Artigos Anteriores

UFANISMO MATADOR

ANO XIV - Nº 007/14 -

PICO DA NEBLINA

Quem se propõe a fazer um levantamento dos maiores problemas e situações que foram sendo criados para dificultar e/ou prejudicar a vida da maioria dos brasileiros, apenas os últimos 15 anos, não levará mais do que um par de dias para constatar que o acúmulo de injustiças e decisões erradas equivalente, em tamanho, ao Pico da Neblina, na Serra do Imeri (AM, tido como a montanha mais alta do Brasil).

 

TARJA PRETA

Entretanto, se o estudo se restringir a levantar  apenas os maiores problemas que foram criados no mesmo espaço de tempo no Estado do Rio Grande do Sul, aí estou convencido de que o pesquisador, mesmo antes de concluir o levantamento, vai precisar de um tratamento psiquiátrico longo acompanhado de uma ministração de razoável quantidade de remédios de tarja preta.  

CASE

O Rio Grande do Sul, indiscutivelmente, é o que de melhor existe para ser considerado, mundialmente, o maior -CASE- que explica a ESTUPIDEZ ADMINISTRATIVA de um Estado. Arrisco a dizer que, se bem estudado pelos maiores institutos ou laboratórios, acabará causando forte deterioração nos cérebros dos cientistas mais experientes.

UFANISMO

Com a intenção de ajudar no entendimento das razões que levam um povo a ser tão estúpido, a ponto de lutar pela preservação dos problemas que mais dificultam a sua vida, proponho que comecem a examinar a questão pelo lado do UFANISMO.

APEGO POR FRACASSOS

Bem diferente do sentimento de PATRIOTISMO E NACIONALISMO, o UFANISMO se revela, basicamente, pelo amor exagerado, que leva o portador a manifestar, claramente, estado doentio de grande arrogância.  No Rio Grande do Sul este sentimento é, indiscutivelmente, o grande responsável pelo enorme apego que a maioria dos gaúchos tem por fracassos. 

 

ESTADO INAPTO

Neste momento crítico e complicado, que em qualquer lugar do mundo haveria a tomada de soluções rápidas e muito efetivas, o povo, através de seus representates no Legislativo, dá às costas e não manifesta vontade alguma para tirar o RS da crise. Ao contrário: as exigências e apelos são por aumento do CAOS. Pode?  

Sem saber mais o que fazer, o governo gaúcho foi informado pela subsecretaria de Relações Financeiras Intergovernamentais do Tesouro Nacional  que o Estado do Rio Grande do Sul não está apto a entrar no Regime de Recuperação Fiscal (RRF) que seria pactuado com a União. Segundo o documento, o Estado não atendeu na totalidade os requisitos necessários ao acordo. Que tal?

 

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • INDÚSTRIA

    A prévia da sondagem da Indústria de novembro sinalizou alta de 2,7 ponto do índice de confiança do setor em relação ao número final de outubro, para 98,1 pontos. Se esse resultado se confirmar, representaria a quinta alta consecutiva e com isso o índice atingiria o maior patamar desde abril de 2014.

    Por outro lado, o NUCI (Nível de Utilização da Capacidade Instalada) da indústria registrou queda de 0,5 ponto percentual (p.p.) na leitura preliminar de novembro, para 73,8%.

     

  • ESPAÇO PENSAR+

    Eis o conteúdo produzido pelo pensador Percival Puggina, com o título -SERVIÇO INESCRUPULOSO-:

    Nada desmoraliza tanto qualquer discurso contra as injustiças do mundo quanto a oferta de um privilégio ao orador. O petismo no poder é exemplo acabado, definitivo, do que afirmo, embora a mesma hipocrisia também possa ser encontra noutros partidos e fora da política. Sempre, em algum lugar, há alguém gastando saliva por uma sociedade "igualitária", e pronto para sugar até a última gota os mais escandalosos privilégios que lhe apareçam.

     Desde 2008, os ex-presidentes brasileiros têm à sua disposição, pelo resto dos respectivos dias (!), oito assessores e dois automóveis. Os assessores têm direito a salários, diárias e passagens. Os ex-presidentes, não; quando viajam, pagam as próprias despesas. Os servidores públicos privatizados por nossas ex-excelências desempenham as respectivas carreiras funcionais inteiramente a seus serviços.

     Na regência de sua pequena corte, mundo afora, Dilma está batendo todos os recordes de despesas. Matéria da revista Época em 17 de julho, informou que nos primeiros seis meses de 2017 ela gastou “R$ 520 mil com diárias e passagens, o triplo do que os assessores dos outros ex-presidentes usaram, juntos, no mesmo período”.

     Entre 2011 e 2017, o esquerdista, igualitarista e antielitista Lula, uma vida honesta a serviço dos pobres, humanista mais honesto do Brasil, ainda que abiscoitando, por palestra, os mesmos US$ 200 mil recebidos por Bill Clinton, consumiu do erário R$ 3,1 milhões com as despesas de seus auxiliares. A equipe de Collor custou R$ 1,2 milhão e FHC despendeu modestos R$ 675 mil. A vida em Alagoas parece ser mais cara do que em Paris.

     Nos primeiros seis meses deste ano, o périplo pos-presidencial de Dilma incluiu Suíça, França, Estados Unidos, Espanha, Itália, Argentina e México. Dureza! Neste momento, ela gasta nosso dinheiro falando mal do Brasil e bem de si mesma, do PT e de Lula, num roteiro que inclui a Alemanha, Rússia e Finlândia.

     O objetivo dessas romarias consiste em instruir parceiros ideológicos, jornais e bancadas de esquerda mundo afora sobre o “golpe” que a destituiu de um posto presidencial onde vinha fazendo grande bem ao Brasil e a seus pobres. Complementarmente, sustenta a tese de que Lula está sendo vítima de um golpe judiciário para impedi-lo de disputar novamente a presidência.

     E nós, pagando esse serviço inescrupuloso, contra a imagem do país. A ex-presidente, cujo mandato foi cassado pelo Senado Federal, talvez creia que essas viagens sejam maligna vingança contra seu vice, cujo governo está constrangido, por lei, a custear a própria difamação. Ou seja, presumo que ela continue incorrendo no mesmo equívoco de seus companheiros de armas e carmas: imaginando que haja no governo algum dinheiro que não seja do povo. Ou, ainda, supondo-se titular do direito de usar recursos e servidores públicos para fazer o que bem entenda pelo resto da vida.

  • DESEJOS DE NATAL

    A rede Bourbon Shopping volta a realizar, pelo quarto ano consecutivo, a campanha Desejos de Natal, que irá sortear valores em dinheiro aos participantes. Serão 200 prêmios de R$ 5 mil para os clientes que trocarem R$ 400,00 em notas fiscais por um cupom para concorrer. O valor será creditado em cartão-presente para compras realizadas exclusivamente nas lojas dos empreendimentos que participam da ação. Os cupons devem ser depositados no círculo promocional de cada shopping e os vencedores serão revelados nos dias 27 de dezembro e 03 e 04 de janeiro, em sorteios nos shoppings e no site e redes sociais da rede.
    Participam da campanha os Bourbon Shopping de Porto Alegre, São Leopoldo e Novo Hamburgo, além do Bourbon Canoas, Bourbon Passo Fundo e shopping Porto Alegre CenterLar.

FRASE DO DIA

Não há nada mais assustador que a ignorância em ação.

Goethe