Artigos Anteriores

RUMO AO CAPITALISMO!

ANO XIV - Nº 007/14 -

DISCURSOS DOS MINISTROS

Depois de sorver, palavra por palavra, os discursos proferidos pelo presidente Jair Bolsonaro e pelo seu vice, Hamilton Mourão, no dia 02/01, ontem foi a vez de me deliciar com os pronunciamentos (promessas de firmes mudanças) feitos pelos ministros que foram empossados.

PAULO GUEDES E SÉRGIO MORO

Ainda que todos os discursos de posse dos ministros de Bolsonaro soaram como música de alta qualidade nos meus ouvidos, considerando que a ECONOMIA e a POLÍTICA são os temas que gozam de maior preferência nos meus editoriais, sem prejuízo dos demais me proponho a tecer comentários sobre o que ouvi dos ministros Paulo Guedes (Economia) e Sérgio Moro (Justiça).

PAULO GUEDES

Começando por Paulo Guedes, gostei quando o ministro se referiu aos gastos da Previdência, dizendo que -a  máquina do governo virou gigantesca engrenagem perversa de transferência de renda. Mais ainda quando se referiu aos bancos públicos, dizendo que PIRATAS PRIVADOS, BUROCRATAS POLÍTICOS E CRIATURAS DO PÂNTANO POLÍTICO se associaram para agir contra o povo brasileiro. Show!

VAMOS VENDER ATIVOS

Com muito foco e precisão Guedes disse muito mais no seu discurso - feito de improviso- que durou 55 minutos. Resumindo as tantas boas coisas que Guedes disse, gostei desta: -O Brasil foi corrompido e parou de crescer pelo excesso de gastos. A reforma do Estado é a CHAVE para corrigir esse fenômeno.  E arrematou: "-Vamos vender ativos, desacelerar a dívida".

A MÃE DE TODAS AS REFORMAS

Enfim, com a sua habitual clareza, que lhe dava ares do saudoso liberal Milton Friedman, Guedes, em praticamente todas as frases não deixava de colocar a REFORMA DA PREVIDÊNCIA como a MÃE DE TODAS AS REFORMAS. Sem ela, repetiu várias vezes, o Brasil se mantém na ROTA DO IMENSO ABISMO FISCAL, que já colocou o Brasil na Lona.

SÉRGIO MORO

Quanto ao magnífico ministro da Justiça, Sérgio Moro, primeiro a ser empossado, gostei muito quando disse que a “missão prioritária” de sua gestão é “o fim da impunidade da grande corrupção, o combate ao crime organizado e a redução dos crimes violentos”.

Também citou exemplos de medidas “ainda em elaboração” que sua equipe vai propor ao Congresso, em fevereiro, como é o caso do “projeto anticrime” que já havia sido anunciado durante a transição de governo. Entre as mudanças “simples, mas eficazes” estarão a previsão de operações disfarçadas das polícias e a proibição de progressão de regime a membros de organizações criminosas.

O ápice, no meu entender, foi quando Moro falou que o governo pretende “deixar mais claro na lei” que réus CONDENADOS EM 2ª INSTÂNCIA em processos criminais podem ser presos para cumprir pena. Moro classificou as decisões do Supremo que permitem a execução de pena após sentença em segundo grau como “mais importante avanço institucional dos últimos anos”. Para completar, Moro disse que o "Brasil jamais será porto seguro para criminosos". DEZ! 

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • A BEM DA VERDADE

    Para que fique bem claro junto aos eleitores e apoiadores do deputado federal e pensador, Marcel Van Hattem, futuro líder do partido Novo na Câmara, na conversa que manteve, durante a cerimônia de posse de Paulo Guedes, com Salim Mattar, chefe da Secretaria de Desestatização, o mesmo enfatizou que a bancada do NOVO é a favor da PRIVATIZAÇÃO DE TODAS AS ESTATAIS, e não apenas de algumas. 

FRASE DO DIA

A sociedade que coloca a igualdade à frente da liberdade irá terminar sem igualdade e liberdade.

Milton Friedman