Artigos Anteriores

O QUE O ELEITOR NÃO ENXERGA

ANO XIV - Nº 007/14 -

CAPACIDADE GERENCIAL

Se o povo gaúcho fosse realmente politizado, como muitos brasileiros insistem, a governadora Yeda Crusius estaria liderando com folga as pesquisas de intenção de voto como candidata à reeleição ao Governo do RS. Depois de assumir um Estado cheio de problemas e extremamente mal administrado, à exceção do período em que o governador Britto ocupou o Piratini, Yeda demonstrou uma incomparável capacidade gerencial.

ETERNO INSATISFEITO

Aliás, exatamente por ter colocado muita coisa em ordem é que Yeda, ironicamente, está apresentando baixa preferência eleitoral e correndo sério risco de não ser reeleita, como informam as pesquisas de intenção de voto. Uma prova de que, simplesmente, o povo gaúcho prefere ser um eterno insatisfeito.

TRADIÇÃO

Este mau comportamento já virou uma marca. Uma tradição. O que vimos nesses últimos 40 anos nos leva a entender que o caminho escolhido para ser trilhado é aquele que leva ao caos. Para tanto, como é sabido, entregou o Estado do RS às diversas corporações de funcionários públicos, que passaram a governar em benefício próprio.

FAMA E REPUTAÇÃO

A atitude guerreira dos Farrapos fez o povo gaúcho ganhar fama nacional de lutador, pouco tolerante às injustiças e exageradamente franco. Esta reputação se espalhou Brasil afora. No entanto, infelizmente, nada disso acontece mais no RS. Hoje, o gaúcho é um povo acomodado e tolerante. A tudo. Não reage a coisa alguma que atente ao progresso do RS.

PROJETOS EXPULSOS

Exemplos, ninguém pode me desmentir, não faltam. Eis dois para não cansar muito: 1- sem mexer um dedo, sem um único protesto os gaúchos viram o governo petista expulsar mais de 500 excelentes projetos do RS (muita gente, equivocadamente, ainda pensa que só a Ford foi defenestrada); 2- viu, também, o francês José Bové destruir o laboratório da Embrapa. E muito mais, gente.

POLITIZADO

A candidatura de José Fogaça, pelo que conseguiu dar um jeito em Porto Alegre depois do tsunami petista, é também uma boa opção. No entanto, pelo que Yeda apresentou em termos de gerenciamento e governança um povo minimamente politizado não perderia tempo. Não vacilaria.

ESPÍRITO FARRAPO

Para concluir, o que o povo do RS precisa mesmo é dar um basta definitivo no seu espírito Farrapo. Precisa tomar consciência de que não pode viver eternamente sendo Republicano ou Maragato. E, antes de tudo, é preciso assumir que a Guerra dos Farrapos acabou em derrota para o RS. A confirmação está no fato de que nenhum dos pontos do Acordo de Ponche Verde foi cumprido. Uma prova, enfim, de que o melhor mesmo é começar a reagir a tudo que atrasa o Estado.

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • CURSOS
    O Comitê Comércio e Serviços do PGQP, que é coordenado pela Fecomércio-RS, promoverá nos meses de julho e agosto diversos cursos para capacitação de empresas. Informações e inscrições no site: www.comitequalidade.fecomercio-rs.org.br/php/lista_cursos.php.
  • COLETIVA
    O presidente do Sistema Fecomércio-RS, Zildo De Marchi, realizará um café da manhã com a imprensa gaúcha para falar sobre o início de sua gestão à frente da entidade. Sexta, dia 02/07, a partir das 08h30min, no Café Concerto - Av. Alberto Bins, 665 ? 2º andar, Centro Histórico de POA.
  • BULLYING
    A governadora Yeda Crusius sancionou a Lei 13.474, aprovada por unanimidade na Assembléia Legislativa, que prevê políticas públicas contra o bullying nas escolas de ensino básico e de educação infantil, privadas ou do Estado, em todo o RS. Com isso, as instituições de ensino desenvolverão a política antibullying. A Lei foi publicada no Diário Oficial do Estado (DOE), de ontem, 29.
  • SENACTECH
    Nos dias 08 e 09 de julho, o Senac-RS realiza a 5ª edição do SENACTECH ? evento da área de Informática no qual os professores apresentam as principais novidades dos segmentos em que a instituição atua. As palestras e minicursos acontecem na Faculdade de Tecnologia Senac-RS (Rua Coronel Genuíno, 130).

FRASE DO DIA

A idade não protege da idiotice.

Provérbio Alemão