Artigos Anteriores

RAZÕES PARA TANTO FASCÍNIO...

ANO XIV - Nº 007/14 -

PRODUTO

Produto é o bem que o seu idealizador cria na expectativa de que os consumidores se interessem por ele. Acreditando nesta possibilidade (risco do negócio), o produtor tem pela frente a aquisição da matéria prima, remunerar o processo de transformação, definir a margem de ganho e, principalmente satisfazer o extraordinário apetite dos governos (federal, estadual e municipal).

CHANCES DE VENCER

Depois de fazer os cálculos para definir o preço do seu produto, o produtor ainda precisa verificar quais as chances que possui para vencer os eventuais competidores, caso exista um similar fabricado no exterior.

O MAU PARCEIRO

Pois é exatamente aí que mora o perigo. Tudo porque aquilo que está ao alcance do produtor para superar o concorrente externo não basta, porque o governo não abre mão de coisa alguma da sua imensa participação. Aliás, a estupidez governamental brasileira é de tal ordem que, para não sacrificar a parte que tem a receber prefere que o produto não exista, ou que deixe de ser fabricado. Pode?

COMPRAS NO EXTERIOR

Desta forma, motivados por esse péssimo comportamento dos nossos governantes, de todos os níveis e poderes, os brasileiros só têm uma saída: fazer compras no exterior.Massacrados por uma extraordinária carga tributária, tão logo tomam conhecimento dos preços praticados em qualquer canto dos EUA, por exemplo, nem malas carregam na viagem de ida: só compram a passagem e, chegando no destino correm imediatamente aos mais diferentes shoppings e/ou outlets, considerados os grandes parques de diversões dos brasileiros no exterior.

VANTAGEM INCOMPARÁVEL

Dependendo do quanto é adquirido, se comparado com os mesmos produtos ofertados no Brasil, o custo da viagem (ida e volta) é nulo. Mesmo depois de incluir passeios, hospedagem, alimentação e entretenimento. É duro, não? Ah, o curioso é que praticamente todos os produtos ofertados nos EUA são fabricados na China. Os mesmos, aliás, que são ofertados também no Brasil.

DESCOBRINDO O PANAMÁ

Com a chegada de novas empresas aéreas internacionais ao Brasil, como é o caso da Copa Air Lines, muitos brasileiros estão descobrindo o Panamá, como foi o meu caso no retorno da viajem que fiz ao oeste dos EUA. Quem imagina que o Panamá é o mais novo paraíso das compras precisa saber que isto é falso. Nos EUA tudo é bem mais em conta.

INVESTIMENTO

A Cidade do Panamá, só para concluir, tem como atração turística principal a visita ao Canal, que liga o Atlântico ao Pacífico. Aliás, graças ao faturamento que fica entre sete a oito milhões de dólares/dia, o pequeno país de três milhões de habitantes não para de crescer. Até pouco tempo atrás grande parte dos investimentos era de origem colombiana. Hoje, entretanto, os venezuelanos sufocados pelo ditador Hugo Chávez estão transferindo boas somas para o Panamá.

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • FALSIDADE
    Os jornais brasileiros informam que a Bovespa cai por problemas da Grécia. Bobagem. Os problemas são nossos. SÓ NOSSOS!
  • ELEIÇÕES EM PORTO ALEGRE
    Felizmente, as pesquisas de intenção de voto dizem que Fortunati é o preferido dos eleitores.
  • NOVO IPAD
    O novo Ipad, que nos EUA é vendido por US$ 499 (16 gb, WI-FI) custará no Brasil, conforme anúncio da TIM, R$ 1.560. Isto explica o tamanho da ganância tributária, não?
  • DÓLAR
    A alta rápida do dólar frente ao real é fruto só das intervenções do governo? Ou tem outras razões?

FRASE DO DIA

Mais vale compreender pouco do que compreender mal.

Anatole France