Artigos

05 mar 2007

SEMPRE NA CONTRA MÃO


DESDE O BRASIL COLÔNIA

O Brasil, ao longo de todos os seus governos, desde a instalação do Governo Geral, em 1549, se caracterizou por um comportamento incrivelmente retrógrado: sempre deixou de tomar atitudes corretas que viessem a propiciar um contínuo crescimento e desenvolvimento. E, quando ainda faz algo é só para impedir qualquer avanço importante.

PERSISTINDO NA BURRICE

O curioso, para não dizer absurdo, é que governos de vários países bem sucedidos já adotaram sistemas inteligentes e adequados, nas áreas fiscal e tributária, e nem assim nos dignamos a copiar os feitos. Continuamos, lamentavelmente, persistindo com a burrice exemplar de quem adora viver no terceiro mundo.

NO DESTINO

Exemplo: Para não onerar a indústria com tributos sobre o consumo, a lógica, já praticada em vários países, determina que impostos desta ordem devem ser cobrados no destino. Ou seja, a incidência ocorre onde qualquer produto ou serviço é consumido. Além de facilitar a fiscalização arrecadadora de impostos, estimula quem se dedica a fabricar produtos.

UMA QUESTÃO DE LÓGICA

Agindo desta forma, os estados passariam a se esforçar muito mais para atrair empresas que têm como finalidade um maior aumento de empregos e da renda dos seus colaboradores. Com isto, os governos estaduais estariam propondo um aumento do consumo, que por sua vez significam mais impostos para os caixas dos tesouros estaduais.

ÚNICA PREOCUPAÇÃO

Esta lógica, infelizmente, está totalmente fora da cabeça dos nossos governantes. O que eles querem mesmo é continuar disputando novas empresas, visando com isto mais impostos e não postos de trabalho. Tudo porque vivem com uma única preocupação: pagar a folha de seus funcionários.

REPRESENTANTE DAS CORPORAÇÕES

Os governantes, por vicio, jamais demonstram preocupação com a folha de pagamento da significativa maioria da sociedade de seus estados. Governante, aqui no Brasil, é, em última análise, um forte representante das corporações de servidores.

FORA DA AGENDA

Como estamos às vésperas de mais uma reunião do presidente Lula com os governadores, uma coisa já é sabida: qualquer discussão, ou proposta, que possa fazer do Brasil um país mais alinhado com um mundo moderno, os governadores não admitem que se fale. Estamos ferrados.

ROTA DO SOL

Aquela rodovia que o pobre governador Rigotto insistiu em inaugurar bem antes do término das obras - ROTA DO SOL- nem chegou a ser liberada e agora já está interditada. Apressado, o Rigotto, não? Melhor: péssimo administrador.

AEROMÓVEL

Será anunciado na próxima quinta-feira (08.03), durante café da manhã para a imprensa, no Hotel Plaza São Rafael, às 9h30min, o projeto de instalação do Sistema Aeromóvel no campus da PUCRS, em Porto Alegre. O empreendimento é resultado de parceria estratégica firmada entre a Aeromóvel Brasil S.A. (ABSA) ? detentora da tecnologia do sistema, a PUCRS e a UFRGS, contando com o apoio da Financiadora de Estudos e Projetos ? Finep.Numa primeira etapa, com 12 meses de duração, será realizado o trabalho de pesquisa e desenvolvimento, incluindo a instalação de uma via elevada metálica, com 200 metros de extensão e de veículo para cerca de 50 ocupantes. Será mobilizada equipe de 58 professores-pesquisadores, além de 40 bolsistas e o suporte de oito laboratórios das duas universidades.Na segunda etapa, haverá a construção de um anel circular do Aeromóvel, com 2 km de extensão, para o transporte regular de passageiros, interligando o campus da PUCRS ? Prédios, Hospital Universitário e Parque Centro Esportivo, sobre a Av. Ipiranga. Além de atender a mobilidade na área, a operação servirá para a obtenção de certificação internacional do sistema, credenciando-o para implantação em outros locais no País e no exterior.

ROTARY

Presidente do Rotary Internacional, Bill Boyd, da Nova Zelândia, e sua esposa, Lorna, aterrizam em Porto Alegre no próximo domingo, 11 de março. Esta é a primeira visita ao Estado desse dirigente máximo do Rotary, cumprindo rápido roteiro, incluindo visita ao Pão dos Pobres e à Fiergs.

TV DIGITAL

As mudanças que a TV Digital pode trazer para a sociedade brasileira são infinitas. Mas sua real alteração no modo de assistir televisão está muito ligada à interatividade com o telespectador. É onde o setor de Tecnologia da Informação(TI) aposta suas fichas, com a intenção de realmente levar ao público o produto final diferenciado. A Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação, Software e Internet (Assespro ) juntamente com outras entidades de TI do Brasil, como a ABES, Sucesu , Fenainfo, Softex e Brasscom, estabeleceram alguns pontos fundamentais para o objetivo. São eles, isonomia internacional, desenvolvimento do próprio middleware no País, que tem o nome de Ginga, e sua adoção como modelo brasileiro para tv digital, investimento na qualificação da mão-de-obra, fomentar o mercado de criação de software para uso da nova tecnologia, e abrir espaço para programas pilotos que atendam os interesses da população.

Leia mais

02 mar 2007

O BRASIL E OS EUA


INSIGNIFICANTE

O Brasil, indiscutivelmente, até vem apresentando um bom desempenho no mercado internacional, via aumento das exportações. Mas, considerando o volume das importações feitas pelos EUA, que chegam a U$ 2 trilhões anuais, a nossa participação é bastante insignificante.

NOSSO DESTINO

Ora, se o grosso das nossas exportações tem como destino a terra de Tio Sam, e, repito, estamos contabilizando bons resultados pelo crescimento das exportaçoes, o fato é que não fazemos cócegas no mercado americano. Em outras palavras, somos dispensáveis.

HIPÓTESE

Vamos admitir a hipótese de que os EUA viessem a diminuir pesadamente as suas importações, para, digamos, U$ 1 trilhão, ou seja, 30% a menos do que vem importando. Mesmo assim tal redução não afetaria tanto o Brasil pelo nosso montante exportado. Isto significa que uma eventual recessão americana não mudaria em quase nada nas nossas exportações para lá. A não ser...

ÓDIO

O que poderia melhorar, em muito, a nossa situação simplesmente já foi abortado: a ALCA. Salvo poucas cabeças ainda pensantes, o fato é que os brasileiros detestam os americanos. Ao longo dos anos tem sido muito incutido nas mentes menos esclarecidas que o inimigo mora na América do Norte. Amigos, para esta maioria barulhenta, é a Venezuela (Hugo Chávez), Cuba (Fidel Castro) e Bolívia (Evo Morales).

MOBILIZAÇÃO

Pelo que já está sendo estampada pela nossa imprensa, a visita de Bush ao Brasil vai mobilizar muita gente. Principalmente a turma organizada da esquerda delirante, que a cada dia aumenta mais, tanto em tamanho quanto em ruído. Se Bush já goza de antipatia mundial vão aproveitar o tal ódio para colar nele o mesmo sentimento ao povo americano. E com isto vamos ficando mais distantes de um possível sucesso.

OS IDEOLÓGICOS

Como o grande assunto da visita de Bush é estímulo conjunto ao bio-combustível, coisa que interessa muito ao Brasil, e diminui a importância relativa da Venezuela no contexto americano e brasileiro, não faltarão, certamente, os sempre contrários ambientalistas, altamente ideológicos.

MAIOR TORCIDA

O diálogo, publicado nesta semana, entre Fidel Castro e Hugo Chávez, mostra o quanto já está sendo feito para promover mobilizações nos países em que Bush estará na América Latina. E, naturalmente, nos países em que Bush não estará mas que Chávez, espertamente, irá. Os jornais vão cobrir os eventos para dizer quem tem a maior torcida. Perdemos.

Leia mais

01 mar 2007

QUEM ESTÁ EM CRISE?


CHINA E EUA

Bastou a queda do índice da Bolsa de Xangai, e a revelação do baixo crescimento do PIB no último trimestre americano, e os aprendizes de feiticeiros já saíram propagando notícias sobre crises em curso na China e nos EUA. A mídia mais sensacionalista, por questão de coerência, também não perdeu tempo. Detonou.

CHINA EM CRISE ?

Antes que todos comecem a repetir estas besteiras é bom lembrar que, embora nenhum país esteja livre de passar por dificuldades, decididamente não é o caso da China e dos EUA neste momento. A China tem como problema bem conhecido o excesso de crescimento e não o contrário. As tão faladas medidas, que estão sendo ainda discutidas por lá, são para tentar diminuir o ritmo do crescimento e não para enterrar a economia do país. Isto não é crise.

EUA EM CRISE ?

Os EUA, também para buscar maior equilíbrio do crescimento do PIB aumentou a taxa de juros básica. E, naturalmente, os efeitos já deram os primeiros frutos no último trimestre. Ou seja, os instrumentos usados para conter a euforia americana já começam a mostrar resultados. Isto também não é crise.

O BRASIL ESTÁ EM CRISE !

Vamos passar para a nossa situação, a qual deveria merecer todas as manchetes: o nosso PIB não cresceu coisa alguma. Numericamente aumentou 2,7% na renda das pessoas e 2,9% na arrecadação de impostos. O que prova que o aumento da arrecadação de tributos foi maior do que o pequeno aumento de renda do povo. Isto é crise. Pesada.

FREIO PUXADO

Vamos mais adiante: o governo brasileiro não toma qualquer medida para conter euforia dos impostos e das despesas públicas. Prefere, como se vê, conter o crescimento do PIB, como vem fazendo nos últimos vinte anos. Ano após ano a sociedade é sempre engambelada com falsas promessas de crescimento. E o governo só puxa o freio com impostos e altas despesas, impedindo assim o tal crescimento prometido.

MÁS COMPANHIAS

Além disto continuamos embriagados ideologicamente pelos princípios comunistas de Cuba, Venezuela e Bolívia. Países estes que empobrecem seus povos na mesma velocidade com que cerceiam a liberdade dos seus cidadãos. Más companhias, lamentavelmente, reconfirmadas pelo ex-embaixador Roberto Abdenur, o que atesta, com clareza, todos os comentários dos críticos deste governo. Isto é crise. Das grossas.

ESTAMOS EM GRANDE CRISE

Além das más companhias ideológicas temos a companhia dos derrotados países cujo desempenho do PIB foram pífios: Haiti e São Salvador. Estes conseguiram ser piores do que o Brasil, o que está deixando muito contrariados os seus habitantes. Eles demonstram que podem admitir tudo nos seus governos menos perder para nós. Isto é mais do que crise. É o fim da picada. SOMOS NÓS QUE ESTAMOS EM CRISE! SÓ PORQUE QUEREMOS! VIVA A CRISE!

Leia mais

28 fev 2007

O ANO DO PORCO JÁ COMEÇOU


NOS NOTICIÁRIOS

A repercussão da queda expressiva da Bolsa de Xangai aconteceu em todas as frentes. Assim como afetou diretamente as aplicações financeiras dos investidores em ações em praticamente todo o mundo, tomou conta também dos noticiários internacionais.

COMENTÁRIOS MALUCOS

Como o mercado acionário simplesmente não é entendido pela maioria esmagadora dos comunicadores, os comentários que os locutores arriscaram acabaram sendo piores e mais contundentes do que a queda dos preços dos papéis. Um verdadeiro horror.

COMPARAÇÕES

Se razões sempre existem para explicar as altas, outras também existem para responder os porquês das quedas. Uma delas: o índice que mede o comportamento da Bolsa de Xangai (representando pelas ações mais líquidas negociadas) subiu mais de 120% em 2006. Nos demais países que têm expressão em negócios em bolsas a alta não foi superior a 35%. Só este exagero já informa que há uma mínima possibilidade de continuação de alta dos preços das ações chinesas.

EXAGERO

O limite de valores a ser alcançado pelas ações, embora não se defina só por um número, está muito ligado ao tamanho do exagero dos preços atingidos, se comparado com as ações do mesmo setor, nos mercados do mundo todo. Afinal, o preço de qualquer ativo está intimamente ligado à taxa de retorno do investimento.

REMUNERAÇÃO

Ações, para quem não sabe, são, antes de tudo, remuneradas por juros e dividendos. Portanto, a perspectiva de maiores ganhos de uma empresa é o que determina a valorização de suas ações. É lógico que outros fatores podem influenciar o comportamento dos ativos, como por exemplo, a venda de uma empresa. Neste momento o espaço está curto para estas explicações.

ARRISCADO

Para completar o raciocínio entendo que o fato da Bolsa de Xangai ter fechado, hoje, com alta de 4%, significa que continua muito arriscada. Por um motivo simples: se já houve exagero em 2006 não é possível admitir que ainda continue subindo e 2007. A probabilidade maior é de queda, embora não deva, necessariamente, acontecer tudo num dia só.

Leia mais

27 fev 2007

O BRASIL, O URUGUAI E O MERCOSUL


TERRITÓRIO PEQUENO

O Uruguai é, infelizmente, um país cujo território tem dimensões muito reduzidas. Não fosse o tamanho, o que limita o número de habitantes, seria a melhor opção para que muita gente se mudasse imediatamente para Montevidéu ou Punta Del Este, principalmente.

ACERTOS IMPORTANTES

Em 2006 escrevi sobre as reformas que foram aprovadas no Uruguai e mais sobre aquelas que deverão ser aprovadas neste ano. Na realidade transcrevi as informações fornecidas pelo ministro das Finanças do Uruguai, cujo PIB cresceu mais de 7% no ano passado. Uma prova clara dos primeiros e importantes acertos do governo Tabaré Vásquez.

ATRAÇÃO DE INVESTIMENTOS

Volto a repetir o que já escrevi: os cuidados por lá são e continuam grandes e consistentes. Em 2007, pelo que se imagina, o crescimento deve ser muito parecido com o ano anterior, pela forte atração de investimentos que a reforma fiscal e tributária vem oportunizando. Ou seja, tudo aquilo que nós vamos protelando.

FORA MERCOSUL !

Os uruguaios não reclamam dos EUA. Nem da China ou Índia. Estão fazendo, conforme revelação do ministro, a lição de casa para não mais perder as oportunidades. E como o Mercosul vem demonstrando muito claramente ser uma instituição com puros interesses ideológicos, ao invés de comerciais, nem um socialista como Vásquez quer saber do Bloco.

DE MALA E CUIA

A visita de Lula ao Uruguai, ontem, foi uma boa oportunidade para conhecer os novos objetivos do nosso vizinho. E na medida em que as informações forem passadas aos brasileiros tenho certeza que muita gente gostaria de ir definitivamente para lá. É perto e a língua ajuda. O problema, porém, muito sério, é que o Uruguai, pelo seu reduzido tamanho, não suporta um ingresso de 500 mil pessoas.

CONTER O CRESCIMENTO

A grande notícia que afetou o mundo econômico aconteceu durante a noite: a Bolsa de Shangai despencou quase 9%. Fruto de especulações sobre medidas do governo chinês para conter investimentos, como aumento de juro e de impostos. Em outras palavras: o vertiginoso crescimento chinês não pode continuar. E para ser contido não tem como agradar os agentes econômicos do mundo todo.

RISCO

Como se vê, aí não há aviso prévio. Os mercados podem, a qualquer hora, serem atingidos com quedas fortes e impiedosas. Basta uma simples notícia de decisão, ou pretensão, governamental em países de forte presença mundial. Pronto: todos viram vendedores. E no afã de tentar sair dos ativos, muita gente, no entrevero, além de perder dinheiro ainda corre risco de perder a vida no pisoteio. Espero que com isto entendam melhor a política conservadora do nosso BC.

Leia mais

26 fev 2007

FESTA PARA PAGAR A FOLHA


RESPONSÁVEIS

O Governo do Estado do RS só está, e muito, complicado financeiramente porque seus governantes, ao longo do tempo, assim o quiseram. Nunca houve falta de sorte ou acidente de percurso. O que houve, isto sim, foi grande despreparo e excesso de má administração para levar o Estado a esta tal penúria de difícil recuperação. A bem da verdade é excluir o governo Britto que deu nova e boa perspectiva ao RS, cuja obra acabou destruída estupidamente pelo PT. E também o governo de Yeda, recém iniciado, que ainda não pode ser responsabilizado.

FESTA DE ARROMBA

Observem que, na situação atual calamitosa, a grande festa anunciada pelo governo tem sido sempre ao final de cada mês, quando é confirmada, e sempre com grande expectativa, que a folha dos servidores será paga. Como não há investimentos no RS a serem saudados, assim como não há serviços bem prestados ou alguma eventual redução de impostos para a sociedade, nada mais se festeja. Isto, aliás, já é coisa secundária no RS. Festa mesmo é conseguir pagar a folha. Pode?

COMPARAÇÃO OPORTUNA

Para não ir muito longe, vejam o vizinho Estado de Santa Catarina. Mesmo com suas dificuldades e não sendo um grande exemplo de administração pública, dá de dez no RS. A começar pela sua capital, Florianópolis. Lá não existem carroças. O que significa bastante coisa para ser uma cidade decente. Mas não fica só nisto. A maioria das praias de Floripa são, infinitamente, melhores do que as mais badaladas praias do RS. Isto sem levar em consideração a beleza da orla, que por si só já seria uma covardia.

MAGNÍFICO PROJETO

A praia de Jurerê Internacional, por exemplo, que dispõe de uma forte associação (AJIN) de proprietários (moradores e veranistas), está envolvida num magnífico projeto para torná-la uma referência internacional. Todas as providências estão sendo tomadas para que a certificação Bandeira Azul (conferida por um Júri Internacional) seja conquistada ainda em 2007.

REFERÊNCIAS

Para tanto estão sendo promovidas significativas melhorias em toda a orla e no perímetro urbano do residencial. Vejam: melhorias em Jurerê Internacional, que já é uma grande referência de beleza e organização. Enquanto isto, Porto Alegre ainda estimula a existência de carroças. O que é, também, sem dúvida, uma grande referência.

FORA FMI !

A incrível escolha do economista Paulo Nogueira Batista para a diretoria de FMI significa o fim da instituição. Agora o Fundo quebra mesmo. Como conseguiram aceitar alguém que é um dos grandes responsáveis pela moratória do Brasil? Agora é a hora de dizer alto e bom som: Fora FMI!

DE DIREITA ?

Só faltava esta: o neo-comunista Hugo Chávez afirmou que as organizações Globo são a pior espécie da extrema direita. Sabe pouco ou nada o ditador. Globo é extrema direita? Sai dessa.

Leia mais