Artigos Anteriores

SAI O EMPREGADO FIXO E ENTRA O DIARISTA

ANO XIV - Nº 007/14 -

SEMBLANTE TRISTE

Antes de fazer as malas para retornar ao nosso pobre e escandaloso país trato de me olhar no espelho para ver o quanto meu semblante está tomado de tristeza por não poder permanecer nos EUA para sempre. O minha infelicidade aumenta ainda mais quando tomo conhecimento das constantes e costumeiras barbaridades que são cometidas a toda hora aí no Brasil, todas de forma totalmente voluntária.

MUDANÇA

Vejam, por exemplo, a aprovação da lei que dá a equiparação dos direitos trabalhistas a todos os empregados domésticos. Por mais justo que possa ser considerada a lei, o efeito que ela proporciona não será nada daquilo que os injustiçados imaginam. O fato é que a contratação deste tipo de mão de obra vai determinar uma grande mudança: o EMPREGADO FIXO será substituído pelo DIARISTA.

CUSTO ELEVADO

Portanto,independente do interesse e da vontade de qualquer empregado doméstico, a lei que passa a valer a partir deste mês de abril precisa ser bem entendida por ambas as partes (empregados e empregadores). A partir de agora o custo dessa prestação de serviços vai se tornar muito elevado para quem pretende contratar, ou manter os contratos em vigor.

PRAXE

Fico ainda mais triste, embora nada surpreso, pela total falta de bom senso dos deputados e senadores. Eles, ao invés de discutirem para valer uma REFORMA TRABALHISTA, resolveram piorar tudo: detonaram o conteúdo do projeto original, que propunha uma redução do INSS do empregador doméstico de 12% para 4%, permitindo, assim, que o empregador depositasse o FGTS do seu empregado doméstico sem o impacto crucial do aumento do custo empregatício.

LEGISLAÇÃO

Quem sabe a partir de mais esta lei absurda os próprios empregados domésticos consigam, finalmente, entender as razões para a nossa terrível falta de competitividade. Lamentavelmente, tudo aquilo que deveria ser resolvido pela NEGOCIAÇÃO, no Brasil tudo acaba sendo decidido por LEGISLAÇÃO.

SÍNTESE

Em síntese, a situação ficou assim: daqui para frente, empregados domésticos e empregadores que estão dispostos a realizar um contrato, não podem se acertar e muito menos negociar. Tudo porque a lei colocou entre as partes um grande obstáculo denominado CUSTO TRABALHISTA. Diante da impossibilidade de haver qualquer negociação todos saem perdendo. Que tal?

DIARISTAS

Com o encarecimento brutal da mão de obra doméstica fixa, a tendência é que com o passar do tempo ela deixe de existir, a exemplo do que já aconteceu em vários países. Daqui para frente, para o bem ou para o mal, o que passará a existir será, inevitavelmente, os diaristas.

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • DIA DO LULA
    Hoje, 1º de abril, é o Dia da Mentira, também conhecido como Dia dos Bobos. Sugiro que passe a ser chamado Dia do Lula, no Brasil. Enquanto ele MENTE sem parar, o povo, em geral, faz a sua parte, ou seja, continua Bobo.
  • 110 ANOS HD
    No ano que completa 110 anos de história, a Harley-Davidson conta com um calendário de festas em todo o mundo. No Brasil a festa acontece no dia 1º de junho, na nova Arena Anhembi, na cidade de São Paulo. Haverá um desfile pela cidade liderado por Bill Davidson, vice-presidente do Museu Harley-Davidson e bisneto de Arthur S. Davidson, um dos fundadores da companhia.
  • COLETIVA DE IMPRENSA
    Na próxima quarta-feira, 03, às 14h30min, o Grupo AMMANN, líder mundial na fabricação de usinas de asfalto e um dos três maiores fabricantes de rolos compactadores em todo o mundo, estará promovendo encontro com a imprensa para anunciar o inicio das operações de sua fábrica no município de Gravataí.
  • PÁSCOA
    Os supermercados gaúchos encerraram as vendas de Páscoa com motivos para comemorar. Segundo o presidente da Associação Gaúcha de Supermercados (Agas), Antônio Cesa Longo, o crescimento nas vendas em relação à Páscoa de 2012 foi de 7%, resultado superior aos 5% de incremento previstos pelos empresários do setor em pesquisa conduzida pelo Instituto Segmento em fevereiro.

FRASE DO DIA

Deve-se aprender lendo mais em profundidade do que em largura.

Quitiliano