Artigos Anteriores

PADRÃO E ESTILO DE VIDA

ANO XIV - Nº 007/14 -

QUALIDADE DE VIDA

Quem tem a possibilidade de viajar para o exterior, e faz isto com muito gosto, geralmente se flagra comparando o estilo e a qualidade de vida dos moradores dos locais visitadas, com o seu, na cidade onde reside. E, mesmo que faça segredo dessa atitude, uma coisa é certa: quer saber, realmente, quem leva maior vantagem.

PONTOS OBSERVADOS

Neste tipo de observação, considerando o perfil de cada leitor/assinante do Ponto Crítico e respeitando as preferências individuais, os pontos geralmente mais observados são:segurança, limpeza, paisagem, retorno dos impostos pagos, serviços públicos oferecidos, sistema urbano, equipamentos públicos à disposição, iluminação, pavimentação, hospitais, facilidade para estacionar, sistemas de transportes, escolas, educação do povo e, principalmente, a cidadania.

AMOR PELO RINCÃO

Ora, por mais que muita gente se declare apaixonado pela cidade onde vive, com todos os defeitos e virtudes, e afirme que é feliz por morar próximo dos parentes e amigos, isto não elimina as eventuais vantagens observadas nos países de primeiro mundo.

PONTOS DE DESTAQUE

Uma coisa é pacífica: mesmo que cada país tenha lá seus encantos, nenhum consegue ser perfeito na ótica de todos os seus cidadãos. Todos, portanto, têm lá seus defeitos. Entretanto, ao comparar o Brasil com países de primeiro mundo (os preferidos dos turistas), já é notório os pontos que mais nos destacamos: na corrupção, na injustiça, na insegurança e na falta de cidadania.

VOLTA PRA CASA

Daí que a volta pra casa (a minha acontece no final desta semana), depois de passar bons dias na França, é de chorar. Tomando por base o que presenciei e analisei em Nice e arredores, o que mais lamento é não ter nascido e me criado nesta região.

PRAIAS MARAVILHOSAS

Se as praias do sul da França já são incrivelmente maravilhosas, ainda mais porque são banhadas pelo fantástico Mediterrâneo, com suas águas cor azul-turquesa, as cidades se apresentam como prontas e acabadas. Como se preparadas para sediar uma festa, com todos os atrativos e serviços funcionando nos mínimos detalhes. Com esse clima de arrasar, principalmente nesta época do ano, é demais.

TERCEIRO MUNDO

Enquanto relaxo um pouco, a ordem é curtir o sol e o calor da Riviera Francesa. Mas, para não me acostumar muito à coisas tão boas, trato de acompanhar o Brasil pela internet. Bem, aí não tem jeito mesmo: é muito absurdo praticado e/ou consentido. Coisas típicas de país de terceiro mundo. Que sina, não?

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • O BICHO TÁ PEGANDO
    A inadimplência no crédito com recursos livres atingiu em maio 5,1%, ante 4,9% em abril, segundo dados divulgados hoje pelo Banco Central em sua nota de Política Monetária e Operações de Crédito do Sistema Financeiro. Essa é a maior taxa de inadimplência desde maio do ano passado, quando foi também de 5,1%. O índice de não pagamentos de empréstimos com prazos superiores a 90 dias nas operações com pessoas físicas passou de 6,1% em abril para 6,4% em maio. A taxa para pessoas físicas é a maior desde junho do ano passado (6,5%). Nas operações com as empresas, o índice de inadimplência subiu de 3,7% para 3,9%.
  • PRÊMIO INOVAÇÃO
    A Usina Riograndense, unidade produtora de aço da Gerdau, é a grande vencedora do 1º Prêmio Inovação PGQP, que avalia a gestão e resultados da inovação nas organizações, um modelo pioneiro em todo o Brasil.
  • COMMODITIES
    As commodities representaram 71% do valor exportado pelo Brasil de janeiro a maio. Nos cinco primeiros meses do ano passado essa participação era de 67%. As vendas ao exterior desses produtos avançaram 39,1%, muito mais que as dos manufaturados, 15,1%. Os cálculos são da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB). Entre esses itens estão açúcar refinado, combustíveis, café solúvel e alumínio em barras.
  • CARTÓRIO DOS TÁXIS
    Após ouvir a prefeitura sobre as medidas emergenciais tomadas para frear o mercado ilegal de permissões de táxi na Capital, o auditor do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Cesar Santolim, deferiu liminar congelando judicialmente por tempo indeterminado as transferências (doações) de prefixos.Ora, gente, as licenças para Táxis, em Porto Alegre, é um legítimo cartório. A solução para o problema é simples prevalecer o interesse público: basta abrir o mercado. Quem quiser obter licença para táxi paga pela licença, sem limite de veículos. Isto acaba com o mercado paralelo de vendas de licenças. A corporação vai deixar isto acontecer? Lembram dos telefones? Antes da privatização o telefone era um bem declarável no IR.

FRASE DO DIA

Tudo tem alguma beleza, mas nem todos são capazes de ver.

Confúcio