Artigos Anteriores

SESSENTA ANOS DE QUEDA

ANO XIV - Nº 007/14 -

FRASES DE EFEITO

Aqueles que tiveram acesso ao Balanço de 2009 e Perspectivas para 2010, apresentado pela FIERGS nesta semana, antes de tudo precisam olhar o estudo com atenção para não ficar repetindo as mesmas frases de efeito que foram apresentadas na coletiva de imprensa.

JUSTIFICATIVAS INEXISTENTES

O fato é que entra ano e sai ano e o Estado do RS continua mostrando que cresce cada vez menos, na comparação com o Brasil. O curioso é que as explicações encontradas nunca são lógicas. Tampouco verdadeiras. E, as lideranças empresariais, quando indagadas a respeito, apontam justificativas inexistentes.

A HISTÓRIA REVELA TUDO

Quem estiver disposto a saber a verdade, que comece pela história: na década de 40, o RS tinha uma participação relativa de 10,2% do PIB nacional. De lá para cá esta participação só vem caindo. Ano após ano. Hoje, a participação do RS na economia brasileira é de pouco mais do que 6%.

A QUESTÃO É OUTRA

Ora, se ao longo dos últimos 60 anos a queda foi uma constante, não há como admitir a existência de um fenômeno recente para explicar um crescimento menor do que o Brasil, no ano de 2009. A questão, portanto, é bem outra. Entenda:

SAGA NEGATIVA

Ao longo desses anos de perda relativa do PIB, cada governante tratou de fazer a sua parte na trajetória que resultou nesta confirmada paralisia da economia do RS. Na década de 90, o governo Britto até que tentou interromper a saga negativa, mas acabou sucumbindo quando o povo gaúcho elegeu o desgovernado Olívio Dutra. Dotado de um incrível espírito arrasa-quarteirão, o petista simplesmente liquidou com as pretensões de crescimento que se desenhavam para o Estado, coisa que ainda será comentada por muitas décadas.

CONTENDO A QUEDA

No atual governo, ao menos já há algo a ser comemorado. É o caso das novas economias, representadas pelos Pólos: Naval (região sul), Leiteiro (noroeste), Silvícola (centro-sul) e de Alta Tecnologia (região central). Embora importantes, no curto prazo não têm condições de melhorar a tal participação relativa. No máximo a queda poderá ser contida.

CHAVÕES DO PASSADO

Dizer que o RS é um Estado exportador, coisa que por tabela faz o dólar baixo de vilão, também já virou um péssimo chavão gaúcho. Idêntico aquele que os Estados do nordeste usaram, por muitos anos, com relação à seca. Hoje, como se sabe, o Nordeste não fala mais em seca. Todos eles aproveitaram os benefícios da guerra fiscal e receberam grandes investimentos. Um acerto estratégico, portanto.

O INCONTESTÁVEL

Enquanto isso acontecia por lá, o RS, passava a ser (mal) administrado pelo PT, com objetivos claros:1- de expulsar os investimentos que já haviam sido confirmados; 2- não dar a mínima chance para novos investimentos que tinham interesse no RS; 3- acabar com incentivos que o governo Britto concedeu. Isto basta para explicar a aceleração constante da perda relativa. Alguém contesta?

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • PIB EM ALTA
    A economia brasileira cresceu novamente no terceiro trimestre deste ano, com alta de 1,3% frente aos três meses imediatamente anteriores. Em relação a igual período em 2008, no entanto, o PIB teve recuo de 1,2%.
  • R$25,2 BILHÕES DE CRÉDITO
    O presidente do Banrisul, Fernando Lemos, afirmou que os recursos da carteira de crédito do Banco para 2010 somam o total de R$ 25,2 bilhões, com uma projeção de crescimento em torno de 25%.
  • FIBRIA
    Em novembro, as Unidades Aracruz (ES) e Jacareí (SP) da Fibria receberam o certificado Carbon Footprint (Pegada de Carbono), que mede as emissões e sequestros de CO2 nas etapas do processo de fabricação de celulose, desde o plantio até a entrega do produto nos portos. A Fibria é uma das primeiras empresas de celulose do Brasil a ter essa certificação para toda a cadeia produtiva.
  • MINI COOPER
    O Grupo Eurobike, composto de concessionárias de carros de luxo, inaugura no dia 17/12, em Porto Alegre, a primeira loja conceito do País da marca MINI. Com investimentos na ordem de 4 milhões de reais, a revenda foi totalmente construída de acordo com os padrões internacionais da marca. Segundo Aldo Biasetton, é a única do País construída do zero para atender aos padrões MINI.

FRASE DO DIA

PARA COLHER É PRECISO PLANTAR.

S.Butller