Artigos Anteriores

OS -SOLIDÁRIOS- ESTÃO VIBRANDO

ANO XIV - Nº 007/14 -

MARKET PLACE

Em praticamente todas as edições do Ponto Critico, como de praxe, publico no espaço -MARKET PLACE-, que está logo abaixo do espaço editorial, não só os índices de inflação, como IPC, IPCA, IGP-M, IPC-S, IPC Fipe, etc., como os índices que medem a confiança e o comportamento da Indústria, Comércio e Serviços.

INFLAÇÃO EM ALTA E PRODUÇÃO E CONFIANÇA EM BAIXA

Pois, nos últimos dias todos os indicadores de inflação, por decorrência direta da terrível PARALISAÇÃO DOS CAMINHONEIROS, vem apresentando constante elevação, enquanto que os indicadores de produção e confiança, tanto de empresários quanto de consumidores nunca estiveram tão baixos.

POVO FELIZ

Ora, se levarmos em conta que 86,64% da população de seis estados do nosso empobrecido Brasil– entre eles o Rio Grande do Sul – APOIOU de forma irrestrita a greve dos caminhoneiros, segundo pesquisa feita pelo Instituto Methodus na ocasião, tudo leva a crer, por óbvio, que este enorme contingente de brasileiros deve estar festejando muito, tanto a alta da inflação quanto as quedas brutais da produção e da confiança na nossa economia.

MOTIVOS PARA LAMENTAR

Como integro o ínfimo grupo que reúne os 13,36% restantes da população que desde o primeiro momento fizeram questão de NÃO EMPRESTAR SOLIDARIEDADE ALGUMA AOS GREVISTAS, como, aliás, deixei muito claro em  vários editoriais, nos quais usei apenas a lógica de raciocínio, só tenho motivos para lamentar.

SOLIDÁRIOS

Mais uma vez, infelizmente,  o baixo o nível de educação do nosso pobre povo entrou em campo para mostrar, claramente, que aqui a felicidade é um sentimento que deriva da ingenuidade misturada com altas doses de ignorância e muita idiotice. 

SAFRA BOA

Ora, sem tirar nem por, este enorme contingente de brasileiros que se disseram -SOLIDÁRIOS COM A GREVE-, muitos deles fortemente influenciados pela mídia, se colocou clara e totalmente a favor:

1- da queda da produção;

2- da alta generalizada dos preços dos produtos e serviços;

3- do aumento do desemprego;

4- da desvalorização do real, etc...

Resumindo: o que estamos colhendo é tudo aquilo que a maioria do povo plantou. Mais: a safra-crise promete ser das melhores. Pode?

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • IPCA

    O IPCA -Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial do país, subiu 1,26% em junho, acelerando-se em relação à alta de 0,40% em maio e atingindo a maior taxa para o mês desde 1995 (+2,26%) e a maior alta mensal desde janeiro de 2016 (+1,27%), informou hoje o IBGE).

  • INPC

    Já o INPC -Índice Nacional de Preços ao Consumidor  subiu 1,43% em junho, após avançar 0,43% em maio, na maior alta para o mês desde 1995, quando ficou em +2,18%, informou IBGE. Com isso, o indicador acumula altas de 2,57% no ano e de 3,53% nos últimos 12 meses.

  • IDI-RS

    A greve dos caminhoneiros provocou um impacto negativo muito grande no Índice de Desempenho Industrial (IDI-RS) de maio, divulgado ontem, 5, pela FIERGS. Na comparação com abril, a queda foi de 8,7%, com ajuste sazonal, e com exceção do emprego (+0,1%), todos os componentes do IDI recuaram, principalmente o faturamento real (-21,3%) e as compras industriais (-15,3%).

    Nas horas trabalhadas na produção e na massa salarial real as quedas foram menores: -2,2% e -0,4%, respectivamente. A utilização da capacidade instalada também caiu, 2,3 pontos percentuais, atingindo 78,7%. “Os resultados mostraram os efeitos imediatos da greve dos caminhoneiros sobre a atividade do setor", informou a entidade.

  • EXPOAGAS 2018

    Estão abertas, desde 1º de julho, as inscrições para a 37ª Convenção Gaúcha de Supermercados – Expoagas 2018, maior evento da área no Cone Sul, que ocorre entre os dias 21 e 23 de agosto no Centro de Eventos Fiergs, em Porto Alegre (RS). O encontro é promovido anualmente pela Associação Gaúcha de Supermercados (Agas) com foco na qualificação e na realização de negócios entre varejistas e expositores.

    As inscrições podem ser realizadas pelo site www.agas.com.br. Até o dia 18 de agosto não há taxa para supermercadistas, representantes de padarias, farmácias, bares, restaurantes, lojas de conveniência, açougues, bazares, lojas de 1,99, petshops e hotéis. Os valores para demais participantes variam de R$ 30,00 a R$ 150,00.

FRASE DO DIA

O atraso é a pior das negativas.