Artigos Anteriores

PASSIVIDADE OU COVARDIA?

ANO XIV - Nº 007/14 -

NOVA IDENTIDADE

Nasci em Porto Alegre, RS. Sou, portanto, gaúcho. Exatamente por isso estou muito triste e constrangido em dizer que sou natural deste estado. O gaúcho sempre foi reconhecido, no Brasil todo, como um povo politizado, valente e corajoso. Do tipo que nunca admitiu levar desaforo para casa. Aliás, por carregar este temperamento forte, muitas pretensões acabaram frustradas, o que levou o RS a ficar para trás na competição entre outras unidades da federação...

SEM AMOR PRÓPRIO

Pois bem, esta identidade, esta marca, esta característica, infelizmente, já não mais existe no RS. Embora já estejamos perdendo a atenção dos novos interessados que querem investir no Brasil, estamos perdendo também aquilo que sempre falou mais alto no RS: a vergonha na cara e a auto-estima. Ou, em outras palavras, o amor próprio.

INÍCIO DA COVARDIA

Desde a visita do nefasto bandido francês, Monsieur Bové, os gaúchos começaram a se mostrar muito covardes, menos politizados e nada valentes. Bové, como todos estão bem lembrados, cuspiu e fez xixi no chapéu, no pala, na bombacha e nas botas dos gaúchos. Sem qualquer revide. Pasmem: nada aconteceu com ele. Ninguém o ameaçou, muito menos a polícia. O maluco destruiu lavouras e saiu intacto sem um tapa na cara sequer. Uma vergonha para o RS, que foi parar nos noticiários internacionais sem mostrar qualquer manifestação nas ruas contra o bandido.

FESTEJANDO AS DERROTAS

Esta atitude covarde esclarece, de alguma maneira, a forma como os gaúchos insistem na comemoração da Revolução Farroupilha. Os riograndenses parecem mesmo desconhecerem a história. Não importa, ou não sabem, que o RS foi derrotado e que jamais foi cumprido um item sequer do Acordo de Ponche Verde. Os gaúchos, portanto, festejam as derrotas, lamentavelmente. O que muito me entristece.

SEM REAÇÃO

Depois de Bové, o RS presenciou, sempre em silêncio, e de forma covarde, a destruição do laboratório da UFRGS, as inúmeras invasões de terras e fazendas, a depredação de uma empresa de logística em Esteio e, mais recentemente, a estúpida fúria de animais-fêmeas que destroçaram o laboratório da Aracruz. Sem uma só reação do povo nas ruas, gente. O que ainda aconteceu foi por escrito, através da imprensa. Do povo gaúcho organizado, outrora valente e corajoso, nada. Este último foi, sem dúvida, um ato que deixou pasmo o Brasil todo. Agora todos já conhecem esta nova identidade dos gaúchos. Estou com vergonha. Muita vergonha.

A ESTÁTUA ENVERGONHADA

Ao que parece, a única preocupação dos gaúchos é saber e discutir onde deve ser colocada a estátua do Laçador, símbolo que hoje se situa na principal entrada da capital, Porto Alegre. A troca de lugar se impõe pela construção de um importante viaduto que ali precisa ser erguido. Não se trata de eliminar a estátua, mas, pelas discussões, a impressão deixada é que ela é mais importante do que o viaduto, coisa que só acontece em lugares muito atrasados. Antes de perguntar aos tradicionalistas o que pensam a respeito, a questão que se impõe é: já perguntaram ao Laçador onde gostaria de ficar depois de tudo que vem acontecendo? Se a estátua falasse diria que está muito envergonhada. Como eu.

SIMECAN EM HANNOVER

Centenas de novidades tecnológicas apresentadas por empresas do mundo inteiro, principalmente da Ásia e da Europa, têm chamado a atenção da missão de empresários e políticos canoenses que encontram-se na CeBIT, Feira Internacional de Tecnologia de Informação, Telecomunicações, Software e Serviços que acontece até a próxima quarta-feira. O grupo, coordenado pelo Simecan (Sindicato das Indústrias Metal-Mecânicas e Eletro-Eletrônicas de Canoas e Nova Santa Rita) está enfrentando diariamente neve e temperaturas negativas que chegam a -9 graus para chegar ao Centro de Eventos de Hannover. Mas todo o esforço é recompensado com a oportunidade de acompanhar de perto o que existe de mais moderno nos setores abrangidos pela feira.

OFERTAS NA CEBIT

Desde teclados virtuais projetados com laser sobre a mesa, até linhas absurdamente variadas de acessórios para decoração dos aparelhos celulares, são algumas das ofertas encontras na CeBIT. Também são intermináveis as formas de armazenamento de dados, tanto para usuários domésticos quanto para grandes empresas. \"Formas de transmissão de dados, voz e imagens estão cada vez mais desenvolvidas, podendo-se antever, por exemplo, o desaparecimento das vídeo locadoras na forma como as conhecemos\", afirma o Diretor de Comunicação e Marketing do Simecan, Eng. Werner Spieweck. Segundo ele, as alternativas disponíveis para transmissão e armazenamento de dados permitirão que o usuário receba os filmes no seu computador, sem precisar deslocar-se fisicamente até a locadora

PALESTRA

Será apresentada nesta quarta-feira (15) em Porto Alegre a palestra internacional ?Fazendo o Impossível e Realizando o Inimaginável? sobre a experiência antropofágica vivida na tragédia dos Andes, em outubro de 1972. O tema será abordado pelo uruguaio Antonio Vizintin Brandi, um dos protagonistas do episódio, que tem sido utilizado, de forma crescente, como ferramenta de gestão empresarial. A palestra será acompanhada pela apresentação do vídeo ?Voces de la Montagna? e terá início às 19h, no Holiday Inn (Av. Carlos Gomes, nº 565) e maiores informações podem ser obtidas com a Gênesis Consultores, fone (51) 3325.6351.

CIRURGIA DE MÃO

A Capital gaúcha será sede de outro grande evento na área da saúde. O Porto Alegre Convention & Visitors Bureau confirmou hoje a realização do 27° Congresso Brasileiro de Cirurgia da Mão, que vai acontecer em 2007. A confirmação foi dada pela Sociedade Brasileira de Cirurgia da Mão. Porto Alegre concorreu com Foz do Iguaçu e Gramado. O Congresso vai reunir 1.000 pessoas.

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

FRASE DO DIA

QUEM CULTIVA A RAZÃO, AUMENTA SEUS BENS E DIMINUI SEUS MALES.

Coelho Neto