Artigos Anteriores

SÚBITA VALORIZAÇÃO DAS AÇÕES

ANO XIV - Nº 007/14 -

PERÍODO CRÍTICO

A súbita valorização das cotações de várias ações cotadas nas Bolsas de Valores, para quem acompanha de perto o desempenho do mercado, pode ser interpretada da seguinte forma, embora precisamos ter em mente que a economia mundial está vivendo um período muito crítico:

REAÇÃO

1- A crise atual, mesmo sendo mundial, não atingiu todos os setores da economia com a mesma intensidade. Descontada a bolha de crédito, que motivou toda essa encrenca, muitas atividades já estão mostrando alguma reação. Afinal, queda das atividades não significa o encerramento das mesmas.

MAIOR INTERESSE

2- Países que não dependem excessivamente do mercado externo, como é o caso do Brasil, mas que têm um bom mercado interno com capacidade de expansão, inclusive pelo crédito, estão sendo vistos com grande interesse por investidores do mundo todo.

ATRAENTE

3- O Brasil, principalmente por possuir um sólido sistema financeiro, coisa muito destacada na última reunião do G-20, e que continua sendo traduzida como sinal de robustez (strong), passou a ser muito atraente para quem tem dinheiro para investir.

ESTRANGEIROS

4- Os investidores estrangeiros, além de engrossarem as fileiras dos atuais interessados em aplicar recursos no Brasil, ao anunciarem nas suas praças de origem que pretendem destinar recursos mais polpudos para cá, só fazem multiplicar o número de interessados.

RECUO DOS JUROS

5- Mesmo que as taxas de juros estejam em queda por aqui, a remuneração ainda é muito atraente se comparada com a de outros países. E, na medida em que os recuos venham a ser promovidos pelo Copom, o interesse pelas ações deve crescer, como já se observa.

INTERESSE DUPLO

6- Nesse caso o interesse passa a ser duplo: a) remuneração pelos dividendos e juros sobre o capital próprio, que pode compensar, em parte, as aplicações em renda fixa; e, b) a possibilidade de valorização das cotações das ações, dependendo do desempenho presente e futuro das empresas. O momento, portanto, traduz esse sentimento.

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • REMUNERAÇÃO DA POUPANÇA
    Técnicos da área econômica que estudam a nova forma de remuneração das cadernetas de poupança querem propor uma regra pela qual o rendimento corresponderá a cerca de 65% da taxa de juros básica de juros, a Selic. O número não está fechado, mas a fórmula de atrelar a poupança ao juro básico é a que encontra mais apoiadores na área técnica da equipe econômica, apontada pelos técnicos como uma solução favorável aos poupadores porque, historicamente, os ganhos da poupança se mantiveram abaixo desse nível.
  • REDUÇÃO DE IMPOSTOS
    A fim de estimular a criação de vagas de trabalho na Capital, a prefeitura de Porto Alegre está propondo, por projeto de lei, a redução do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN) para prestadores de serviços de call centers. A medida, encaminhada pela Secretaria Municipal da Fazenda, está em tramitação inicial na Câmara Municipal e prevê a regressão de alíquotas de 5% para até 2%, conforme a quantidade de profissionais empregados pelas empresas.
  • SUAVE E BREVE
    Para o FMI, a recessão na América Latina será mais suave e breve que nas economias desenvolvidas, e a recuperação será mais fácil para o Brasil e para o México do que para outros países da região que não tomaram medidas pertinentes nos períodos de abundância. A região, no entanto, deve ficar atenta ao impacto social da crise mundial que é cada vez mais visível, advertiu ainda o FMI.
  • CURSO
    As inscrições para o Processo Seletivo ao Curso de Desenvolvedores de Software em escolas da rede municipal de ensino de Porto Alegre vão até opróximo sábado, 9, no link http://www.assespro-rs.org.br onde está disponível o edital. A iniciativa é da Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação, regional RS - ASSESPRO-RS, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação (Smed) e Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação de Porto Alegre - Procempa.

FRASE DO DIA

A FORTUNA AJUDA OS AUDAZES.

Autor desconhecido