Artigos Anteriores

O VÔO DO BURRO

ANO XIV - Nº 007/14 -

OUTRA ESPÉCIE

Estamos bastante acostumados a ouvir que a economia do Brasil, a algum tempo, só consegue fazer o vôo da galinha. Tal comparação se deve ao fato de que a galinha alça vôos curtos para, rapidamente, voltar ao chão, sem jamais conseguir se sustentar no ar. Se a galinha foi o melhor símbolo encontrado até agora, para explicar o nosso pífio crescimento, o vôo de uma outra espécie parece estar mais parecido com os nossos dias. É o Vôo do Burro.

COICES

Como, por pura vontade, preferimos manter intactas as amarras que impedem um crescimento sustentado e condizente com a necessidade de aumentar a renda, para fazer a sua tão falada e requisitada distribuição, a economia brasileira não pode mais ser comparada com o vôo da galinha. Insisto, mais uma vez, que enquanto as reformas não vierem, e para valer, vamos ficar com o vôo do burro, que só sai do chão para dar coices no ar. E sempre para trás.

COLONIZAÇÃO?

Ontem, o presidente Lula disse, cheio de entusiasmo, que ao quitar a dívida junto ao FMI, o Brasil entra numa nova fase em que deixa de ser colonizado. Fiquei pensando se Lula sabe o que significa um país colônia? Como sempre diz que não sabe coisa alguma do que passa ao seu redor, percebi que vamos continuar sendo colonos e colonizados. A razão: quem vende commodities é colono. Deixa de ser colono quem agrega valor ao produto. O Brasil, portanto, ainda é e vai permanecer colono e colonizado por muito tempo. Por pura vocação e falta de investimento. Nunca por quitar dívidas.

COLÔNIA DO COMUNISMO

Assim como o peixe morre pela boca, os mais entusiasmados idem. Tão logo o governo anunciou que a dívida junto ao FMI seria quitada por antecipação escrevi dizendo que o maior interesse de Lula era livrar o Brasil da cartilha. Sem precisar dar explicações é mais provável que voltemos a ser os eternos irresponsáveis, que sempre nos levaram a pedir socorro junto ao Fundo. A reação de entusiasmo, como se viu, já está evidente. O novo financiador ? Hugo Chávez ?, que está assistindo em grande escala a vizinha Argentina, deverá fazer o mesmo com o Brasil. Doravante, seremos a Colônia do Comunismo Latino.

FIM DO CICLO

Vamos deixar bem claro uma coisa: o setor calçadista não tem razão para ficar numa só região. O fato de ter sido criado um grande pólo do setor no RS, não significa que precise ficar para sempre no RS. Como se observa, ele vem migrando, há algum tempo, e os novos ambientes já se mostraram bem mais favoráveis. Entra aí a logística dos mercados, os custos e as demais vantagens competitivas. E, depois que os novos endereços foram testados, com melhores resultados, não adianta insistir em manter as indústrias no RS. Vamos entender: acabou o ciclo do calçado no RS.

O BOICOTE

Ontem, o pobre governador Rigotto reuniu a imprensa para fazer o balanço de final de ano de seu governo. Como já esperava, não fui convidado. A sua assessoria deve ter recebido o recado para que cuidasse de evitar a minha presença. Talvez para não estragar o almoço, pelas minhas prováveis indagações. Imagino que devem ter entendido que o melhor seria ficar sem elas. Ou seja, tem gente que pensa que matando o carteiro, todos se livram das más notícias. O boicote está em andamento.

REFINO

Depois de ficar algum tempo sem refinar petróleo, a Refinaria Ipiranga voltou a operar. Porém, sem a solução do dumping, não creio que vá permanecer por muito tempo aberta.

MASSAS

Para brindar os clientes no Natal e Ano Novo, está saindo do forno, nesta sexta-feira, para a rede Zaffari/Bourbon, a linha SABORES DA NATUREZA, produzida pela Massaiola. Entre as especialidades estão: sofiotti, fagottini, taquetti ricota/cenoura e rondelle de palmito.

PRESTAÇÃO DE CONTAS

Amanhã, 22, o prefeito José Fogaça recebe a imprensa para um almoço onde fará a Prestação de Contas do trabalho da Prefeitura Municipal no ano de 2005.

LIVRO

Patrocinado pela CaixaRS, será lançado nesta quarta-feira (21/12), O livro \"Os caminhos do desenvolvimento - a trajetória de uma geração - 1975 a 2005\", da autoria de Aldino Bernardo Dick.

JUNTOS PARA COMPETIR

Os resultados do Programa Juntos para Competir, uma parceria entre o Sebrae/RS, Senar e Farsul, serão apresentados no próximo dia 22, às 11h30, durante entrevista coletiva à imprensa. O Programa Juntos para Competir chega ao final de 2005 com resultados positivos e impactantes nos seus setores de atuação.

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

FRASE DO DIA

SUA VIDA NÃO É UMA COINCIDÊNCIA, É CONSEQÜÊNCIA DE VOCÊ.

Anônimo