Artigos Anteriores

OLHA O MERCADO AÍ, GENTE!

ANO XIV - Nº 007/14 -

POLÍTICA DE PREÇOS DOS COMBUSTÍVEIS

A notícia  que saiu na manhã de hoje, de que a Petrobrás passa, enfim a praticar uma política de preços dos combustíveis, baseada, exclusivamente, na paridade de preços internacionais, é algo que precisa ser muito festejado e comemorado. 

 

ENFIM, O MERCADO

Ainda que o preço final, que é pago pelo consumidor, dependa de decisões de distribuidoras e postos de combustíveis, o fato é que na etapa que corresponde ao refino, o MERCADO, enfim, começa a prevalecer. Mais: dá o ar de sua graça num ambiente onde apenas imperou uma forte e estúpida intervenção governamental. 
 

DESVERTICALIZAÇÃO

Segundo informou a Petrobrás, o Grupo Executivo de Mercado e Preços da estatal decidiu, em sua primeira reunião, reduzir o preço do diesel em 2,7% e da gasolina em 3,2% nas refinarias (média Brasil). Com isso haverá maior transparência no processo de DESVERTICALIZAÇÃO, ou seja, na medição e divulgação do desempenho das três etapas do processo: EXPLORAÇÃO, REFINO e DISTRIBUIÇÃO.   

MELHOR SERIA...

Melhor mesmo seria se a Petrobrás deixasse de ser estatal. Até porque o atual presidente, Pedro Parente, que só aceitou o cargo porque o governo Temer se comprometeu a não intervir na administração, é sempre bom lembrar que ninguém é eterno. Isto significa que todas as estatais correm o risco de serem dirigidas por incompetentes e/ou adeptos do intervencionismo.  

MESMA LÓGICA

O que mais quero é que todas as estatais sejam privatizadas, ou extintas se não houver interessados. Ainda assim, enquanto esta providência maravilhosa não acontece, o que é preciso é fazer valer a mesma lógica de raciocínio, anunciada pelo Grupo Executivo de Mercado e Preços da Petrobrás, para todas as estatais de norte a sul do Brasil.  

RESTABELECIMENTO DA CONFIANÇA

Aliás, nos últimos dias o que mais presenciamos foi um desfile de medidas alvissareiras, que podem levar o nosso empobrecido país a ser melhor visto por investidores. Daqui e de fora. Este restabelecimento da confiança, que a Matriz Econômica Bolivariana-Petista havia sepultado, começa, felizmente, a ser sentido.  

DETALHES

Se as medidas que foram anunciadas até agora se confirmarem, como é o caso das REFORMAS PREVIDENCIÁRIA E TRABALHISTA e das PRIVATIZAÇÕES e CONCESSÕES, aí o Brasil dá um enorme salto em direção ao desenvolvimento e crescimento. Como se vê, não é só o diabo que está nos detalhes, mas nas oportunidades que se abre, como é o caso da decisão tomada hoje pela Petrobrás . 

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • CARTA DA VEREADORA MÔNICA LEAL

    Eis a carta que a vereadora Mônica Leal, recem eleita, enviou aos seus eleitores de Porto Alegre:

    Prezado eleitor,

    Nelson Marchezan Junior e eu convivemos com a política desde a infância, conduzidos naturalmente por dois políticos que foram ícones no RS: Nelson Marchezan e Pedro Américo Leal. De nossos pais herdamos a amizade, o respeito e a missão de trabalhar pelo bem comum. Eu apoio Marchezan Junior, candidato com capacitação para administrar Porto Alegre, que irá promover as mudanças necessárias para melhor qualidade de vida dos cidadãos porto-alegrenses.

    Para prefeito Marchezan 45.

    Um abraço

    Mônica Leal 

  • INFRAÇÕES DE TRÂNSITO

    A partir de 1º de novembro, quem for pego dirigindo alcoolizado ou se recusar a fazer o teste do bafômetro pagará uma multa muito superior ao valor cobrado atualmente, que é de R$ 1.915,00. Devido a mudanças na legislação de trânsito, o valor subirá para R$ 2.934,70 e o motorista ainda terá a carteira de habilitação suspensa pelo prazo de 12 meses.

    Outras infrações também ficarão mais caras. É o caso do motorista que for pego falando ao celular ou manuseando enquanto dirige: de infração média (multa de R$ 85,13) para gravíssima (R$ 191,54). A lei ainda prevê infração média para quem dirigir utilizando fones de ouvido ou celular. E quem estacionar indevidamente em vaga de idoso ou deficiente perderá sete pontos na carteira.

    O processo de suspensão também ficará mais ágil. A mudança prevê que o processo de suspensão do direito de dirigir para as infrações que preveem essa penalidade (embriaguez, excesso de velocidade acima de 50% do limite e rachas, por exemplo) será instaurado concomitantemente à aplicação da multa, reduzindo o tempo de tramitação para a penalização do condutor infrator.

    O prazo de suspensão para quem atingia os 20 pontos, na antiga redação, partia de um mês até 12 meses. Na nova redação, o prazo de suspensão para esse condutor parte de seis meses e vai até uma ano (oito meses até dois anos na reincidência dentro de 12 meses). Para as infrações que preveem suspensão e não tem prazo específico determinado pelo Código Brasileiro de Trânsito, varia de um a 12 meses A partir de 1º de novembro, será de dois a oito meses (oito a 18 meses na reincidência dentro de um ano). 
     

  • ZONA DO EURO E CHINA

    - A zona do euro teve superávit comercial de 23,3 bilhões de euros em agosto, considerando-se ajustes sazonais. O resultado veio acima do saldo positivo de 20,8 bilhões de euros registrado em julho. As exportações da zona do euro subiram 2,3% na comparação mensal de agosto, ante avanço de 0,9% em julho.

    - Já o índice de preços ao consumidor da China avançou 1,9% em setembro, em comparação com o mesmo período do ano passado, acelerando ante o avanço de 1,3% em agosto na mesma comparação. O índice de preços ao produtor (PPI) da China subiu 0,1% em setembro, revertendo uma queda anual de 0,8% em agosto, conforme divulgado pelo Escritório Nacional de Estatística. 

  • PALESTRA

    O mindfulness, tema de destaque na psicologia e medicina comportamental, será abordado em palestra neste sábado(15), no Boulevard Assis Brasil. A psicóloga Danniela Sopezki, falará ao público na sala de cinema Arcoplex do shopping às 11hs. A entrada é franca mediante inscrição pelo telefone (51) 3344.5758 ou e-mail contato@boulevardsc.com.br .

FRASE DO DIA

O que certamente nunca houve no Brasil foi um choque liberal. O liberalismo econômico assim como o capitalismo não fracassaram na América Latina. Apenas não deram o ar de sua graça.

Roberto Campos