Artigos Anteriores

ONDE MORA A CRISE

ANO XIV - Nº 007/14 -

COMPORTAMENTO DO MERCADO DE TRABALHO

É acaciano dizer que a taxa de emprego reflete o desempenho das atividades econômicas. Portanto, quando a economia não cresce, a taxa de emprego não tem como melhorar. Da mesma forma, se o PIB cai, a taxa de emprego se movimenta em sentido contrário, ou seja, as demissões aumentam.    

AGOSTO DE 2014

Em agosto de 2014, (um ano atrás) quando as atividades econômicas do nosso pobre país já estavam definhando, o IBGE informou que o Brasil apresentava uma taxa de desemprego de 5%. Mais: que o nosso pobre país vivia uma situação de PLENO EMPREGO. Pode?

PLENO DESEMPREGO

Pois, passados 365 dias daquela declaração absurdamente mentirosa, ontem o IBGE divulgou que a nossa Taxa de Desemprego atingiu, em agosto de 2015, a marca de 7,6%. Ou seja, a população desocupada (que está procurando trabalho) somou 1,9 milhão. Mais: embora estável em relação a julho, na comparação com o mesmo mês do ano passado, esse número cresceu 52,1%. Que tal?

PERSPECTIVAS RUINS

Como as projeções feitas por todos os institutos que medem o desempenho da economia brasileira mostram uma forte retração do nosso PIB, nada mais óbvio do que admitir que a Taxa de Desemprego vai subir muito, podendo chegar a 15% ou até 20% nos próximos dois anos.

 


 

CRISE SÓ NA INCIATIVA PRIVADA

Agora o detalhe mais interessante: NENHUM SERVIDOR PÚBLICO FOI AFETADO. O que prova que a CRISE só acontece na INICIATIVA PRIVADA. Tudo porque aqueles que trabalham no Setor Público gozam da absurda ESTABILIDADE NO EMPREGO. Ou seja, desconhecem crise empregatícia.

Isto significa que para poder sustentar a 1ª Classe, muitos que integram a 2ª Classe estão sendo demitidos.

DUAS CLASSES

Mas, não fica por aí: os APOSENTADOS DO SETOR PÚBLICO ainda tem regalias que, por si só, levam as contas públicas ao buraco, pois recebem os mesmos salários de quem está na ATIVA. Vide, por exemplo, a situação do RS, onde a folha dos aposentados afundou com o caixa do Tesouro, obrigando o (fraco) governo a aumentar impostos.  Que tal?

RESUMO

Como bem resume o pensador Ricardo Bergamini: - Na história do Brasil a nação sempre foi refém dos seus servidores públicos (trabalhadores de primeira classe), com os seus direitos adquiridos intocáveis, estabilidade de emprego e licença prêmio sem critério de mérito, longas greves remuneradas, acionamento judicial sem perda de emprego, regime próprio de aposentadoria (não usam o INSS), planos de saúde (não usam o SUS), dentre muitos outros privilégios impensáveis para os trabalhadores de segunda classe (empresas privadas). Com certeza nenhum desses trabalhadores de primeira classe concedem aos seus empregados os mesmos direitos imorais.

 

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • RECUO NA CONSTRUÇÃO

    O índice de confiança da construção, elaborado pela FGV, recuou 6,5% em setembro, na comparação mensal, atingindo nova mínima histórica. Esta foi a maior queda do índice desde março de 2015, quando houve recuo de 9,1%. A forte retração do índice decorreu, principalmente, do indicador que mede o estado atual dos negócios das empresas (com queda de 11,2%), enquanto o índice de expectativas apresentou queda de menor magnitude (-3,5%).

  • IPC - FIPE

    O IPC-Fipe da terceira quadrissemana de setembro registrou alta de 0,57%, bastante acima do projetado pelo consenso (0,48%). 
     

  • AQUI E LÁ

    Enquanto o nosso PIB definha sem parar, nos EUA a terceira estimativa do PIB do 2° trimestre, revelada hoje, indica crescimento em ritmo mais forte de 3,9%. Vejam que o resultado do PIB do 2T15 foi revisado: saiu de +3,7% na comparação trimestral anualizada para +3,9%.   

    A contribuição positiva para a elevação do resultado veio do consumo das famílias (+0,3 p.p.) e do investimento fixo (+0,2 p.p.). No entanto, essas revisões foram parcialmente revertidas por uma redução da contribuição dos estoques (-0,2 p.p.) e das exportações líquidas (-0,01 p.p.).
     

  • DIA DAS CRIANÇAS

    Pesquisa sobre intenção de compras para o Dia das Crianças, encomendada pelo Sindilojas Porto Alegre e pela CDL Porto Alegre, revelou que 28% dos que serão presenteados na Capital tem perfil tecnológico, sendo que em grande parte tem entre 11 e 15 anos de idade. O levantamento identificou ainda que a maioria das crianças que serão presenteadas no dia 12 de outubro possuem, pelo menos, um item eletrônico próprio. Destas, 45% tem televisão no quarto, 42% tablet, 33% computador e 27% videogame.

    O estudo também identificou outros 5 perfis de comportamento das crianças que podem influenciar nas escolha do presente: as pedagógicas (20%), que preferem atividades com concentração e raciocínio lógico; as fashions (18%), interessadas por looks e nas tendências de moda; as esportistas (17%), que gostam de atividades ao ar livre; as artistas (11%), que se dedicam a programas como dança, teatro e cinema, e, por fim, as crianças com um perfil voltado para a ação (6%), conectadas às temáticas de guerra e competição.  

  • PARTIDO NOVO

    O Partido NOVO, recentemente aprovado pelo TSE, com o número 30, informa que já está recebendo filiações. Atenção: o processo de filiação é inteiramente realizado pelo site (www.novo.org.br).
     

FRASE DO DIA

Todas as coisas já foram ditas, mas como ninguém escuta é preciso sempre dizer de novo.

André Gide