Artigos Anteriores

UM ESPETÁCULO DE INJUSTIÇA

ANO XIV - Nº 007/14 -

VOLTANDO AO ASSUNTO

Como não cessam as mensagens de leitores contrariados com os comentários que fiz a respeito do reajuste de 7,7% e o fim do fator previdenciário, tenho por obrigação voltar ao assunto. Afinal, uma pasta que produz um rombo superior a R$ 100 bilhões/ano não pode deixar de ser muito comentada e severamente criticada.

INJUSTO E DISCRIMINATÓRIO

É com muito pesar que preciso admitir a total falta de conhecimento da sociedade a respeito da Previdência Social do Brasil. Pelas críticas que recebi nos últimos dias fiquei absolutamente convencido de que os brasileiros desconhecem que nada é mais injusto e discriminatório do que o nosso sistema previdenciário. De novo: onde falta responsabilidade sobra uma criminosa discriminação.

SANTO MILAGROSO

Para quem está contente com o reajuste de 7,72%, entendendo que foi uma ótima solução, peço que antes de votar em Paulo Paim, considerado por muitos equivocados como o santo milagroso dos aposentados, conheça, com clareza, o que acontece realmente no Brasil em termos de previdência:

FAZENDO A COMPARAÇÃO

A população atual de aposentados e pensionistas do Regime Geral da Previdência Social, conhecido como INSS, é de 23 MILHÕES de pessoas. E o salário médio desses bobos é R$ 715,30/mês. Tomaram nota? Pois, agora comparem esse universo com a população de aposentados e pensionistas do serviço público, entre civis e militares, que conta com apenas UM MILHÃO de privilegiados, cujo salário médio mensal é de R$ 5.450,00/mês.

ROMBO

Continuando de forma bem didática: Observem o estudo do professor Bergamini, que não deixa qualquer dúvida sobre o tamanho da discriminação e do farto privilégio: Em 2009 o déficit do setor privado (INSS) foi de R$ 40,5 BILHÕES (1,30% do PIB) e o déficit do setor público federal de R$ 60,2 BILHÕES (1,92% do PIB), totalizando no ano 2009 déficit de R$ 100,7 bilhões (3,22% do PIB).Atenção: o DÉFICIT, ou ROMBO, é o valor coberto pelo Tesouro Nacional, que por sua vez é sustentado pelos contribuintes de impostos. É dinheiro que sai do bolso de todos os cidadãos, inclusive dos pobres aposentados do INSS, que recebem, em média, R$ 715,30/mês.

POR QUÊ?

Insisto: O valor pago aos servidores públicos aposentados, que é de apenas UM MILHÃO de pessoas, dá um rombo 50% maior do que o valor pago a 23 MILHÕES de estúpidos. Por quê? Há razão para isto? Esta é a tal de igualdade de direitos que todos pregam? Ou é um direito concedido a uma incrível minoria que o povo não sabe e não entende?Gostaria, sinceramente, que os aborrecidos mensageiros tomassem a palavra para me contestar. Quero ver se ainda vão continuar dizendo que as minhas críticas são injustas.

PREVIDÊNCIA SUPERAVITÁRIA?

Diante da explicação acima, incontestável sob o ponto de vista numérico e discriminatório, não posso imaginar como alguém ainda pode dar ouvidos ao senador Paim, que afirma ser superavitária a nossa Previdência Social. É mentira para mais de metro, gente. A marca forte que o PT mostrou nestes últimos anos. Se Paim for reeleito o povo brasileiro estará dizendo que é ignorante. Ou, que adora a discriminação e a injustiça.

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • DOAÇÕES
    Muita gente ainda não se deu conta de que há incidência de imposto sobre doações. Se a Receita Federal isenta as doações, os Estados NÃO. Eles têm o direito de cobrar alíquotas de 3 a 4% sobre o valor doado sobre qualquer ativo. Inclusive dinheiro. Como a Receita disponibiliza as informações aos Estados, quem fez doações e não acertou as contas com o seu Estado vai ser procurado. E não adianta dizer que não sabia.
  • CRÉDITO
    Nos primeiros três meses do ano, o Crédito Direto ao Consumidor foi a modalidade mais utilizada pelos consumidores para compra de veículos e comerciais leves, representando 40% do total de veículos comercializados no período de acordo com a Anef. As vendas a prazo por meio de Leasing correspondem a 16%, o consórcio por 6% e as vendas à vista ficaram em 38%.
  • INFRAESTRUTURA
    O secretário de Infraestrutura e Logística do RS, Daniel Andrade, fará palestra às 8h30min desta quarta-feira, 12, sobre o tema: A Infraestrutura como Agenda de Estado. O evento abrirá os trabalhos do Fórum de Infraestrutura das Entidades da Engenharia e será realizado na sede central da Sociedade de Engenharia do RS. Informações: fone (51) 3224. 6133.
  • CAMPANHA
    O Jornal do Comércio de Porto Alegre lança hoje uma campanha publicitária, no momento em que o jornal completa seu 77º aniversário, com o mote: Quem lê o Jornal do Comércio ganha mais.

FRASE DO DIA

O SENSO COMUM NÃO É TÃO COMUM.

Voltaire