OS ACENDÕES

A falta de eletricidade em Cuba é tão grave que, se houve um tempo em que eram muito lamentados os apagões, de tão preta que as coisas estão, a festa agora é muito grande quando há acendões. Tudo porque não há quaisquer investimentos em infra-estrutura. Mas o problema, certamente, não está numa eventual falta de vontade política de El Jefe. Está, como sempre é dito pelo próprio, no embargo que os EUA impõem ao regime. Pode? Pode aqui este tipo de reação, onde muita gente acredita piamente nisso.

AGENDA

-

SONAE

-O presidente mundial do grupo Sonae, Belmiro de Azevedo, participa hoje, 19, do evento -Investir no Brasil? - promovido pela Amcham/RS. Informações pelo site: www.superacaobrasil.com.br.

VI JAT

Jornada de Atualização Tecnológica - Acontece hoje e amanhã, 20 de outubro, em Porto Alegre, e terá como tema ?Soluções para Tecnologia Móvel?. Inscrições e Informações:(51) 3346.4422 e pelo site www.softsul.org.br.

BANRISUL

-A Agência Central do Banrisul (Rua Capitão Montanha, 177 - Praça da Alfândega) irá inaugurar o novo layout de suas dependências,amanhã, dia 20. A nova estrutura irá oferecer aos clientes um ambiente moderno e um atendimento ágil. Também foi criada uma rampa de acesso que facilita a movimentação de deficientes físicos e idosos.

Leia mais

18 out 2004

SIAL 2004


ONDE, COMO E PORQUÊ

A cada dois anos os profissionais do setor de alimentação se encontram no SIAL, para apresentar suas novidades, inovações técnicas, curiosidades gustativas e novas formas de apresentação dos produtos. As atividades vão até o dia 21 e todos, certamente, querem saber o que os 5200 expositores que ocupam uma área de 200 mil m², tem para mostrar e vender. Este ano, a questão não é só saber o que vamos comer amanhã, mas onde, como e porquê. Com 98 países apresentando seus produtos, o salão também é uma vitrine para as 22 regiões da França.

PRAZER, SAÚDE E FORMA

O que há de novo no SIAL? Obedecendo aos conceitos mais importantes, é possível destacar, pela ordem, 1- o Prazer, que representa: a) A descoberta de conceitos que mexem com a imaginação do consumidor; b) A variedade de produtos de grande qualidade, destinados aos consumidores mais exigentes; c) Crescimento do gosto pelas especiarias; e d)- Exotismo da cozinha Italiana e Mediterrânea.; 2- Saúde: a) Embalagens de frutas e vegetais com a inscrição da palavra ?saúde?; b) Valorização de produtos vegetais tradicionais, sem aditivos. A Forma: a) Retorno mais radical a referência ?light?; b) Aromaterapia alimentar utilizando ingredientes vegetais adaptados. A Praticidade: a) Variedade de produtos ?dosados?; b) Embalagens simples.

INOVAÇÃO E CRIAÇÃO

O talento dos estudantes da Escola Superior D?Art e Design de Reims, está presente no espaço de tendências e consumação alimentar. Ali eles apresentam suas criações sobre o tema ?Frutos do Mar?.Vejam algumas: Pérolas coloridas e comestíveis, depositadas dentro da ostra fresca. São oferecidas em quatro sabores: limão, vinagre, cebola e tabasco.

CARANGUEJOS CUSTOMIZADOS

Você já imaginou um caranguejo com tatuagem? Aqui no SIAL encontramos caranguejos tatuados, com piercing, coloridos. Você pode provar o crustáceo que imaginar. Cada identidade étnica e cada estilo de vida correspondem a um novo estilo alimentar. Tecno, Tribal, Gótico, etc.

À LA CARTE

Uma volta ao mundo de receitas populares e tradicionais são apresentadas em forma de sushi. É o caso do Haddock e polenta (Itália), Sardinha e pão de alho (Mediterrâneo), Hareng e batata (Norte Europeu).

O ESTRAGO DO PETRÓLEO

Se por algum tempo os preços do petróleo não passaram de uma especulação de mercado, segundo os mais céticos, hoje já mudou isto. As barbas dos europeus, mesmo de molho, continuaram ardendo. O que eles precisavam entender, e o estão agora, é que a valorização do euro não ficaria impune. Em algum momento a diferença do preço da moeda seria cobrada pelos produtores do óleo. Pois, chegou a hora: além da moeda que tornava o produto muito barato para os europeus (a cotação do barril é em dólar, que se desvalorizou muito em relação ao euro), a maioria dos países da EU não apoiaram a guerra do Iraque. Como o estrago todo deve ser pago com o produto principal do país destruído, a vingança aí está. E o resto do mundo paga junto.

PAPAI NOEL NÃO EXISTE

Enquanto isso, aí no Brasil, nacionalistas embriagados ainda preferem ficar com a idéia de que já temos bastante petróleo, a ponto de a Petrobrás não precisar acompanhar os preços internacionais. É muita burrice. Anotem aí: o reflexo na nossa economia será de acordo com o humor da economia dos mercados compradores de todos os produtos. Como precisamos aumentar cada vez mais as nossas exportações, coisa que aprendemos muito recentemente, não cabe tomar atitudes idiotas. Só serve para que percamos a pouca credibilidade que já conquistamos. O mundo, gente, sabe perfeitamente que Papai Noel não existe. As bolsas de valores, através do comportamento dos investidores do mundo todo tratam diariamente de informar quem faz ou não as coisas certas.

VIBRAÇÃO E TRISTEZA DOS GAÚCHOS

Duas coisas me são perguntadas constantemente pelos gaúchos que aqui estão: futebol e política. Quando ficaram sabendo o resultado das pesquisas eleitorais para Prefeitura de Porto Alegre, a vibração foi enorme. E isto que muitos nem residem na Capital. Pelo visto, o desencanto é tão grande que a maioria se mostra muito feliz com os números do Ibope. Já quando o assunto é futebol, os torcedores do Grêmio, principalmente, apesar de tristes estão conformados. O clube, pelo que sua equipe mostra a cada partida, não pode mesmo permanecer na 1a divisão. A grande preocupação agora é com o movimento que está sendo feito pelos participantes da 2a divisão, que dizem não suportar o baixíssimo nível que a mesma pode enfrentar com a presença do Grêmio. Concordo plenamente.

Leia mais

15 out 2004

SEMANA DE ANIVERSÁRIO


SIAL 2004

A partir de segunda dia 18, estarei enviando notícias direto da França, onde participo mais uma vez do SIAL. Considerado o maior evento mundial no setor de alimentação, o SIAL é uma vitrine internacional para expositores de 94 países, um encontro indispensável para profissionais de produção, distribuição e comércio de alimentos. É, também, um revelador das tendências de consumo mundial.

O DECÁLOGO LIBERAL - 1

Segundo Roberto Campos: 1- O Brasil precisa parar de admirar o que não deu certo; 2- O governo não pode dar nada ao povo o que primeiro dele não tenha sido tirado; 3- Não se pode confundir Estado Forte com Estado Fraude. Para ser forte o Estado tem que ser modesto; 4- No Estado brasileiro os assistentes se dão melhor do que os assistidos; 5- O estado é melhor como jardineiro que deixa as plantas crescerem do que como engenheiro que faz as plantas erradas; 6- As riquezas artificiais ? educação e tecnologia - são mais importantes que as riquezas naturais;

O DECÁLOGO LIBERAL - 2

7- Os nacionalistas gastam tanto tempo odiando os outros países que não tem tempo para amar seu próprio país; 8- O erro dos militares foi não terem feito a abertura econômica antes da abertura política. O erro dos civis foi depois da abertura política fazerem a fechadura econômica; 8- O maior insumo do progresso é a liberdade econômica num mercado competitivo; e, 10 ? Os que crêem que a culpa dos nossos males está nas estrelas e não em nós mesmos ficam perdidos quando o as nuvens encobrem o céu.

OS PARADOXOS

Enquanto ainda tratamos as privatizações como dogmas, mal tomamos conhecimento que os programas pioneiros foram deflagrados por governos trabalhistas com retórica de esquerda, como Austrália e Nova Zelândia. E em termos de rapidez do processo, os campeões foram países comunistas, como a Rússia, a China e a República Checa. Outro desconhecimento é que as privatizações são uma forma capitalista de realizar o sonho socialista de difusão da propriedade. Este objetivo pode ser obtido diretamente pela pulverização da venda ou pela participação de fundos de pensão dos trabalhadores. É o chamado capitalismo do povo.

OS DONOS, NO BRASIL

Aqui no Brasil, lamentavelmente, quem ficou de dono ou maior acionista das empresas que foram privatizadas foram os fundos dos funcionários das Estatais, que foram montados com dinheiro público e quando não existiam ainda os fundos abertos de previdência. Além de funcionários, se adonaram dos ativos, o que aumentou ainda mais a desigualdade social, hoje tão comentada.

VALORES

O grande dilema das esquerdas continua sendo Solidariedade, Bondade, e Caridade, que deveriam ser entendidos como valores morais e não operacionais. Isto explica o constrangimento da sociedade com relação ao programa Fome Zero. Todos se colocam como solidários e bondosos, esquecendo que a operação é fraudulenta e demagógica. Como também é o orçamento participativo. A idéia de que é possível realizar estes programas automaticamente, por meio de uma engenharia econômica e política, parte do pressuposto de que já chegamos tecnologicamente ao fim da era da escassez. Como infelizmente isto não corresponde aos fatos, persiste sempre a mesma insolúvel dificuldade de como dividir bens escassos num mundo potencialmente insaciável, em que somente poucos mostram vocação pelo voto de pobreza.

FÁBRICAS DE GENTE

Enquanto isso, os menos desenvolvidos já somam 80% da população mundial. Como se a pobreza fosse pouca, tais países contribuem para que piore, pois despejam mais de 200 mil crianças por dia. Do tempo de Cristo até a descoberta do Brasil, a taxa de crescimento anual foi de 0,6 por mil. Hoje já é 25 vezes maior. Isto prova que o problema de pobreza não pode ser resolvido com Vontade Política. Exige aumento sério e forte de produtividade do setor privado e eficácia operacional do setor público. O que é possível quando os governos deixam de fazer o que não sabem e se concentram só no que importa.

AGENDA

O Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS) inicia, no dia 18 de outubro - segunda-feira, a série de seminários itinerantes Imprensa e Desenvolvimento Sustentável ? Pra Quem Vê o Futuro no Presente, no auditório da PUC de Porto Alegre. Informações no site www.cebds.com .

O HOSPITAL MOINHOS DE VENTO

nesta segunda, dia 18/10 reúne a imprensa para falar sobre a inauguração do Centro Clínico Tiradentes. Na ocasião, serão reveladas todas as informações sobre o investimento, os serviços e o atendimento que vai posicionar o Hospital entre os melhores do mundo.

Full Gauge Controls

empresa parceira do PONTOCRITICO.COM está expondo seus produtos na feira alemã IKK. O diretor Antônio Gobbi satisfeito com os resultados obtidos,diz que este ano, as exportações já cresceram 95% em relação a 2003. Sucesso.

Leia mais

14 out 2004

SEMANA DE ANIVERSÁRIO


CAMPANHAS EQUIVOCADAS

A cada dia se confirma que as campanhas feitas com o propósito de redução de ?acidentes? (?) de trânsito, não estão dando o resultado que todos gostariam. As mensagens pecam pela falta do diagnóstico correto. Uma grande parte, mas bota grande nisso, dos motoristas gaúchos, não sabe, não gosta ou não tem a mínima idéia do que representa a necessidade de seguir as leis de trânsito. Não tenho certeza se o mesmo acontece em outros Estados, mas sei que os gaúchos também desconhecem os limites e o correto uso dos equipamentos que dirigem. E que se lançam a fazer uso deles nas vias públicas. Somando estas deficiências, mesmo sem imprimir muita velocidade ao veículo, já temos ingredientes suficientes para que tudo de ruim aconteça.

O PROBLEMA É OUTRO

Nesse feriadão, a exemplo de muita gente, me desloquei para o litoral do RS. E decidi fazer o percurso no limite máximo de velocidade permitida, apesar da BR 290 oferecer condições para uma velocidade maior em vários trechos. Ao entrar na estrada já se percebe claramente que o problema não está só na velocidade dos veículos. Está, antes de tudo, na forma errada de pilotá-los. Eis alguns erros cometidos, de forma gritante:

ERROS GRITANTES - 1

1- o primeiro erro de quem vai para as estradas se mostra nas ultrapassagens. Quase todas são muito mal feitas, ignorando sempre as faixas de sinalização; 2- muitos motoristas já estão se acostumando a utilizar a faixa da direita para ultrapassagens, o que aumenta ainda mais o tamanho do erro e do risco. Se ultrapassar não significa acerto em muitas situações, imagine sendo pela direita, onde é erro puro; 3- a quase totalidade dos motoristas não tem noção de que estrada é diferente de cidade. A velocidade imprimida sendo sempre maior na estrada, a atenção precisa ser dobrada; 4- outra estupidez que faz parte da cultura do mau motorista gaúcho é entrar na estrada e posicionar o seu veículo, do início ao fim da viagem, na pista da esquerda. Ora, esta é uma regra básica que deveria ser do conhecimento de todos, onde a pista da esquerda deve ficar sempre livre para as ultrapassagens.

ERROS GRITANTES ? 2

5- além disso, aqueles que andam atrás desconhecem que deve haver uma distância mínima de 30 metros do veículo da frente. Um carro que fica colado a outro está pronto para uma colisão ou derrapagem. Basta uma freada brusca e, pronto. É fatal. Existem outros erros, mas os mais freqüentes e praticados são estes e dão a impressão de que são instruções recebidas, pois são corriqueiros.As campanhas de publicidade, certamente não tem como diminuir os índices de trombadas ou capotagens (que nada tem a ver com acidentes, que é algo fortuito). O problema está, pois, na reciclagem, na educação das pessoas, até porque as falhas mecânicas tem sido mínimas. As câmeras que hoje flagram a velocidade dos veículos deveriam flagrar é a má condução dos mesmos. Seria um show e daria uma idéia de como deveria ser uma campanha correta.

TRIBUTO A ROBERTO CAMPOS

Remexendo na minha gaveta onde guardo recortes de artigos escritos por Roberto Campos, separei alguns deles que estão muito atualizados e que merecem ser divulgados novamente para ajudar a esclarecer quem era este fantástico liberal que muita falta nos faz. Eis aí algumas pérolas:

A OPÇÃO PELO ATRASO - 1

Observando com atenção a nossa história, torna-se evidente a grande preferência que os brasileiros sempre mostraram pelo aumento do risco-país e pelo baixo crescimento econômico. E o resultado é que tudo isto tem custado muitíssimo caro ao Brasil. Vejam o que representou tal preferência: a 1a. Onda foi perdida quando JK gastou tudo para construir Brasília e o governo Jango foi à bancarrota; a 2a. Onda, já no governo Castelo Branco, apesar do nacionalismo exacerbado, ainda foi aproveitada com o crescimento industrial do mundo;

OPÇÃO PELO ATRASO - 2

a 3a. Onda, infelizmente, caracterizada pelo milagre asiático, a corrida tecnológica não foi aproveitada no Brasil. À época preferimos ficar com o Plano Cruzado e sua cultura do calote, que até hoje nos custa ainda muito caro, pois arruinamos fortemente a nossa imagem com a moratória unilateral. Como se não bastasse, fizemos a Constituição de 1988, exatamente um ano antes da queda do muro de Berlim. Um desastre enorme, pois foi utópica no social e muito intervencionista na economia.

AGENDA

-

ADVB/RS

A palestra com o empresário ambientalista Gunter Pauli, marcada para hoje às 19hs, foi transferida para o dia 19 de novembro, pois o palestrante não conseguiu estar em Porto Alegre.

AHÚ: DIÁRIOS DE UMA PRISÃO POLÍTICA

Este é o livro que o jornalista Políbio Braga lança hoje , a partir das 18 hs no Press café do Moinhos Shopping. Parabéns.

Leia mais