Artigos Anteriores

RACIOCÍNIO PELO MÉTODO COMPARATIVO

ANO XIV - Nº 007/14 -

ESCANDALIZADOS

Os brasileiros em geral, pelo que se percebe claramente, estão cada dia mais escandalizados com o descontrole dos gastos públicos para fazer com que a Copa do Mundo de 2014 consiga ser um evento bem sucedido no nosso pobre país.

DESCONTROLE

Pelo que informam as mais diversas fontes, incluindo o TCU - Tribunal de Contas da União, as previsões de gastos, que em 2007 falava-se em R$ 10 bilhões, deverão ultrapassar, com folga, a fantástica soma de R$ 25 bilhões.

PREFERÊNCIA

Considerando que o Brasil é extremamente carente de Saúde, Educação e Segurança, muita gente, com razão, não aceita que o governo tenha dado preferência para realização de uma Copa do Mundo antes de prover aquilo que o povo elege como mais importante e/ou prioritário.

MÉTODO COMPARATIVO

Pois, sem desmerecer o mérito desta correta preocupação que vem sendo manifestada por milhões de brasileiros, antes de admitir que seria bem mais importante que o governo se debruçasse sobre as carências do país, convido os leitores a fazerem um bom raciocínio usando o método comparativo.

CONSIDERAÇÕES NECESSÁRIAS

Em primeiro lugar é preciso admitir que nem tudo que está sendo construído pelo Brasil afora (mesmo com o absurdo superfaturamento) deva ser contabilizado como dinheiro público posto fora. Em segundo lugar, à exceção de algumas arenas, como é o caso do Estádio Mané Garrincha, em Brasília, e o Estádio Vivaldão, em Manaus, principalmente, onde o futebol tem baixa expressão, mal ou bem todas ainda poderão ser utilizadas em outros eventos. Aí o problema está na taxa e retorno do investimento, que me parece extremamente baixa.

COPA E PREVIDÊNCIA

Ainda que a sociedade deva reagir a tudo que represente má versação e desperdício do dinheiro público, vale a pena comparar o montante que está sendo gasto com a COPA DO MUNDO (que acontece, eventualmente, uma vez a cada 50 anos) e os rombos apresentados pela PREVIDÊNCIA SOCIAL, que, no caso, se repetem, ANO A ANO. Vejam: Enquanto a COPA DE 2014 deve tirar do caixa do governo (Tesouro Nacional) algo como R$ 25 bilhões, a PREVIDÊNCIA SOCIAL tira, POR ANO, mais de R$ 115 bilhões do bolso dos pagadores de impostos.

CINCO COPAS POR ANO

Fazendo as contas, com projeção de 50 anos (tempo provável de acontecimento de uma nova Copa no Brasil), o custo carregado pelo Tesouro Nacional para pagar os rombos das duas Previdências (INSS e Servidores da União) chega a quase R$ 6 trilhões.Como se vê, o povo e a mídia reclamam (com razão) de um gasto de R$ 25 bilhões para realizar uma Copa do Mundo, e ficam quietos com gastos absurdos que só a Previdência Social mostra. A cada ANO, o governo cobre rombos da Previdência com recursos que equivalem a 5 Copas do Mundo. Pode?

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • FOCUS
    O Boletim Focus de hoje mostrou aumento na projeção para o IPCA, passando de 5,89% para 5,93%. Já a estimativa de expansão para o PIB desacelerou de 1,9% para 1,79%, enquanto a previsão para a Selic ao final do ano manteve-se estável em 11,25%.
  • SUPERÁVIT
    O Governo Central encerrou o ano de 2013 com superávit primário de apenas 1,6% do PIB, o menor resultado desde 2009, quando o superávit foi de 1,3%. A deterioração das contas públicas nos últimos anos não ficou restrita apenas ao Governo Central. Os estados brasileiros também registram fragilidades nas suas contas fiscais, conforme relata matéria publicada na revista EXAME desta semana (edição 1059), baseada em um estudo inédito da RC Consultores sobre o comportamento da gestão orçamentária dos entes federativos brasileiros. (O estudo pode ser obtido através do email: rcconsultores@rcconsultores.com.br)
  • VOLTA ÀS AULAS
    A aproximação da volta às aulas traz boas expectativas para lojistas do segmento de material escolar. Conforme levantamento realizado pelo Sindilojas Porto Alegre, os empresários estão otimistas com as últimas semanas de fevereiro, período que antecede o início do ano letivo. A previsão do setor é de um crescimento de 20% nas vendas em relação a janeiro do ano passado. Os itens mais procurados continuam sendo cadernos, lápis, borrachas e canetas.
  • SEMANA
    A semana começa sem contar com o referencial de Wall Street, já que as bolsas de Nova York não funcionam hoje devido a um feriado nos EUA. No Brasil, o vencimento de opções deve adicionar volatilidade aos negócios na Bovespa, que enfrenta agenda agitada pelos próximos dias e diversas divulgações de balanços corporativos.

FRASE DO DIA

Com o atraso das reformas estruturais e das privatizações, o Brasil fica longe de realizar seu potencial. Poderia tornar-se um tigre e se comporta como uma anta...

Roberto Campos