Artigos Anteriores

PARA ABRIR OS OLHOS E MENTES DOS GAÚCHOS

ANO XIV - Nº 007/14 -

NOTA DO BROADCAST

Chamou muita atenção o conteúdo da nota da Coluna do Broadcast, do jornal Estadão, que diz respeito à pretensa venda de 49% das ações ordinárias (com direito a voto) do Banrisul, como quer (ou queria) o governo do Estado do RS.

 

 

 

GESTORES DE MERCADO

Ainda que o Broadcast tenha divulgado aquilo que já foi dito e repetido várias vezes aqui no Ponto Critico é sempre muito salutar que o governo do RS ouça e interprete, com absoluta clareza, o que dizem, pensam e avaliam os gestores de mercado sobre a venda de uma fatia minoritária de ações ordinárias que pertence ao Estado do RS.

 

PERDA DA CAPACIDADE DE RACIOCÍNIO

Pressionado pela indiscutível  e notória impossibilidade de pagar a folha de salários dos servidores públicos, onde a maioria (aposentados) já deixou de -servir-, o governo do RS deixa claro o quanto  perdeu em termos de capacidade de raciocínio e bom senso. Algo, gente, simplesmente lamentável e/ou abominável.

NO MÁXIMO 80% DO VALOR PATRIMONIAL

Voltando à-venda de 49% das ações (com direito a voto) do Banrisul-, a Coluna Broadcast informa que, segundo os gestores de mercado, o preço (cotação) do lote chegaria, no máximo, em torno de 80% do valor patrimonial do Banrisul, enquanto que em caso de venda do controle o Estado do RS poderia obter, no mínimo, duas vezes mais do que isto.

ARITMÉTICA

Ora, este é um assunto que não merece nem deveria ser visto pelo lado ideológico, como preferem o povo, o Executivo, a maioria do Legislativo e do Judiciário gaúcho. Antes de tudo esta é uma questão que deve ser analisada de forma puramente aritmética. Considerando que o Banrisul é a joia da coroa, como muitos preferem, nada mais lógico que exigir o máximo pela sua venda. 

BOAS DEMANDAS

 Com a venda do controle do Banrisul seria possível atender muitas e boas demandas, como:

1- TODOS OS DEPUTADOS (e não alguns) poderiam receber uma verba de CINCO MILHÕES destinada, exclusivamente, para obras nos seus municípios;

2- pagar duas ou três folhas de salários; e

3- aplicar o restante para obtenção de renda e/ou quitar parte da dívida do Estado junto a União.  

Que tal?

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • PRODUÇÃO INDUSTRIAL

    Com o aumento de 0,2% na produção industrial nacional, seis dos 14 locais pesquisados mostraram taxas positivas na passagem de setembro para outubro de 2017, na série com ajuste sazonal.

    O avanço mais acentuado foi no Amazonas (3,9%), que eliminou a queda de 0,5% observada em setembro último. A seguir, pela ordem, aparecem: Santa Catarina (1,6%), Ceará (1,2%), Rio de Janeiro (0,6%), Espírito Santo (0,5%) e Goiás (0,1%) com índices positivos em outubro de 2017.

    Por outro lado, a Bahia (-7,0%) apontou o resultado mais negativo em outubro, intensificando o recuo de 1,7% verificado no mês anterior. Pernambuco (-2,1%), Minas Gerais (-1,2%), São Paulo (-1,2%), Pará (-1,0%), Região Nordeste (-0,6%), Rio Grande do Sul (-0,6%) e Paraná (-0,1%) assinalaram as demais quedas. 

  • IPCA

    O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial no varejo brasileiro,
    perdeu força e subiu 0,28% em novembro, desacelerando-se em relação à alta de 0,42% registrada em outubro, informou hoje o IBGE. O resultado mensal ficou abaixo da mediana projetada, de 0,35%, conforme o Termômetro CMA.
     

FRASE DO DIA

Quantas coisas é preciso ignorar para agir!

Paul Valery