Artigos Anteriores

OPOSIÇÃO PRECIPITADA

ANO XIV - Nº 007/14 -

FESTA E INCERTEZA

O governo anunciou, ontem, a confirmação da renovação das concessões de energia elétrica do país. Enquanto, por um lado, os consumidores festejaram a notícia de que haverá redução do custo das tarifas, por outro, os investidores ficaram preocupados diante das incertezas quanto à contrapartida que será exigida das companhias.

CLARO

Comecemos pelo que ficou claro: a renovação efetiva dos contratos de concessão só acontecerá em março de 2013, quando a ANEEL deverá apresentar a conclusão dos estudos para o processo de renovação.

INCERTO

Já a incerteza, porém, ficou por conta da declaração feita pela presidente Dilma Rousseff, quando disse que a redução das tarifas poderá ser ainda maior. Esta falta de clareza foi determinante até para a queda das ações de várias empresas do setor de energia.

CONCESSÕES

Quanto à renovação das concessões de geração, transmissão e distribuição, que vencem a partir de 2015, todas serão realizadas por meio de Medida Provisória. Isto significa que o concessionário não terá outra saída a não ser aceitar o cálculo feito pela ANEEL. Quanto à prorrogação dos novos contratos será por, no máximo, mais 30 anos.

A BEM DA VERDADE

A bem da verdade é preciso esclarecer algo que deixou muita gente revoltada antes mesmo de conhecer o teor do plano anunciado pelo governo: esta redução do custo da energia não será custeada pela devolução e/ou compensação de uma cobrança indevida feita pelas concessionárias, desde 2002, que hoje é calculada em aproximadamente R$ 7 BILHÕES. Portanto, segundo o anúncio os cortes de tarifas virão como reduções de contribuições setoriais e através das renovações de concessões de contratos expirando entre 2015-2017.

ESPERTEZA

Há, entretanto, uma outra verdade que muita gente não percebeu: o anúncio feito pelo governo, neste momento, tem propósito puramente eleitoral. Como a redução das tarifas só vai acontecer no próximo ano, e a ANEEL tem prazo até março de 2013 para concluir os estudos, só existe uma justificativa para o governo fazer o anúncio neste momento: ajudar os candidatos petistas nas próximas eleições.

O BRASIL ESTÁ FRITO

Enquanto muita gente esbravejava pela internet, chamando o governo de tudo que vinha à cabeça, os governantes espertos agiam de forma inteligente, capaz e suficiente para deixar o povo alegre e confiante. Se a forma encontrada para fazer oposição é esta, totalmente atrapalhada e precipitada, o Brasil está frito.

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • ESFORÇO DE CAIXA
    As novas concessões em infraestrutura vão exigir um esforço adicional de caixa do BNDES nos próximos anos. Estimativas indicam que os desembolsos para os setores de energia e logística, incluindo rodovias, ferrovias, portos e aeroportos, devem atingir R$ 40 bilhões em 2015, com aumento de 70% sobre os R$ 23,5 bilhões previstos para 2012.
  • ABSURDO
    Ontem, o ministro Guido Mantega descartou a (necessária) possibilidade de que a redução no custo da energia permita um reajuste no preço da gasolina. Uma coisa não tem nada a ver com a outra, disse Mantega. Que tal?
  • CONSTRANGEDOR
    Enquanto Mantega fazia tais afirmações, a presidente da Petrobrás, Maria das Graças Foster, não tirava os olhos das cotações das ações da companhia, que considera como CONSTRANGEDOR. Ela queria o quê? ESPETACULAR?
  • SEMINÁRIO TEMÁTICO
    O VI Seminário Temático, que nesta edição será sobre o pensamento de Jean-Paul Sartre, será realizado nos dias 17 a 19 de setembro de 2012, no Instituto Superior de Filosofia Berthier (IFIBE), cidade de Passo Fundo ? RS. Mais informações: fone 55 (54) 3045-3277 ou e-mail: ifibe@ifibe.edu.br | www.ifibe.edu.br

FRASE DO DIA

Lemos o mundo às avessas e queixamo-nos de não o compreender.

Rabindranath Tagore