Artigos Anteriores

OS REMÉDIOS QUE CURAM ESTÃO PROIBIDOS

ANO XIV - Nº 007/14 -

CRISES BEM ALIMENTADAS

Ninguém desconhece que o nosso empobrecido Brasil está envolvido em duas imensas crises -ECONÔMICA e POLÍTICA-, cujos desdobramentos, como se vê com total clareza, têm produzido e espalhado enormes dificuldades para a sociedade.

 

ALIMENTADAS PELA SOCIEDADE

Entretanto, o que poucos se deram conta, como se percebe pelas mais ingênuas e descabidas reações, é que estas CRISES só atingiram o tamanho descomunal que estão escancarando porque esta mesma sociedade que está sofrendo tratou de alimentá-las.  

FALTA DE DISCERNIMENTO

O que provoca tristeza é que a maioria do povo brasileiro não tem discernimento suficiente para entender o quanto é educado, instruído e pronto para alimentar, constantemente, a sua própria desgraça.

 

NOJENTOS E INJUSTOS

Vejam, por exemplo, que a grande maioria dos brasileiros, infelizmente, inclusive os mais indignados, não tem ideia correta do quanto é obrigada a contribuir (compulsoriamente) para satisfazer nojentos e injustos privilégios concedidos a uma minoria. Ou seja, é obrigada a não consumir do que gostaria, só para satisfazer o consumo dos privilegiados. Pode?

PROTEGIDAS

Pois, para desespero de alguns poucos, notadamente aqueles que são dotados da lógica do raciocínio, os remédios que, comprovadamente, podem resolver, de forma definitiva, a complicada CRISE ECONÔMICA, são proibidos no nosso país. Pior: proibidos por leis que não podem ser revogadas nem mesmo substituídas, porque estão protegidas por CLÁUSULAS PÉTREAS. 

DOIS PROBLEMAS MAIORES

Volto a afirmar: poucos estão se dando conta de que o PRIMEIRO GRANDE PROBLEMA, que provoca os crescentes rombos nas CONTAS PÚBLICAS é o paquidérmico tamanho alcançado pelas FOLHAS DE PAGAMENTO DOS APOSENTADOS DO SETOR PÚBLICO. O SEGUNDO PROBLEMA está localizado na ESTABILIDADE dos SERVIDORES que ainda não se aposentaram.

MANTER RESPIRANDO

Fica evidente, portanto, que a PEC que impõe um Teto nos Gastos Públicos, por mais importante que seja, não passa de um remendo. Assim como a reforma da Previdência que está tramitando no Congresso. Infelizmente, quando alguma providência é sugerida, ou tomada, ela não acontece para resolver problemas, mas para manter o doente respirando por mais algum tempo. Duro não?

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • IGP-10

    A inflação medida pelo Índice Geral de Preços -10 (IGP-10) subiu 0,20% em dezembro após alta de 0,06% em novembro, conforme dados divulgados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). O resultado ficou dentro do esperado e, com ele, o índice encerrou 2016 com alta de 6,95%.

     

  • IBC-Br

    O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) atingiu 132,31 pontos em outubro, registrando baixa de 0,48% ante setembro, na série com ajustes sazonais. Em comparação com o mesmo período do ano passado, a queda foi de 5,28%, e de 5,09% em 12 meses. O indicador é considerado uma prévia para o PIB.

  • ZAFFARI HÍPICA

    Ontem, 14, o Grupo Zaffari realizou a entrega simbólica de capacetes aos lojistas do Zaffari Hípica, com inauguração prevista para o primeiro trimestre de 2017. CVC, Panvel, O Boticário, Bella Gula, Planeta Surf e Subway estão entre as marcas que já fecharam contrato com o empreendimento.

    Localizado na Zona Sul de Porto Alegre, o Zaffari Hípica é voltado para compras de conveniência da região, tendo como âncora um Supermercado Zaffari. Reunirá 30 operações entre lojas tradicionais, serviços e uma praça de alimentação, num total de quase 20 mil m² de área, incluindo estacionamento coberto com mais de 200 vagas. 

FRASE DO DIA

Não é sinal de saúde estar bem adaptado a uma sociedade doente.

Jiddu Krishnamurti