Artigos Anteriores

TRANSFERÊNCIA DE RENDA E PRAZER

ANO XIV - Nº 007/14 -

BOA NOVA

Certo dia um cidadão brasileiro, depois de um rotineiro, porém árduo, dia de trabalho, volta para casa transbordando de alegria e satisfação. Como tal queria encontrar o mais rápido possível com a sua família, composta de esposa e dois filhos, para contar a boa nova.
 

PRODUTIVIDADE

Chegando lá ao encontrar a família reunida à mesa da sala de jantar, de pronto disse que, por força de um considerável ganho de produtividade no seu emprego foi chamado pela direção da empresa para ser informado que seria recompensado com um substancial aumento de salário. 

DESTINADO AOS SONHOS

Como não contava com o significativo aumento de seu salário, aproveitou o fato de que a renda extra não estava comprometida no orçamento doméstico para dizer que aquele dinheiro seria destinado para satisfazer os sonhos da esposa e de seus dois filhos.

REFRIGERADOR

Já imaginando o quanto todos ficariam felizes com a proposta, de imediato perguntou à esposa o que ela gostaria de ganhar naquele momento. Tomada de surpresa, entre várias ambições que tinha na cabeça, a esposa disse que ficara feliz se ganhasse um novo refrigerador para sua cozinha. 

DISNEY E FESTA DE 15 ANOS

Anotada a vontade da esposa indagou ao filho mais velho qual era o seu desejo de consumo naquele momento. Sem pestanejar, o rapaz disse que ficaria muito feliz se pudesse passar as férias na Disney, em Orlando, na Flórida. Enquanto anotava mais este pedido a caçula da casa se antecipou e disse que seu sonho era poder comemorar seus 15 anos com uma festa entre amigos e familiares. 

FEITAS AS CONTAS...

Feitas as contas, o chefe da casa disse que no dia seguinte iria tratar de comprar os tais -sonhos- que a sua família acalentava. Entre abraços e beijos de festejos e agradecimento, os quatro foram dormir cheios de alegria e felicidade.

ANÚNCIO DE NOVO IMPOSTO

Na manhã seguinte, quando todos estavam reunidos na mesa do café, ouviram a notícia de que o governo precisou aumentar impostos para poder equilibrar as contas públicas. Entre olhares desconfiados e mostrando certa desesperança, pois todos já sabiam que toda a vez que o governo anunciava aumento de impostos os seus pagadores se viam obrigados a renunciar à compras de bens ou serviços de valor idêntico ao que seriam obrigados a repassar aos cofres públicos, o chefe da casa tratou, imediatamente, de verificar qual prazer (da esposa e filhos) seria obrigado a cortar.
 

QUEM VAI À DISNEY É O FILHO DO VIZINHO

Feitas as contas, os filhos se anteciparam e disseram ao pai que abriam mão de suas vontades para manter a compra do refrigerador. Ainda assim, o filho mais velho disse, com total objetividade e consciência: - Já sei, quem vai à Disney é o filho do nosso vizinho, que é funcionário público aposentado. E arrematou : - O aumento de salário que tu, meu pai, recebeu ontem, não é para ser desfrutado pela nossa família, mas para ser transferido para as famílias dos servidores. Que tal?
  

 

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • A PROPÓSITO...

    A propósito: - Em 2002 os gastos com pessoal consolidado (união, estados e municípios) foi de 13,35% do PIB. Em 2016 foi de 15,27% do PIB. Crescimento real em relação ao PIB de 14,38% representando 46,75% da carga tributária de 2015 que foi de 32,66%. Para que se avalie a variação criminosa dos gastos reais com pessoal, cabe lembrar que nesse mesmo período houve um crescimento real do PIB Corrente de 34,70%, gerando um ganho real acima da inflação de 54,07% nesse período. Nenhuma nação do planeta conseguiria bancar tamanha orgia pública. (Ricardo Bergamini)

  • REFORMA TRIBUTÁRIA

    Prestes a ser concluída, a proposta de reforma tributária em discussão na Câmara dos Deputados prevê a extinção de 10 encargos em vigor no país. Em troca, seriam criados dois impostos. 

    Relator da Comissão Especial de Reforma Tributária da Câmara, o deputado federal Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR) trabalha no texto desde dezembro e defende alterações profundas no atual sistema. Hauly propõe a criação do Imposto de Valor Agregado (IVA), que incidiria sobre o consumo de qualquer produto e serviço, e de um imposto seletivo, voltado a produtos específicos, como combustíveis, energia e transportes.

    Ambos teriam regras e alíquotas padronizadas por lei federal, com arrecadação centralizada. O IVA substituiria, entre outros impostos e contribuições, o ICMS, que hoje é cobrado pelos Estados e regido por 27 legislações diferentes.

FRASE DO DIA

Tudo vai melhorar quando a maioria das pessoas de bem forem mais ousadas que as canalhas.

Arnaldo Jabor