Artigos Anteriores

SEGURANÇA ABSOLUTA EM JURERÊ

ANO XIV - Nº 007/14 -

CONGRESSO DA FIFA

Ontem, ao cair da tarde, resolvi fazer meu habitual passeio de bicicleta pelas ruas de Jurerê Internacional, onde permaneço até a semana do Carnaval. E como é sabido, em Florianópolis, mais precisamente no Costão do Santinho, está acontecendo o Congresso da Fifa.

INVASÃO POLICIAL

Como grande parte dos congressistas está hospedada no hotel Il Campanário e, na noite de ontem estava prevista uma recepção no P-12 (beach club à beira mar de Jurerê), o balneário foi simplesmente invadido por centenas de agentes de segurança. Com um detalhe importante: em número extremamente maior do que os participantes do Congresso. Que tal?

OITO CAMINHÕES DO EXÉRCITO

Ao estranhar a intensa movimentação de policiais, com tropas da Polícia Militar do Estado de Santa Catarina e da Polícia Federal, os quais se colocavam estrategicamente em todas as esquinas do pequeno balneário, fui, curiosamente, pedalando até o P-12. E, para meu espanto, duas quadras antes de chegar ao -beach club- me deparei com OITO (08) caminhões do Exército Brasileiro, todos lotados de soldados.

ARMADOS ATÉ OS DENTES

Percebendo que todos os agentes portavam rádios de comunicação (que não paravam de ser usados) por um momento cheguei a pensar que algo poderia estar acontecendo além de uma segurança policial preventiva. E mais preocupado ainda fiquei quando notei que os soldados do nosso glorioso Exército estavam armados até os dentes.

AMOSTRA DA COPA?

De novo: não tenho ideia do número de congressistas, mas asseguro que o número de agentes de segurança era bem maior. Ora, se o que presenciei é uma amostra do que vai acontecer nas cidades-sedes dos jogos da Copa do Mundo, o contingente de policiais precisará ser maior do que a população do país.

INÍCIO DA GUERRA...

Um detalhe curioso: mesmo sem ter sido abordado para uma eventual identificação ou informação, não deixei de ser encarado como se eu fosse um possível sujeito suspeito. Sem parar de pedalar, mas atento a tudo que via ao meu redor, perguntei a um pequeno grupo de policias que se posicionava numa das esquinas se sabiam para que horas estava programado o início da guerra. Como um soldado só achou graça, entendi que a minha ironia provocativa não foi bem aceita.

SEGURANÇA TOTAL

Sem querer polemizar sobre este assunto -Copa do Mundo-, que já está fedendo muito nas mais diversas rodas, entendo que o fato de haver uma segurança total e nunca vista para um pequeno grupo de pessoas, e uma total insegurança ao povo, não há como pedir que os protestos sejam contidos para o bem do espetáculo.

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • CORTE ORÇAMENTÁRIO
    O governo anunciou neste manhã que o corte no Orçamento Geral da União de 2014 será R$ 44 bilhões. Pelo visto, finalmente se deu conta de que está gastando muito...Com o corte, o governo pretende alcançar este ano um superávit primário equivalente a 1,9% do PIB, correspondente a todo o setor público consolidado, buscando com isso manter os fundamentos da economia e a confiança dos investidores internacionais e do mercado interno. (Exame)
  • ADIADO
    O Supremo Tribunal Federal decidiu adiar, por prazo indeterminado, a retomada do julgamento das ações que questionavam a correção das cadernetas de poupança nos planos Bresser (1987), Verão (1989), Collor I (1990) e Collor II (1991). O julgamento começou no STF em novembro e foi suspenso após a sustentação oral dos ministros. Seria retomado nas sessões dos dias 26 e 27, na próxima semana.
  • INDÚSTRIA
    O índice de confiança da indústria (ICI) ficou em 98,4 pontos em fevereiro na medição preliminar, recuo de 1,1% em relação ao número de janeiro. Já o Nuci (nível de utilização da capacidade instalada) da indústria atingiu 84,7% em fevereiro, levemente superior ao apurado no dado final da sondagem de janeiro, que foi de 84,6%.
  • IGP-M
    A 2ª prévia do IGP-M de fevereiro apontou alta de 0,24%, abaixo da taxa de 0,46% registrada na mesma leitura de janeiro e abaixo das projeções.

FRASE DO DIA

Por muito tempo, por defender o liberalismo econômico, fui considerado um herege imprudente. Os acontecimentos mundiais me promoveram a profeta responsável.

Roberto Campos