Artigos Anteriores

UM AUMENTO RESPONSÁVEL

ANO XIV - Nº 007/14 -

ALINHAMENTO

Sei que é muito difícil querer que alguém concorde com o aumento dos preços dos combustíveis. De minha parte, no entanto, expresso a minha concordância com o governo por ter tomado a decisão de fazer o reajuste. Entendo, até, que o alinhamento ao preço internacional do petróleo já deveria ter ocorrido, para que o setor não ficasse tão ameaçado. Por outro lado, percebo, também, que muita gente simplesmente se recusa a entender que seria uma irresponsabilidade total se a Petrobrás não tomasse a decisão.

QUEM ONERA É PRESERVADO

Como fazemos questão de ter uma política fiscal e tributária arcaica, que apesar dos esforços de alguns abnegados não é suficiente para esclarecer a opinião pública, os incautos reclamam das refinarias pelos preços dos combustíveis. Gente, o menor valor na formação do preço da gasolina, do diesel e do álcool é o do produto. O que onera indecentemente os preços nas bombas são os impostos e contribuições. Mas, infelizmente, o berro e a raiva recaem sempre sobre quem produz e não sobre quem explora.

FORMAÇÃO ERRADA DE OPINIÃO

Alguns comentaristas e apresentadores de programas de rádio e televisão, somados com outros que escrevem nos jornais, deveriam estudar melhor o assunto antes de influenciarem seus ouvintes e leitores pouco esclarecidos. Existe um, aqui em Porto Alegre, que não entendo como a direção da emissora não o ajuda com algum curso ou explicação para que deixe de dizer tanta besteira. Chega a babar de raiva e incompreensão. Um horror. Deveria ficar restrito a um assunto menos interessante, como o futebol, que o projetou no rádio, onde qualquer asneira dita sempre pode ser válida.

É PRECISO INVESTIR

Gente, mesmo com o aumento definido ontem, a Refinaria Ipiranga, por exemplo, continua sem condições de competir. E aí ninguém se mostra solidário ou compreensivo. Ao contrário, entende que a empresa não tem qualquer sensibilidade. E esta burrice de ficar repetindo que somos auto-suficientes em 90% do petróleo que consumimos, como se fosse o bastante para não acompanhar o mercado internacional, é absurda. Precisamos produzir 150% do nosso consumo para poder exportar. E para tanto são necessários investimentos, coisa que não é considerado pelos revoltosos.

A MÉDIA É MELHOR

Com toda a melhora observada na pontuação base de risco-país, chegando a pouco mais de 400 pontos, o Brasil ainda está acima da média dos países em desenvolvimento. Hoje, a média é de 376 pontos. E entre os países que puxam a média para baixo está o México, enquanto o Brasil puxa para cima. Portanto, a melhora não tranqüiliza tanto os investidores.

O GRITO DOS "COM"

A gritaria dos produtores de commodities no Brasil está ficando cada vez maior. A felicidade encontrada quando os preços das matérias- primas estavam muito elevadas no início do ano, está dando lugar a uma tristeza no final de 2004. Para compensar a queda das cotações no mercado internacional estão pedindo compensação cambial. Ou seja, quando tudo vai bem e o resultado é enorme, tudo bem. Quando algo já não vai de acordo com a vontade do produtor, o governo é que deve pagar. Melhor, o contribuinte. Quem não aceita o risco não deveria estar no mercado, ora bolas. Ademais, hedge é para ser feito.

ÔNIBUS A GÁS NATURAL

A RedeGasEnergia, Rede de Excelência da Petrobras que desenvolve projetos tecnológicos na área do gás natural, juntamente com a Companhia de Gás do Estado do Rio Grande do Sul (SULGÁS) e a Transportadora Brasileira Gasoduto Bolívia-Brasil (TBG), lançaram nesta sexta-feira (26/11), em Porto Alegre, o primeiro ônibus movido a gás natural ottolizado do país. A tecnologia de ottolização utilizada é reversível, ou seja, o veículo pode ser novamente convertido para utilizar diesel caso seja necessário. Outro ponto positivo, é a utilização de cilindros mais leves, compostos de fibra de carbono, o que reduz o peso total do veículo, diminuindo seu consumo de combustível.

CONCURSO

A operadora de telefonia celular Claro fez uma parceira com o Papai Noel e está promovendo um concurso nacional que levará o vencedor e um acompanhante para desfrutar o Natal em Nova Iorque. Para participar, basta o cliente entrar no site da Claro (www.claro.com.br) e enviar uma frase respondendo à pergunta: "O que é para você um Natal muito louco?" O autor da melhor frase ganhará uma passagem de ida e volta e hospedagem em Nova Iorque. O concurso vai até o dia 9 de dezembro.

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

FRASE DO DIA

O hábito tira a inspiração.

Rostropovich