Artigos Anteriores

VOCÊ ESTÁ OTIMISTA?

ANO XIV - Nº 007/14 -

SENTIMENTO CLARO

Responda sinceramente, caro assinante do Ponto Crítico: diante do quadro atual, das reais perspectivas e daquilo que estamos assistindo, você está realmente otimista quanto ao desempenho da política e da economia brasileira?

RESPOSTA SINCERA

Para que a resposta seja sincera, evitando arrependimentos, o melhor é deixar de lado o ufanismo. Só assim o raciocínio e o discernimento funcionarão de forma adequada e tranquila. E não serão contaminadas pelas promessas que os governantes normalmente fazem.

OTIMISMO

Ah, para que ninguém seja traído também pela mídia, sempre pouco esclarecida, é bom repetir que o OTIMISMO nada mais é do que a soma de vontade com a fé. E que o OTIMISTA é aquele que crê, mais do que tudo, nas coisas impossíveis.

O DESEJO E A CRENÇA

Ora, vontade de que as coisas boas aconteçam é o que todos querem e desejam. Inclusive eu. Já acreditar no Brasil, analisando o andamento da carruagem, as circunstâncias e as propostas deste governo incendiário, é outra. Fora disto, qualquer opinião não passa de um palpite de quem acredita em milagres ou é adepto do ilusionismo.

ILUSIONISMO

Ademais faço questão de informar que milagres, cientificamente, não existem e nunca existiram. E as mágicas não passam de ilusionismo onde o prestidigitador troca os objetos (que faz desaparecer) de lugar. Nada some, portanto. A ilusão é que leva a platéia a acreditar no desaparecimento do objeto.

TRANSPARENTE

É notório que a nossa capacidade de crescimento está se esgotando. A educação foi colocada à prova e o Brasil foi reprovado. Basta observar que enquanto sobram milhares de postos de trabalho, falta mão de obra qualificada.Além disso não há um brasileiro sequer que não saiba que os preços de tudo aquilo que é produzido no Brasil é bem mais caro do que é fabricado em qualquer lugar do mundo.

RESPONDA SINCERAMENTE

É admissível que diante de tanta falta de escolaridade, de educação, o povo não saiba o que precisa ser feito para melhorar as condições competitivas do país. Mas boa parte dos políticos deveriam saber e deveriam enfrentar o problema. Infelizmente, não é isto que acontece.Como nenhum deles pensa no Brasil além da próxima eleição, a pergunta é esta mesmo: É possível acreditar no sucesso de um país assim? Responda sinceramente.

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • TAXA BÁSICA
    A ata da última reunião do Copom indica que o ciclo de alta da taxa básica de juros deverá durar mais do que se previa inicialmente. A avaliação é de que o documento devolveu à Selic o protagonismo no combate à inflação e ainda serviu para a BC mandar um recado ao governo: é preciso moderar os subsídios ao crédito.
  • INDEXAÇÃO
    Eu já havia comentado que a indexação é um ingrediente poderoso para realimentar a inflação. Agora, a equipe econômica do governo Dilma trabalha numa agenda ousada de desindexação da economia, que vai além dos contratos atrelados a índices de preços. Ela deve abranger os investimentos financeiros indexados ao DI (juros médios das operações interbancárias), a caderneta de poupança e o que eles estão chamando de indexação -oculta-. Esta se refere a preços que, embora livres, não obedecem aos ciclos econômicos.O mapa da indexação no país é mais extenso do que se imagina, conforme radiografia já concluída por esse grupo de técnicos. Tá vendo?
  • A VOLTA DO MENSALEIRO
    Para se manter fiel a tudo que pensa e faz, o PT resolveu que Delúbio Soares deve voltar ao ninho do partido. O reingresso do mensaleiro-chefe será festivo. Que tal?
  • TÁ NA MESA
    O Presidente do Conselho de Administração da TAP, Fernando Pinto, será o palestrante do Tá na Mesa da Federasul na próxima quarta-feira (04/05). Tema: Tap no Brasil e Porto Alegre como porta de entrada dos europeus no Cone Sul. A palestra acontece a partir das 12h, no Salão Nobre da Federasul.

FRASE DO DIA

Você não pode confiar em seus olhos quando sua imaginação está fora de foco.

Mark Twain