Artigos Anteriores

PROVA DE SOLIDARIEDADE

ANO XIV - Nº 007/14 -

ROYALTIES

Duas semana atrás, todos devem estar bem lembrados, o governador-chorão, do RJ, incendiou o povo carioca pedindo que fossem às ruas, numa demonstração nada solidária, para se manifestar, agressivamente, contra os demais Estado do país que só estão querendo uma justa distribuição equitativa dos royalties do petróleo. Por óbvio e justo, como o petróleo pertence à União, não há um ou outro Estado produtor. Há, isto sim, um país produtor.

IRONIA DO DESTINO

Por ironia do destino, nesta lamentável e indesejável tragédia que está atingindo em cheio boa parte do povo do RJ, o que não está faltando é uma espontânea solidariedade vinda de brasileiros de todos os Estados. Solidariedade, repito, humana e sem qualquer restrição.

O MAU GESTOR

No entanto, mesmo considerando que nem todas as calamidades podem ser evitadas, o fato é que o governador-Paspalhão Cabral não disponibilizou as elevadas somas de dinheiro provenientes dos royalties para tentar diminuir as tragédias. Um mau gestor, portanto, que precisa ser responsabilizado.

RECADO AO CHORÃO

Insisto que os brasileiros de todos os Estados jamais deixariam de ajudar o pobre povo do RJ atingido pela calamidade. Que sirva de alerta, governador Chorão Cabral, que para tentar amenizar o sofrimento dos atingidos, nenhum brasileiro está impondo restrições ou exigindo compensações. Coisa que o senhor fez, infelizmente, de forma grosseira e lamentável.

ESPERTO

Além do mais, o que todos estão vendo é que além de Chorão o governador do RJ é pra lá de esperto. Mostrando uma incrível capacidade para fazer cálculos e dimensionar prejuízos, o malandro já estimou em R$ 200 milhões o estrago a ser custeado pela União. Ou seja: está transformando a tragédia em resultado financeiro para seu Estado. Pode?

EVENTOS IMPORTANTES

Na próxima semana dois grandes eventos acontecem em Porto Alegre.Nos dias 11 e 12, no Sheraton Hotel, o Instituto Mises Brasil promove, pela primeira vez no Brasil um seminário exclusivo sobre a Escola Austríaca de Economia. Será uma discussão dos desafios da Ciência Econômica no século XXI. (www.seminario-ea.com.br) E, nos dias 12 e 13, na PUC, no XXIII Fórum da Liberdade, serão discutidos seis temas importantes para entender o mundo: Capitalismo, Socialismo, Intervencionismo, Inflação, Investimento Estrangeiro e Político e Idéias.

PRÊMIO LIBERDADE DE IMPRENSA

Como, em 2007, fui agraciado com o primeiro troféu Liberdade de Imprensa, que me foi entregue durante o XX Fórum da Liberdade, entendi que a distinção era importante, tanto para o escolhido quanto para quem escolhia. Se o primeiro precisava ser merecedor, sem falsidades e puxa-saquismo, o segundo, por ser uma entidade séria não poderia mostrar arrependimento posterior pela escolha feita. No entanto, pelas atitudes das últimas diretorias do IEE, é notório o constrangimento quanto aos ganhadores do Prêmio Liberdade de Imprensa. Bem diferente do que acontece com todos os recebedores do Prêmio Libertas, que são nominados a cada Fórum da Liberdade para que jamais sejam esquecidos. Lembro que o escolhido deste ano para receber o troféu Liberdade de Imprensa é Marcel Granier, presidente da RCTV, da Venezuela, emissora que foi cassada por Hugo Chávez. Espero que Granier não caia no esquecimento do IEE e venha a ser lembrado, nas edições futuras, por ter sido agraciado.

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

FRASE DO DIA

QUASE TODOS SOMOS INSENSATOS.

Horácio