Artigos Anteriores

O PREÇO DA FALTA DE POUPANÇA

ANO XIV - Nº 007/14 -

OS PROBLEMAS

Na edição de ontem expus os problemas que limitam drasticamente o nosso crescimento: a baixa poupança financeira e a pobre poupança educacional. A causa de ambas está, infelizmente, na elevada carga tributária aliada a gastos públicos de péssima qualidade. Desperdício de dinheiro público, melhor dizendo.

BNDES

Como a poupança é insuficiente para alavancar o nosso desenvolvimento, a saída para o crescimento está no BNDES, órgão financiador de quase todos os projetos do país, tanto os empresariais que propõem uma maior oferta de produtos e serviços, quanto os públicos que visam ampliar a nossa infra-estrutura.

VIA ENDIVIDAMENTO

Como o BNDES não tem capital para todas as demandas, só no ano de 2009 o governo foi buscar no mercado um montante de R$ 100 bilhões, através de emissão de títulos públicos (via endividamento), para suprir o caixa da instituição de fomento.

CUSTO - 1

Embora o governo tenha feito novas emissões com a mesma finalidade em 2010, o que levou a dívida pública interna a superar a marca de R$ 1,5 trilhão, observem o custo só da primeira tranche. Custo para o país, ou melhor, para os contribuintes:

CUSTO - 2

Considerando que os títulos emitidos pelo Tesouro são remunerados pela SELIC (atualmente em 10,25%) e o BNDES empresta pela TJLP, cujo indexador é de 6%, o prejuízo da operação para os contribuintes, segundo estudo feito pela área financeira do próprio BNDES, deve ser de R$ 36,6 bilhões.

RESUMO

O estudo mostra, enfim, que a diferença entre as taxas dos R$ 100 bilhões repassados ao banco em 2009 corresponde a R$ 1 bilhão ao ano. Até porque a remuneração média do empréstimo ao BNDES é de TJLP mais 0,63% ao ano, correção que vai incidir sobre o principal da dívida, cuja carência é de cinco anos.

DÉFICIT DE RACIOCÍNIO

É óbvio que pouquíssimas pessoas darão importância ao assunto. Tudo porque, repito, além da falta da poupança financeira, que impõe um enorme sacrifício à sociedade como um todo, existe ainda uma crucial ausência de poupança educacional, que pelo déficit de raciocínio impede o discernimento e, consequantemente, a realização das reformas.

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • AEROPARQUE
    A Administração Nacional de Aviação Civil da Argentina autorizou a TAM, no início desta semana, a fazer vôos entre o aeroporto Jorge Newbery (Aeroparque), de Buenos Aires, e as cidades de São Paulo e Porto Alegre. O Aeroparque fica a 2 km centro de Buenos Aires, no bairro de Palermo.
  • EFEITO POUPANÇA- 1
    A China investirá US$ 100 bilhões em 23 novos projetos de infraestrutura na região oeste do país, que é relativamente subdesenvolvida, para ajudar a impulsionar o consumo doméstico, segundo a Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma da China (NDRC). A China tem poupança, gente.
  • EFEITO POUPANÇA- 2
    Os novos projetos incluem rodovias, usinas de energia, aeroportos e projetos de abastecimento de água nas províncias de Sichuan e Guizhou, no Tibet e em regiões autônomas de Xinjiang, informou a NDRC em comunicado postado em sua página na internet.
  • SENAC
    Conhecimento e atitude podem salvar o planeta: é com este tema que será realizada a 1ª Feira de Projetos Senac-RS, nos dias 8 e 9 de julho. A atividade tem entrada gratuita e acontece no estacionamento da Faculdade de Tecnologia Senac-RS (Rua Coronel Genuíno, 130). Na quinta-feira (8/07) o evento acontece das 10h às 18h e na sexta-feira (9/07) das 9h às 16h.

FRASE DO DIA

O EXEMPLO É SEMPRE MAIS EFICAZ DO QUE O PRECEITO.

S. Johnson