Artigos Anteriores

QUEM É JOHN GALT?

ANO XIV - Nº 007/14 -

HOMENAGENS

Antes de tudo faço aqui um reparo quase que indesculpável: este editorial deveria ter sido tema principal da segunda edição do Ponto Crítico, em 2001, ano de sua criação. 

O primeiro editorial, de maneira correta, dediquei a Roberto Campos, falecido naquele mesmo dia (09/10/2001). Com o falecimento do economista, por quem sempre nutri grande admiração, de forma extremamente modesta resolvi dar continuidade à sua pregação em defesa do capitalismo. 


 

 

AYN RAND

No mesmo nível de importância de pessoas que admiro, eis o reparo: o segundo editorial deveria ter sido escrito para homenagear a filósofa Ayn Rand, a quem hoje, ainda que de forma tardia, mas sempre  em tempo, presto as minhas sinceras homenagens.

E, para tanto, nada melhor do que fazer referência a um personagem (John Galt) do romance -A Revolta de Atlas-, considerada uma das mais importantes obras escritas por Ayn Rand.  

EM SEGUNDO LUGAR, DEPOIS DA BÍBLIA

Para que tenham uma ideia do sucesso desta obra, a quem desde já recomendo a leitura imediata, em 1991 a biblioteca do Congresso dos EUA recebeu a missão de descobrir qual havia sido o livro que mais influenciara a vida das pessoas. A "Bíblia" ficou com o primeiro lugar; em segundo, "Quem é John Galt?". Que tal?
 

 

 

IMPOTÊNCIA E DESESPERO

Pois, a expressão "Quem é John Galt?", que aparece várias vezes no livro -A Revolta de Atlas-, ou -Atlas Shrugged-, publicado em 1957, se define como uma expressão de impotência e desespero com o estado atual do mundo ficcional da obra.

O mais interessante, no entanto, é que cada palavra e/ou cada linha do livro cabe como uma luva para a situação que vivemos no nosso pobre Brasil. 

LIVRO

O livro -Quem é John Galt?- conta uma história onde a esquerda governa parte do mundo e o intervencionismo reina solto (olha aí o nosso pobre país, gente). E o quadro mostra um retrocesso, onde as indústrias começam a falir, as empresas desaparecem, as leis são manipuladas e a corrupção fica desenfreada. Nos permite, claramente, traçar um paralelo de hoje com a história do livro.

Ainda assim, neste triste cenário aparecem empresários e trabalhadores que creem na existência de um modelo econômico baseado na liberdade, nos valores universais de propriedade privada, vida e racionalidade. Na verdadeira busca do indivíduo pela sua felicidade própria.
 

A RAZÃO É A BASE DE TUDO

John Galt, portanto, não se identifica com um único indivíduo, mas sim com todos aqueles que trilham o seu caminho na procura da realização de seus mais profundos sonhos, buscando, através da RAZÃO, ultrapassar as barreiras porventura surgidas a fim de que não sejam impedidas de continuar sua caminhada. 

 

HOMENAGEM PÓSTUMA

Rand sempre pregou que a mente do homem (razão) é o instrumento básico de sua sobrevivência. Mais:

A vida lhe é concedida, mas não a sobrevivência.

Seu corpo lhe é concedido, mas não o seu sustento.

Sua mente lhe é concedida, mas não o seu conteúdo.

Para permanecer vivo, ele tem de agir, e para que possa agir, ele tem que conhecer a natureza e o propósito de sua ação. Ele não pode obter seu alimento sem conhecer qual é seu alimento e como tem de agir para obtê-lo.

Não pode cavar um buraco, nem construir um ciclotron, sem conhecer seu objetivo e os meios de atingi-lo.

Para permanecer vivo, ele tem de pensar.

Como Ayn Rand já é falecida, presto esta singela homenagem póstuma, que faço em meu nome e de todos os integrantes do grupo Pensar+, que produzem conteúdos com o propósito de mostrar que o caminho da liberdade não é só o melhor, mas o único que pode nos levar a algum sucesso.

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • IPC-FIPE

    O IPC-Fipe registrou alta de 0,70% em março, acima do esperado pelo consenso (0,65%). A desaceleração em relação tanto à terceira quadrissemana (0,78%) quanto ao fechamento de fevereiro (1,22%) decorreu principalmente da dissipação dos aumentos dos combustíveis e da conta de luz, em conjunto com a moderação das altas dos alimentos. Com esse resultado, o índice encerrou o 1T15 com alta acumulada de 3,6%, ante 2,2% no 1T14. 

  • FIM DE DILMA

    A pesquisa CNI-Ibope, divulgada ontem, mostrou alta expressiva na taxa de reprovação do governo federal, que alcançou o ponto mais alto dos últimos 26 anos.  64% dos brasileiros considera o governo de Dilma Rousseff ruim ou péssimo, índice igual ao obtido em julho de 1989 por José Sarney, até então recordista isolado de rejeição na série histórica do instituto. Apenas 12% dos entrevistados avaliaram a gestão como boa ou ótima. Quanto ao desempenho pessoal da presidente, 78% disseram desaprovar a maneira de governar de Dilma, enquanto 19% afirmaram o contrário.

  • CAPITAIS BRASILEIROS NO EXTERIOR

    Quem reside no Brasil e possui ativos no exterior que, em 31 de dezembro de 2014, totalizavam o equivalente a US$ 100 mil ou mais, deve preencher a Declaração de Capitais Brasileiros no Exterior (CBE).

     

    A declaração é obrigatória e deve ser feita até às 18h do dia 6 de abril de 2015.
     

  • PÁSCOA

    A equipe do Ponto Critico deseja a todos os leitores/assinantes uma Feliz  Páscoa. 

FRASE DO DIA

Só existem duas formas dos homens lidarem uns com os outros: Armas ou lógica. Força ou persuasão. Aqueles que sabem que não podem vencer por meio da lógica sempre recorrem às armas.

Ayn Rand