Artigos Anteriores

PALAVRAS MÁGICAS: DESVINCULAR, DESINDEXAR E DESOBRIGAR

ANO XIV - Nº 007/14 -

ESTRATÉGIA

Obedecendo rigorosamente a estratégia definida lá atrás, durante a campanha eleitoral, o competente ministro Paulo Guedes cumpriu aquilo que sempre sustentou: o encaminhamento das medidas econômicas que constam no Plano de Governo do presidente Bolsonaro só seriam encaminhas ao Congresso após a aprovação da REFORMA DA PREVIDÊNCIA.

PLANO MAIS BRASIL

Pois, ultrapassado este primeiro e grande obstáculo, ainda que o grave problema -PREVIDÊNCIA SOCIAL- esteja longe de uma efetiva solução, agora o ministro Paulo Guedes entende que chegou a hora de anunciar, e encaminhar ao Congresso, um importante -pacote- de medidas que integram o já batizado -PLANO MAIS BRASIL-.

CINCO EIXOS

O -pacote-, segundo se especula, tem CINCO EIXOS, sendo que DOIS deles estão prontos para serem anunciados entre hoje e amanhã:

1- a PEC DDD -DESVINCULAR, DESINDEXAR E DESOBRIGAR, cujo propósito é DESAMARRAR os GASTOS DO ORÇAMENTO; e,

2- uma nova DIVISÃO DE RECURSOS  de Estados e Municípios, com repartição da arrecadação obtidas do leilão do pré-sal, marcado para a próxima semana (6/11).

PRAGA

Não tenho dúvida da importância de todas as medidas, mas a que mais me chama a atenção é a necessária -DESINDEXAÇÃO-.  Esta legítima e destruidora PRAGA é algo que o Brasil cultiva como inconcebível predileção. Detalhe: nem mesmo pode ser comparada à jabuticaba, uma vez que esta fruta, ao contrário do que muita gente afirma, já é cultivada em vários países latinos.

SÍNDICOS

Também me agrada muito a PEC EMERGENCIAL que tem como propósito a REDUÇÃO DAS DESPESAS OBRIGATÓRIAS, que consomem em torno de 94% do Orçamento. Afinal, mais do que nunca é preciso que os chefes dos Executivos -nacional, estaduais e municipais- deixem de ser apenas SÍNDICOS voltados para o pagamento das folhas de salários dos servidores.

MUDAR DE PATAMAR

Tomara que todas as iniciativas contidas no Plano Mais Brasil sejam aprovadas o quanto antes. A partir daí, sem a menor dúvida, o crescimento da economia tem tudo para mudar de patamar, qual seja o de sair do descrédito para ocupar um lugar no ambiente triunfante da recuperação da já esquecida taxa de investimento.

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • RELATÓRIOS GLOBAIS

    A economia brasileira está acelerando, dizem os bancos Bank of America Merrill Lynch e UBS em relatórios globais enviados a investidores internacionais ontem, 3ª feira (29), segundo informa o Money Times.

    O mais ousado em suas estimativas é o americano BofA ML. O documento assinado por David Beker e Ana Madeira derruba a projeção para o juro de 4,75%, feita em julho, para 4%. O novo patamar seria alcançado em 2020 após chegar em 4,5% em dezembro.

    Além disso, a expectativa para o PIB em 2019 subiu de 0,7% para 1% e a do ano que vem de 1,9% para 2,4%. O relatório Focus do Banco Central, que colhe as projeções 77 economistas, projeta um avanço de 0,91%. Os números sobem há duas semanas. Para 2020 a estimativa é de 2%.

    “Dados recentes parecem estar mostrando que o pior para o crescimento do PIB foi deixado para trás e as perspectivas de atividade à frente estão melhorando”, relatam Beker e Madeira, que citam as reformas econômicas e o controle da inflação.

    O momento está positivo para o crescimento dos resultados das empresas, indica o UBS.

  • CDS

    A propósito: o CDS de 5 anos (custo do contrato de swap de default de crédito,) que informa o RISCO BRASIL segue em queda: ontem bateu em 117 pontos. Que tal? 

FRASE DO DIA

O dinheiro é sempre o mesmo. O que muda são os bolsos.

Gertrudes Stein