Artigos Anteriores

RS: UM ESTADO PRA LÁ DE COMPLICADO

ANO XIV - Nº 007/14 -

ENCRENCA ENORME

A cada dia que passa fico mais convencido de que a grande maioria dos gaúchos, e praticamente a totalidade daqueles que vivem fora do RS, não têm a mínima ideia do tamanho da encrenca que o Estado está metido. 

FALTA DE CONHECIMENTO

Aliás, a falta de conhecimento, somado à incapacidade de desenvolver o raciocínio lógico, é o que leva muita gente a acreditar que todas as crises, independentes de tamanho ou peso, têm solução. Mais: que soluções não passam, em hipótese alguma, por sacrifícios da sociedade. Neste caso contrário, o culpado é o mau governante, que não tem vontade política.

QUADRO TERRÍVEL

No caso do RS, para que os leitores se conscientizem, a situação financeira do Estado é simplesmente desesperadora: o DÉFICIT previsto para quatro anos é de R$ 25 bilhões. Além disso, o Estado ainda precisa suportar aumentos salariais que estão programados até 2019. Mais: totalmente incapacitado para contrair novas dívidas, o RS ainda enfrenta um esgotamento total dos serviços públicos essenciais. 

FOLHA DE SALÁRIOS

O problema maior é que esta CRISE simplesmente não tem solução. Tudo que não está protegido por Cláusulas Pétreas, o Legislativo resiste e não aceita reformar. Vejam que 56% da folha salarial do Estado é composta por INATIVOS, que recebem salários integrais. Somando com os 44% de servidores ATIVOS,  a folha de pagamento de salários representa 75% da arrecadação. Que tal?

COMPROMETIMENTO DA ARRECADAÇÃO

Como o Tesouro do Estado do RS destina 14% da arrecadação para pagamento da dívida com a União, as despesas -engessadas- correspondem, hoje, a 89% da arrecadação. Isto sem considerar a dívida referente à apropriação de DEPÓSITOS JUDICIAIS, no montante de R$ 10 bilhões. Só os juros desta potente dívida representam algo como R$ 1 bi/ano para o Tesouro do Estado.

DÍVIDAS

Sem condições de atender a população nos seus itens básicos, o Estado do RS está quebrado. Vejam o quadro de ENDIVIDAMENTO:

COM A UNIÃO: R$ 60 bilhões;
COM ESTATAIS E VINCULADAS: R$ 5,2 bilhões;
COM DEPÓSITOS JUDICIAIS: R$ 10 bilhões;
COM PRECATÓRIOS: R$ 13 bilhões;
COM O DÉFICIT PREVIDENCIÁRIO: R$ 8,97 bilhões;
COM O PISO DO MAGISTÉRIO (potencial sendo discutido no STF): R$ 17,3 bilhões; e
COM O DÉFICIT PREVISTO PARA 2017: R$ 8,8 bilhões (sete folhas de pagamento do Poder Executivo)

PIORAR O QUE ESTÁ RUIM

Ainda que o governo Sartori esteja se esforçando para melhorar um pouco a situação, muita gente só faz força para piorar o que já está ruim.

A maioria dos deputados, como se vivessem em outro Estado, não admite sequer o plebiscito para federalização ou privatização de estatais, tipo CEEE, Sulgás e CRM. Também não se propõe em acabar com a Licença Classista, onde 317 servidores estão cedidos para os sindicatos a um CUSTO MENSAL de R$ 2,9 MILHÕES, ou CUSTO ANUAL DE R$ 37.7 MILHÕES. Igualmente não se propõem em acabar com o  Fim da estúpida LICENÇA PRÊMIO. 

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • GASTOS NO EXTERIOR

    Os brasileiros gastaram em viagens internacionais a cifra de US$ 1,496 bilhão em maio, alta de 34,4% sobre o montante de US$ 1,113 bilhão apurado um ano antes, conforme dados apresentados pelo Banco Central (BC). É a maior despesa para um mês de maio em três anos. Já os estrangeiros que estiveram no país deixaram US$ 419 milhões, contra US$ 434 mi milhões em maio de 2016. Disso resulta um déficit na conta de viagens de US$ 1,077 bilhão no mês passado. (Valor)

  • REFORMA TRABALHISTA

    Teve início na manhã de hoje, 27, a última audiência antes da votação da REFORMA TRABALHISTA na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, marcada para amanhã, 28. Uma vez aprovado na CCJ, o  texto deve ser votado pelo plenário do Senado na semana que vem. TOMARA!!

FRASE DO DIA

Cometi o único pecado que a política não perdoa: dizer a verdade antes do tempo.

Roberto Campos