Artigos Anteriores

SAIU O RESULTADO DO EXAME!

ANO XIV - Nº 007/14 -

REPROVADO!

Ontem, a Standard & Poor, uma das bancas examinadoras (agências de risco) que examinam a saúde econômica, financeira e política dos mais diversos países, depois de analisar com todo cuidado tudo aquilo que o Brasil fez e, principalmente, o que DEIXOU DE FAZER depois do afastamento da destruidora Dilma Petista Rousseff, deu a sua nota: REPROVADO!

RELATÓRIO

Diz o relatório da S&P, com total coerência, que as medidas tomadas pelo governo Temer, que foram aprovadas pelo Legislativo, contribuíram POSITIVAMENTE na formação da nota. O que pesou NEGATIVAMENTE, na decisão de levar o Brasil ao REBAIXAMENTO (BB para BB-), ou PAÍS ESPECULATIVO, foram as medidas que o Legislativo NÃO QUIS APROVAR.

DEZ ANOS

O que pouca gente sabe, ou não se deu conta, é que o Brasil, além de ter registrado DÉFICITS FISCAIS por sete anos seguidos, independente de qualquer REFORMA que venha a ser feita, já tem como certa uma sequência de, no mínimo, DEZ ANOS de ROMBOS. Ou seja, a encrenca já está garantida para 2018, 2019 e 2020. Se alguma coisa for feita, o resultado só aparecerá a partir de 2021. Que tal?

SURPRESA

A propósito: algum leitor do Ponto Critico recebeu a notícia da nota de rebaixamento aplicada pela Standard & Poor, com surpresa? Creio que não, pois tudo aquilo que escrevo, de forma exaustiva, e muitas vezes repetitiva, nos meus editoriais, impedem este tipo de sentimento. Aqui entre nós: o que realmente poderia causar alguma surpresa seria o Brasil recuperar o INVESTMENT GRADE. Algo simplesmente impossível, não?

REJEIÇÃO IRRESPONSÁVEL

O que mais me entristece, portanto, não é a NOTA DE REBAIXAMENTO. Esta já estava precificada pela nojenta disposição da maioria dos nossos deputados para REJEITAR, de forma absolutamente IRRESPONSÁVEL, as medidas que, indiscutivelmente, seriam capazes de dar algum alívio nas nossas CONTAS PÚBLICAS. De novo: apenas -ALGUM ALÍVIO!-.

CONTA DO REBAIXAMENTO

Para concluir este editorial volto a afirmar que ser OTIMISTA no nosso empobrecido Brasil é um sentimento que só cabe na cabeça dos tolos. Como a maioria do povo brasileiro se veste como tolo, pensa como tolo e age como tolo, nada mais lógico de que só os tolos podem ser OTIMISTAS.  

Ah, não esqueçam que, no Brasil, o povo elege seus representantes para que eles defendam apenas os interesses do Estado e de seus servidores. Ou seja, além de não darem a mínima para os interesses de quem os elegem, ainda apresentam a conta elevadíssima sem a menor cerimônia. A conta do REBAIXAMENTO diz tudo!

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • ESPAÇO CRIPTOMOEDAS - MOEDAS DIGITAIS CAPÍTULO 4

    ONDE ARMAZENAR DE FORMA SEGURA?

    Após comprar as criptomoedas, uma questão muito importante surge: onde armazená-las de forma segura? Comentamos que o poder está na mão do usuário, então a grande pergunta quando falamos sobre segurança é que devemos ter em mente que, neste mundo não existem bancos centralizados, você é o seu banco.
    É importante, também, entender que qualquer criptomoedas só será realmente sua se você estiver com a posse de sua chave privada. Se você deixá-lo em alguma Exchange, por mais confiável que possa parecer, eles estarão com as chaves privadas e além disso, por concentrarem grande volume de criptomoedas, são alvos frequentes de ataques hacker. 

    Então, onde devemos guardar nossas criptomoedas? Você irá guardá-las em Wallets, que são como carteiras. Existem carteiras mobile (aplicativos de celular), carteiras em papel e hardware wallets, que são semelhantes a pendrives criptografados. As carteiras mobile são gratuitas, porém a segurança pode ser comprometida caso seu celular seja hackeado, já as hardware wallets precisam ser compradas, porém possuem o maior nível de segurança oferecido para armazenamento de criptomoedas.

  • ESPAÇO PENSAR+

    Eis o artigo do pensador Percival Puggina, com o título -POR QUE O PT DENUNCIA GOLPISMO NOS PROCESSOS CRIMINAIS CONTRA LULA?:

    Réu em sete ações penais, já condenado numa delas, e é tudo golpe? Na ponta da língua de todo cidadão há diversas respostas à pergunta que dá título a este artigo.

    · O PT é um partido que não aceita ser contrariado, que não sabe perder e que quando eleitoralmente derrotado dá início imediato à campanha “fora fulano”, seja lá quem ou o quê tal fulano seja (prefeito, governador, presidente).
    · O partido se vale de sua tentacular inserção nos circuitos formadores de opinião para converter os fatos mais comprometedores em arrevesadas e favoráveis versões.
    · A visão que a legenda tem da realidade é comandada pelo objetivo final, ao qual tudo mais se submete, mantendo, com a verdade e com os fatos, em vista disso, uma relação libertina, alcoviteira.
    · A politização do julgamento transformando Lula em vítima é uma estratégia que se não serve à defesa jurídica, serve à defesa política.
    · O PT integra uma rede internacional de solidariedade comunista e/ou revolucionária esquerdista (o Foro de São Paulo é apenas parte dela) já habituada a dar vazão às posições aqui proclamadas pelo partido que, no passo seguinte, repercute, nacionalmente, o noticiário internacional.

    Por isso se instalou a impressão de que, no exterior, a opinião pública julga ter havido golpe no impeachment de Dilma, malgrado o longo processo parlamentar dirigido, passo-a-passo, pelo STF. Também por isso o PT aposta em que, aconteça com Lula o que acontecer, sua imagem esteja sendo preventivamente enxaguada.

              Há uma causa maior, porém. Para entendê-la é necessário ir a documentos partidários disponíveis na Fundação Perseu Abramo e nos arquivos do Centro Sérgio Buarque de Holanda. Muito especialmente, recomendo a leitura do documento O PT e a Constituinte (1985-1988). Ali, à página 181, no subtítulo “A posição final”, se lê coisas assim:

    “O PT, como partido que almeja o socialismo, é por natureza um partido contrário à ordem burguesa, sustentáculo do capitalismo. Disso decorre que o PT rejeita a Constituição burguesa que vier a ser promulgada (...); por extensão, o PT rejeita a imensa maioria das leis que constituem a institucionalidade que emana da ordem burguesa capitalista, ordem que o partido justamente procura destruir e, no seu lugar, construir uma sociedade socialista”.

    Por fim (pag. 184):

    “O NÃO DO PT À CONSTITUIÇÃO - ‘O PT, por entender que a democracia é uma coisa importante – que foi conquistada nas ruas, nas lutas travadas pela sociedade brasileira –, vem aqui dizer que vai votar contra este texto, exatamente porque entende que, mesmo havendo avanços na Constituinte, a essência do poder, a essência da propriedade privada, a essência do poder dos militares continua intacta nesta Constituição’. Com esta declaração síntese de seu pronunciamento no Congresso Constituinte, o líder do PT, Luiz Inácio Lula da Silva, encaminhou o voto não do partido à Constituição que será promulgada no dia 5 de outubro”.

              Penso que esse conjunto de posições deixa claro que o partido do ex-presidente Lula opera dentro e fora dos limites da institucionalidade, aos quais, desde a origem, seus líderes não se submeteram e cujo valor não reconhecem. Opera dentro quando lhe convém e opera fora quando lhe convém. Contrariamente ao senso comum, o partido considera essa conduta virtuosa porque a situa, em quaisquer circunstâncias, com mensalão e Lava Jato ou sem mensalão e Lava Jato, na perspectiva de um ideal socialista revolucionário que a tudo purifica.

  • GRUPO ZAFFARI

    O Grupo Zaffari informa que adquiriu o Shopping San Pelegrino (Caxias do Sul - RS), passando a propriedade e a operação do empreendimento para a Divisão Shopping Centers do Grupo.

    Com mais de 17 mil m² de ABL (Área Bruta Locável), o Shopping San Pelegrino abriga quatro âncoras, dentre as quais um Supermercado Zaffari, inaugurado em 2016, que é a quarta operação de varejo do Grupo na cidade de Caxias do Sul, e ainda 115 lojas-satélites e 780 vagas de estacionamento.

    Operando desde 2010, o Shopping San Pelegrino passa a ser a décima unidade de shopping center do Grupo, sendo que destas nove unidades estão localizadas no Rio Grande do Sul (com as bandeiras Bourbon Shopping, Moinhos Shopping, Porto Alegre CenterLar e San Pelegrino) e uma em São Paulo (Bourbon Shopping).

FRASE DO DIA

O Brasil não corre nenhum risco de dar certo.

Roberto Campos