Artigos Anteriores

RISCO LULA E RISCO SERRA

ANO XIV - Nº 007/14 -

CHEIO DE ORGULHO

Ontem, o presidente Lula se juntou aos demais líderes do chamado BRIC para exigir uma reforma no sistema financeiro internacional. Cheio de orgulho e com a estima lá em cima, Lula não para de receber elogios pelo fato do Brasil já ter feito a sua reforma do sistema financeiro.

CONTRÁRIO

Mal sabem os chineses, indianos e russos que este mesmo Lula, um pouco antes de ser eleito presidente, foi visceralmente contrário ao Proer e Proes. Ou seja, por conseqüência Lula era contrário à reforma bancária brasileira.

SAIR DO SUBDESENVOLVIMENTO

Lula, nesse único item, felizmente, mudou. Não como deveria, mas de qualquer forma já se mostra a favor de alguma reforma. Só lamento que essa disposição esteja voltada às reformas que o mundo necessita e não àquelas que o Brasil implora para deixar, definitivamente, o mundo subdesenvolvido ou emergente.

AQUILO QUE FOI CONTRA

Enfatizando: a única reforma que o Brasil conseguiu fazer, a despeito da vontade do PT, é aquela que levou o Brasil a ser um país hoje muito respeitado. Por ironia do destino, o PT de Lula está exigindo que o mundo faça exatamente aquilo que sempre foi contra: a reforma do nosso Sistema Financeiro. Que tal?

SEMELHANÇA

Porém, como todos os partidos têm grande semelhança, agora é a vez do PSDB fazer o papel pra lá de lamentável que o PT sempre fez. Exemplo: não aceita qualquer mudança na Caderneta de Poupança.

SELIC E POUPANÇA

Trata-se de uma estupidez impressionante, pois enquanto todos exigem redução da taxa Selic, o PSDB defende que a forma de remuneração da Poupança é intocável. Em tese, o PSDB quer manter o juro de 6,17% (ao ano) fixado por lei para a Caderneta. E quer um juro flutuante para a Selic. Pode?

RISCO LULA E RISCO SERRA

Este tipo de comportamento do PSDB faz com que o mercado raciocine da seguinte forma: o risco Lula, ou risco Dilma se desejarem, é hoje bem menor do que o risco Serra. Se Lula não se dispõe a fazer reformas, o fato é que seus opositores também não demonstram muito interesse.

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • MÓVEIS FLORENSE
    Desembarcou nos EUA a nova coleção de móveis para escritórios da Florense - Float Line -, desenhada especialmente para atender a um nicho específico de clientes daquele país. O lançamento oficial aconteceu durante a participação da empresa gaúcha na NeoCon World\'s Trade Fair 2009, uma das maiores mostras mundiais do segmento, realizada em Chicago nos três primeiros dias desta semana.Trata-se de mais um importante passo para a consolidação da marca em solo americano, justamente num período em que o mercado de lá exige um maior jogo de cintura para manter e conquistar clientes.
  • BANRISUL CONSÓRCIOS
    A Banrisul Administradora de Consórcios fechou o primeiro trimestre de 2009 com um lucro de R$ 3 milhões, equivalente a um crescimento de 42% em relação ao registrado no mesmo período de 2008. A variável foi puxada principalmente pelo incremento de 78% nas receitas de prestação de serviços (taxas de administração). Já o resultado operacional atingiu R$ 4,6 milhões no trimestre, o que representa um aumento de 43% se comparado ao primeiro trimestre do ano passado.
  • BRIC
    Dos países que compoem o BRIC, o Brasil é o que tem a maior carga de impostos. E não é pouca a diferença, pois é o dobro dos demais. E é, também, aquele que tem o menor PIB. Alguma relação?
  • LEASING
    Uma das mais conhecidas operações de empréstimo, o leasing, mudou. Utilizado para proporcionar ao empresário aquisição de bens por um custo menor, pois a garantia da instituição financeira é melhor definida, o leasing busca substituir as operações normais de financiamentos e garantir maior agilidade na liberação de recursos. Muitos empresários, no entanto, pouco sabem sobre esta prática mercantil, sua importância e utilidade.

FRASE DO DIA

UM BOM EXEMPLO É O MELHOR DISCURSO.

T. Fuller