Artigos Anteriores

QUEM FAZ E QUEM SE APROPRIA

ANO XIV - Nº 007/14 -

RENÚNCIA

Quando sua esposa, seus filhos ou você mesmo, após se decidirem pela aquisição de algum bem ou serviço, percebem que falta dinheiro para atender os sonhos de consumo da família, aí é o momento certo para entender o que realmente pesou para o cancelamento das compras.

LIMITE

Antes que algum precipitado entre em cena dizendo que o crédito abundante que aí está serve como vara de condão para que ninguém renuncie, ou protele, o consumo, não se deixe envolver por esta ilusão. Afinal, as compras à crédito também chegam a um limite, de acordo com a renda de cada cidadão.

METADE DA RENDA

A renúncia ao consumo de qualquer coisa, como balas, sorvetes, viagens, roupas, automóveis, camisas, gravatas, por exemplo, acontece porque a metade da renda das famílias precisa ser repassada aos nossos governantes, que gastam sem dó nem piedade o seu dinheiro oferecendo muito pouco em troca.

ORÇAMENTO APROVADO E PUBLICADO

Isto não está na minha imaginação, gente. Está tudo escrito e sacramentado no Orçamento da união para 2012, que foi publicado no Diário Oficial da União na última sexta-feira, 20. A lei, aprovada pelo Congresso Nacional no final de dezembro de 2011, foi sancionada no dia 19, sem vetos, pela presidente Dilma Rousseff. Consta que a lei estima em R$ 2,257 trilhões a receita da União para o exercício financeiro deste ano.

PESSOAL

Só para a folha de pagamento de pessoal em 2012, o orçamento prevê gastos de R$ 203,24 bilhões. Detalhe: este valor não contempla os reajustes salariais dos servidores nem o aumento real dos benefícios pretendidos pelos aposentados que ganham acima do salário mínimo. Que tal?

APROPRIAÇÃO DOS PRODUTOS

Sem precisar de lupa para ler o que consta no Orçamento, o que todos os cidadãos brasileiros precisam saber é que metade de tudo que ganham se destinam ao pagamento dos salários de milhares de privilegiados do setor público, que recebem altas aposentadorias e/ou salários exorbitantes. Gente, em última análise, que não faz produto ou serviço, mas se apropria deles.Vale dizer que esses privilegiados, ao receberem seus proventos partem para as lojas em busca dos bens e serviços produzidos pela iniciativa privada. Ou seja, o imposto que os trouxas entregam ao governo vira salário de funcionários públicos. E esse salário, por sua vez, vira consumo daquilo que é produzido e disponibilizado no mercado. Simples assim, gente.

TRANSFERÊNCIA DE FUNDOS

Resumindo: tudo aquilo que você e sua família são obrigados a renunciar, porque boa parte de sua renda precisa ser entregue ao governo na forma de impostos, é tudo aquilo que é consumido, com o seu dinheiro, pelos privilegiados. Você não compra, mas paga a conta deles. À credito ou à vista. Está bem claro?

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • SANÇÕES
    A Associação Nacional de Desembargadores (Andes) quer limitar os poderes do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), que persegue fortunas ilícitas. Irritados com a abertura das contas e movimentações bancárias do universo forense, desembargadores da Justiça não admitem ser investigados. Que tal?
  • IPC-S
    O IPC-S de 22 de janeiro de 2012 apresentou variação de 0,93%, 0,04 ponto percentual abaixo da taxa registrada na última divulgação.
  • AÇO
    O Brasil manteve-se em nono lugar na produção mundial de aço em 2011. A Turquia está se aproximando com vigor, segundo consta no relatório da World Steel Association.
  • CHEQUES DEVOLVIDOS
    A quantidade de cheques devolvidos cresceu em 2011, de acordo com levantamento publicado hoje pela Serasa Experian. No período, as devoluções representaram 1,95% dos cheques compensados, representando o maior percentual desde 2009, quando foram devolvidos 2,15%.

FRASE DO DIA

Se não houvesse esperança, não estaríamos lutando.

Autor Desconhecido