Artigos Anteriores

QUAL O TIPO DE DIÁLOGO?

ANO XIV - Nº 007/14 -

SEGUNDO REINADO

A presidente Dilma Neocomunista Rousseff, após a confirmação de que venceu o pleito que lhe confere um segundo reinado cheio de desejo ditatorial ( ainda que as urnas estejam exalando um forte cheiro de fraude), nas entrevistas que concedeu aos maiores veículos de comunicação do país disse, e repetiu, que está pronta para dialogar. 

FORMA

OK. Ainda que não exista qualquer possibilidade de diálogo com ditadores ou mesmo pré-ditadores, como de resto tem sido o comportamento dos líderes-membros do Foro de São Paulo, cuja organização comunista tem como fundador o ex-presidente Lula, para que haja colaboração da oposição é preciso saber como se estabeleceria tal diálogo.  

TÉCNICA GRAMSCISTA

Para começar é preciso levar em conta o histórico de praticamente tudo que aconteceu nesses últimos quatro anos. Isto já estabelece, claramente, que Dilma tentará impor a velha e surrada técnica Gramscista, qual seja a de MENTIR, MENTIR E MENTIR. Ora, como as outras pontas do pretenso diálogo não vão abrir mão da VERDADE, só por aí a conversa sequer inicia.

OPOSIÇÃO

Aliás, depois de tudo que se viu e ouviu ao longo da campanha eleitoral, além daquilo que está sendo especulado, como é o caso de uma possível fraude nas urnas, o PT vai impedir qualquer possibilidade de diálogo. Como bem disse, inclusive, o senador Aloysio Nunes (candidato a vice de Aécio Neves), ontem no plenário: -  Da forma absurda como os petistas mentiram aos eleitores, quanto às propostas de Aécio, não há o que conversar. Há, exclusivamente e tão somente, OPOSIÇÃO.

DIÁLOGO DE ALIADOS

A propósito, na noite de ontem já foi possível observar a existência de um diálogo pra lá de interessante. Não com o deputados da oposição, mas com os próprios aliados do governo Dilma Neocomunista Rousseff: liderados pelo PMDB, a Câmara do Deputados liquidou com as pretensões da presidente em criar os Conselhos Populares, com características bolivarianas. 

O NOSSO DIÁLOGO

Anotem aí: se tudo que se viu nas ruas e nas urnas, mostrando que metade da população brasileira está farta de tanta corrupção, baixo crescimento, inflação alta e excesso de incompetência, é mesmo para valer, está emergindo um novo Brasil daqui para frente. O que não pode acontecer, para mostrar qual o tipo de diálogo que queremos, é a desmobilização. Em frente, portanto!!!

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • NÚMEROS DO GOVERNO DILMA

    O crescimento médio do país de 2011 a 2014 deve ficar em 1,6% ao ano. A trajetória, no entanto é cadente, uma vez que neste ano será quase zero. Já a inflação média superará 6%, acelerando para 6,5% em 2014, o pior resultado desde 2011.

    Já o déficit externo provavelmente atingirá o equivalente a 3% do PIB no período, e também crescente, devendo chegar a 3,7% do PIB no final deste ano.

    A dívida bruta do governo, que havia sido reduzida para pouco mais de 50% do PIB em 2010, já se encontra em 60% do PIB, refletindo o descaso com as contas públicas. O superávit primário (livre da contabilidade criativa), que ficara em 2% do PIB entre 2007 e 2010, caiu para menos 1% do PIB ao longo deste mandato presidencial e deve registrar em 2014 o primeiro resultado negativo desde 1997.

  • GUAIABEIRA

    Lula, como se viu, não descuidou nem um pouco no momento da divulgação oficial da vitória de Dilma Neocomunista Rousseff, na noite de domingo: caprichou no traje vestindo uma Guaiabeira, -traje-símbolo- usado pelos líderes neocomunistas -membros do Foro de São Paulo- em ocasiões especiais.

     

  • INVESTMENT GRADE

    A grande preocupação neste momento é a CLASSIFICAÇÃO DE RISCO da dívida brasileira. Face à deterioração fiscal, as agências de risco tem tudo para rebaixar o país em mais um degrau, o que coloca em jogo a possível perda do INVESTMENT GRADE.  

  • CAIU O DECRETO BOLIVARIANO

    Em votação simbólica, com enorme resistência dos governistas, a Câmara dos Deputados aprovou, finalmente, o Projeto de Decreto Legislativo 1.491/2014, que revoga o decreto BOLIVARIANO da presidente Dilma que visava criar os conselhos populares (Decreto 8.243/2014). Esta é a primeira derrota de Dilma Rousseff após a reeleição. Que tal?

FRASE DO DIA

O HOMEM NÃO É ATINGIDO PELO QUE ACONTECE, MAS POR SUA OPINIÃO SOBRE O QUE ACONTECE.

Michel de Montaigne