Artigos Anteriores

OS EFEITOS MALÉFICOS DO DESARMAMENTO

ANO XIV - Nº 007/14 -

PIOROU

A sociedade brasileira, que já vinha se mostrando bastante amedrontada, está agora contra a parede. O suficiente para acreditar em qualquer coisa que possa amenizar este sentimento de pavor. Este sentimento terrível acabou por promover uma dupla perda: do juízo e da capacidade de discernimento. Vejam, bastou um imbecil, apoiado pela Rede Globo, propor uma besteira monumental, dizendo que o efeito da lei do desarmamento seria efetiva e benéfica para a diminuição da violência e, pronto: boa parte do povo acreditou piamente de que tudo ia mudar e que a violência seria diminuída.

CÍRCULO VICIOSO

Tudo isto ocorreu bem antes da sociedade usar o raciocínio, razão pela qual uma grande parte do povo se dispôs, como sempre, a concordar com as opiniões interesseiras da TV Globo. Passado algum tempo e percebendo que nada adiantou, a sociedade, anestesiada e sempre disposta a acreditar em novas bobagens, já está, com certeza, pronta para outra infâmia. O circulo vicioso dos atormentados está, a cada dia, impedindo o discernimento e a observação do comportamento lógico.

ERRO INTENCIONAL

Só que no caso do desarmamento, qualquer percepção do erro intencional cometido pelo governo torna cada vez mais tardio um reverter de situação . A volta do sistema individual de segurança se apresenta agora totalmente prejudicado e impossível pelas vias legais. O pior é que com a impossibilidade dos cidadãos voltarem a portar armas, os bandidos é que ficaram mais livres, convencidos e atuantes.

PRODUTO DE EXPORTAÇÃO

A lei foi, portanto, a abertura definitiva para o desenvolvimento fantástico da barbárie. As estatísticas até mostram isto. A Folha de São Paulo mostrou dados de arrepiar: depois de sancionada a lei do desarmamento, os crimes com armas de fogo aumentaram significativamente. Isto explica o alerta que os americanos e outros povos estrangeiros estão fazendo sobre a nossa crescente violência. E isto, entendam, ainda não é produto de exportação.

OS PROBLEMAS SE REPETEM

Estamos chegando ao final de 2004 e os problemas do Governo do Estado do RS, existentes no início do ano, continuam os mesmos e sem solução. Embora alguns avanços foram conquistados, com a recuperação de alguns investimentos privados que resolveram aportar no RS, a situação do caixa do Tesouro é terrível. Se mal dava para pagar a folha de salários, nunca é possível para o 13º salário. Se a violência afasta turistas, uma situação financeira caótica afasta contribuintes e investidores. Estes estão sempre receosos de que novos impostos ou antecipações de tributos sejam as formas usadas pelos governos que se apresentam medrosos, incompetentes ou impedidos de tomar decisões.

POUPANÇA FRATERNA

Eis o e-mail que recebi de um leitor também indignado, mas que resolveu fazer o seu papel de cidadão: \\\"Renovando cumprimentos, informo-lhe que repassei para os amigos de minha agenda, inclusive os do Canadá é USA, seu objetivo comentário sobre a famigerada Poupança Fraterna, anexando a ficha da pedra bruta Nazareno Fonteles. A repercussão foi tamanha que, somando há pouco, recebi mais de 280 e-mails de protestos. Alguns, mandam até saudações à genitora do inditoso. Com o almejar de continuidade de êxitos, Fraternais abraços, Geraldo Duarte\\\". Faça você também a sua parte.

REAL VALORIZADO?

Quando os juros e os impostos deixam de ser assunto, algum substituto já aparece. Agora é a vez de discutir e bater em cima da valorização do real frente ao dólar. Ora, se queremos um cambio flutuante, sem a intervenção do BC, basta aumentar as importações e o valor do real se manifesta pela oferta e procura das moedas. Ficar atacando o BC é querer menos liberdade. Se a oferta de dólares é maior do que a demanda, a situação é esta mesma. O resto é coisa de quem quer que o governo administre suas empresas.

FULL GAUGE

A Full Gauge Controls foi eleita a Melhor Indústria do Ano de Refrigeração na Categoria Fabricante de Componentes pelo Prêmio Nacional Abrava 2004. Para a direção da empresa, o prêmio é o reconhecimento pelo trabalho sério e competente que a Full Gauge desenvolve em benefício da indústria e do comércio, norteada pela busca contínua da excelência dos seus produtos. Parabéns.

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

FRASE DO DIA

DINHEIRO É COMO ELETRICIDADE: BENEFICIA OS PRUDENTES E FULMINA OS INSENSATOS.

Dinamor