Artigos Anteriores

QUEM ERRA MAIS?

ANO XIV - Nº 007/14 -

AGÊNCIAS

Recentemente, o governador José Serra acusou as agências que classificam o risco de crédito de governos dizendo que essas empresas trabalham para grandes especuladores. E completou dizendo que, por errarem tanto, não sabe como ainda continuam abertas.

COERÊNCIA

Ora, se o governador Serra é coerente, e está plenamente convencido daquilo que diz e pensa, se as agências de classificação de risco merecem tal fim, da mesma forma nenhuma instituição pública brasileira poderia estar funcionando.

E O SENADO?

Inclusive o seu próprio governo deveria fechar as portas, a considerar os erros que, porventura, comete. Porque Serra não reage da mesma forma e com o mesmo ímpeto com relação aos graves e continuados erros cometidos na Câmara e, principalmente, no Senado?

RELATÓRIOS

As agências de classificação de risco não são cartórios, governador. Elas têm plena liberdade para avaliar países, governos e empresas. E sempre fundamentam suas análises. Agora, quem lê os relatórios por elas emitidos não tem a mínima obrigação de concordar ou aceitar o que revelam.

INVESTMENT GRADE

Se o Brasil conseguiu o importante Investment Grade, que está promovendo forte atração de investimento, com custo bem mais baixo, é porque as agências revelaram os nossos acertos macro-econômicos. Avaliaram a situação e ratificaram a avaliação.

SÓ PARA ELOGIAR

Dependendo da vontade de José Serra as agências não deveriam existir. Ou melhor: só deveriam existir caso tivessem como propósito elogiar o seu governo. Aí é duro, não?

RISCO-BRASIL

Pois é graças ao conjunto da ópera toda, onde as agências atuam constantemente, que o risco-Brasil está hoje abaixo de 300 pontos-base. Pode haver um equívoco aqui ou ali, ou uma desconsideração, mas as agências cumprem um papel importante na contribuição da decisão dos investidores.

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • TÁ NA MESA
    Berfran Rosado, secretário do Meio-Ambiente do RS, é o palestrante do Tá na Mesa da Federasul, que acontece amanhã, 01/07, às 12h30. Tema: A política ambiental do RS.
  • JANTAR HARMONIZADO
    Até domingo, 05 de julho, no Bistrô Porto Alegre, o Sheraton vai harmonizar os vinhos premiados da vinícola Cordilheira de Sant´Ana, de Santana do Livramento, com as criações do chef Mauro Sousa. O jantar em cinco tempos tem como destaque magret de pato sobre banana, queijo coalho ao mel de cana-de-açúcar, que harmoniza com o Merlot de aroma frutado de ameixas secas com um toque herbáceo típico.
  • HONDURAS
    O governo brasileiro informou que não reconhece o novo governo de Honduras. Agindo assim declara que está de acordo com a atitude safada de Chávez, que mandou rodar as cédulas do plebiscito e fazer as urnas, e as enviou a Tegucigalpa. Mais: insultou as autoridades constituídas hondurenhas - judiciais, militares e parlamentares. E chamou o chefe do estado maior, general Vásquez, de - gorila e traidor -. Mais ainda: colocou suas Forças Armadas de prontidão. Isto o nosso governo aceita e diz que está certo?
  • CURSO
    Começa nesta quarta, dia 1º, e segue até sexta, dia 3 de julho, o XXVII Curso de Inverno do Instituto de Cardiologia. Com painéis, mesas-redondas, conferências e palestras, o curso promove soluções e atualização nos principais módulos da cardiologia, como hipertensão, cardiopatia isquêmica, arritmias, dislipidemias, insuficiência cardíaca e valvulopatias. Informações: fones (51) 9986-3441; e 3230-3678.

FRASE DO DIA

NENHUMA EMPRESA É MELHOR DO QUE SEU ADMINISTRADOR PERMITE.

P. Drucker